Revista Educação Pública https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica <p><em>Divulgação Científica e Ensino de Ciências</em> é uma seção da <em>Revista Educação Pública, </em>vinculada à Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro, CECIERJ. A seção, associada à vice-presidência científica da instituição, destina-se à publicação de textos elaborados por pesquisadores, divulgadores científicos, docentes e alunos de pós-graduação, voltados às temáticas primárias da divulgação científica e/ou ensino de ciências. Artigos científicos, de revisão e relatos de experiência, seja nos âmbitos teórico ou prático, serão aceitos para avaliação.</p> <p>Destaca-se a relação cooperativa entre o campo da divulgação científica e o contexto escolar, e destes, por sua vez, com as origens da Fundação CECIERJ. Não por acaso, um dos programas fundadores da instituição, a Praça da Ciência Itinerante, consiste na capacitação continuada de professores. Por meio de dinâmicas que apresentam conteúdos científicos de forma palatável e lúdica, o programa visa ampliar estratégias de atuação em sala de aula, e promover o ensino de Ciências. Nessa perspectiva, estudos sobre o intercâmbio entre ações de divulgação científica e processos de ensino-aprendizagem na escola serão acolhidos. Textos que relacionem múltiplos campos do conhecimento são bem-vindos, dado o caráter interdisciplinar da revista e o ensejo de fomentar a diversidade e o diálogo entre diferentes autores e atores sociais. </p> <p>Os manuscritos serão recebidos em fluxo contínuo, não sendo cobrada quaisquer taxas para tal. Nesta seção estão previstos três números anuais e as submissões podem ser realizadas, exclusivamente, no portal da <a href="https://educacaopublica.cecierj.edu.br/ojs/index.php/educacaopublica/about/submissions">Revista <em>Educação Pública: Divulgação Científica e Ensino de Ciências</em></a>, durante todos os meses do ano. Ressaltamos que os volumes poderão vincular dossiês, ou seja, seções de temáticas especiais, que, eventualmente, podem permitir modalidades de submissão diferentes das rotineiras explicitadas nas <a href="https://educacaopublica.cecierj.edu.br/ojs/index.php/educacaopublica/about/submissions">Diretrizes para Autores</a>. </p> <p><a href="https://educacaopublica.cecierj.edu.br">Revista Educação Pública</a>:</p> <p>ISSN: 1984-6290 <br />B3 em ensino - Qualis, Capes<br />DOI: 10.18264/REP</p> <p>Apoio: <a href="http://www.faperj.br/">FAPERJ</a></p> Fundação Cecierj pt-BR Revista Educação Pública 1984-6290 APRESENTAÇÃO https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/98 <p>Apresentação do número 2 do dossiê Arte e Ciência segundo a comissão editorial. </p> Comissão Editorial Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.98 POR QUE ARTE E CIÊNCIA? https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/94 <p>No texto é proposta reflexão sobre a inadequação dos modelos de ensino e a transdisciplinaridade, em diálogo com a interação entre Arte e Ciência.</p> João Silveira Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.94 Arte, Ciência e Educação: Um Encontro Necessário https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/61 <p class="p1">Este artigo trata de uma revisão sobre o diálogo entre Ciência e Arte e discute como a reconexão entre as duas culturas pode ser benéfica em um contexto de aprendizagem. Nem sempre a Arte foi tratada como conhecimento desconectado de outras culturas, mas, com a revolução científica moderna, houve um afastamento do abstrato e do concreto, do raciocínio lógico e do subjetivo, da Arte e da Ciência. No século XXI, os dois campos se reaproximaram em diversas áreas e, também, na Educação. São trazidos aqui, exemplos de avanços das neurociências indicando que a experiência artística altera redes neurais e influência no desenvolvimento cognitivo. Discute-se que a inserção das artes nos processos de ensino e aprendizagem pode repercutir positivamente na aquisição de saberes científicos e no desenvolvimento de habilidades requeridas do estudante atual, como o desenvolvimento da criatividade, que se configura como uma fonte de inovação para solução de problemas complexos, da criticidade, de comportamentos colaborativos, da comunicação e melhora o desempenho escolar de alunos com experiências artísticas. O ensino de ciências pode se beneficiar com a implantação de um currículo integrado e o rompimento da visão fragmentada “ciência ou arte” como uma alternativa de transformação do ensino, ressignificando o modo de ensinar e de aprender conceitos científicos.</p> Lorrayne Evangelista de Sousa Adlane Vilas-Boas Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.61 Pedagogias das Artes Urbanas - Encontrando Murais Gigantes na Cidade de São Paulo https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/81 <p class="p1">O texto apresenta reflexões iniciais sobre o tema “muralismo gigante” em busca de problematizar como as artes urbanas adquirem um caráter pedagógico na cidade de São Paulo. A introdução apresenta o tema, os autores e conceitos principais. A primeira seção do texto destaca como a técnica da deriva urbana realizada por meio da prática de caminhar na região central de São Paulo foi crucial para o encontro e registros dessas produções. A segunda parte analisa determinados murais, além de depoimentos de artistas a respeito de suas obras. Em seguida, o texto discute como essas recentes produções, para além de sua dimensão artística, buscam promover a revitalização e a valorização de determinadas regiões da cidade. Espera-se, por fim, que esses diferentes processos apresentados possibilitem visualizar o funcionamento de distintos modos pedagógicos produzidos por meio das artes expostas em telas gigantescas na paisagem urbana.</p> Eloenes Lima da Silva Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.81 ENTRE O SONORO, A VISUALIDADE E O TÁTIL: O SUJEITO EM EUREKA / BLINDHOTLAND (1970-1975) DE CILDO MEIRELES https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/96 <p>Nota de pesquisa de doutoramento. Tema principal: a obra de Cildo Meireles, </p> Caroline Alciones de Oliveira Leite Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.96 A Interdisciplinaridade Entre O Ensino De Física E O Grafite https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/20 <p>O referido artigo é um relato de experiência de uma aplicação didática e dia-lógica para alunos dos segundos anos e terceiros anos do ensino médio da escola pública em meio à pandemia do Covid-19, que tem como objetivo aproximar através da interdisciplinaridade a Arte urbana do grafite e o ensino de Física estabelecendo uma conexão entre o ensino e a aprendizagem. A análise do discurso, segundo o teórico Mikhail Bakhtin, nasce além das rela-ções da metalinguística, ou seja, se insere a partir das interações discursivas entre os indivíduos. Na perspectiva das relações humanas, a ciência e a Arte fazem parte da formação social e da evolução tecnológica. A construção da interdisciplinaridade entre o ensino de Física e a Arte urbana do grafite trazem as abordagens entre as relações que construíram a nossa sociedade. A escola é um espaço provocador de possibilidades reflexivas e que promove o diálogo, trazendo a interação da análise do discurso em sala de aula. Dessa maneira os gêneros discursivos estabelecem uma interconexão da linguagem com a vida social. Portanto a Física e a Arte criam um processo de produção discursiva estabelecida pelas interações sociais.</p> Admilson Luiz Navarro Alexandra Siqueira Mello Dayana Aparecida Brito dos Santos Emerson Ferreira Gomes Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.20 Fotografando a Ciência: A Escola e a Relação Ciência e Arte https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/37 <p>Nessa pesquisa efetuamos a análise da produção de estudantes em forma de fotografias, tendo como foco suas percepções de Ciência – a disciplina de seus currículos. Pretendemos com essa análise identificar suas representações a cerca da referida disciplina, utilizando a fotografia como forma de expressão, na tentativa de serem eles os autores de seu processo de construção e expressão de seus conhecimentos. Pretendemos também entender, em um mundo de respostas rápidas e de fácil acesso, o que podemos oferecer para os estudantes de forma a compreender melhor o que eles têm para nos dizer, identificar elementos de sua bagagem de vida e que atividades podemos realizar para contribuir com a sua formação no mundo atual. Com isso discutimos o contexto da escola, sua relação com mundo e o papel da relação Arte e Ciência em sua formação, a partir de algumas ideias do educador Paulo Freire. Apresentamos os conceitos de Heinrich Wölfflin – pictórico e linear – quando analisamos respectivamente as fotografias. Por fim, em um processo de reflexão das nossas ações diante da produção dos estudantes, iremos discutir caminhos e ações futuras.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> Patrícia Sento Sé Pinnock Maria Auxiliadora Delgado Machado Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.37 SONHO SOBRE UM PEDREGULHO https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/95 <p>Poema sobre Arte e Ciência</p> Marcelo Bafica Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.95 Um Ensaio Sobre Ciência e Arte a Partir da Obra de Cecília Meireles https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/22 <p class="p1">Cecília Meireles, renomada escritora brasileira, teceu sua trajetória escrevendo sobre Folclore, Educação e Educação Infantil em colunas de jornais, poemas e crônicas. Essas faces da vida da autora foram e são amplamente estudadas. Uma possibilidade de estudo que encontramos nestas obras, foram escritos de Cecília que se remetem à Ciência, especificamente no livro O Estudante Empírico, publicado em 1974. Sendo assim, este ensaio tem como objetivo traçar uma articulação entre Ciência e Arte a partir do poema Mapa da Anatomia: O Olho, presente no livro citado. As aproximações entre Ciência e Arte feitas a partir do poema convergem para uma compreensão de que ambas produções humanas são históricas e sociais, se configuram como linguagem e tomam a realidade como ponto de partida. Além disso, apesar de suas especificidades, Ciência e Arte podem empregar criatividade, sensibilidade e emoções, bem como a racionalidade e a lógica. Por fim, podemos considerar a potência de ambas as produções na formação de sujeitos que consigam ter uma visão de mundo global, neste caso, tendo a Ciência e a Arte como fios condutores possíveis para essa formação.</p> Julia Amorim Monteiro Camila Silveira Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.22 Grupo de Teatro Universitário Arte (com)Ciência: Itinerários de Divulgação Científica https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/26 <p>A divulgação científica tem uma importância fundamental para o progresso da ciência e para que a sociedade possa usufruir dos avanços possíveis em função do desenvolvimento científico. Ela pode ser feita de diversas formas como, por exemplo, por meio do teatro. No Brasil, vários coletivos tem promovido espetáculos teatrais com vistas à socialização de conhecimentos científicos. Entre eles, o Grupo de Teatro Universitário Arte (com)Ciência, fundado em 2013, na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. O objetivo deste artigo é relatar a trajetória do Grupo desde a sua criação até o presente. O Arte (com)Ciência se originou de um projeto de extensão universitária e tem como finalidade promover possibilidades de ensino-aprendizagem e de formação de público por meio de espetáculos, performances e intervenções teatrais relacionados à discussão/divulgação de conhecimentos científicos e às questões social e ambiental. As principais produções desse coletivo são: escrita de 21 dramaturgias curtas e 11 trabalhos de conclusão de curso de graduação; montagem de 04 espetáculos; realização de 22 apresentações teatrais e 16 intervenções; publicação de 01 livro e, em anais de eventos científicos, de 15 artigos, 01 resumo expandido, 01 resumo e 01 capítulo de livro.</p> Valéria Cristina Costa André Luiz Nascimento Dias Vanessa Juliana da Silva Marcos Fábio Cardoso de Faria Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.26 ARTE E CIÊNCIA NA PANDEMIA: UM SAMBINHA PARA BRUNO LATOUR https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/88 <p style="margin-bottom: 0cm;"><span style="color: black;">Letra de música: Arte e Ciência na pandemia: um sambinha para Bruno Latour.</span></p> <p style="line-height: 115%; margin: 12.0pt 0cm 0cm 0cm;"><strong><span style="color: black;">Link do YouTube: <a href="https://youtu.be/3kfKh4VchuE">https://youtu.be/3kfKh4VchuE</a></span></strong></p> Taáte Pereira Tomaz Silva Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.88 Allah-La-Ô: Caminhos para a Conscientização sobre o Consumo de Álcool por meio das Marchinhas Carnavalescas da Década de 1950 https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/24 <p class="p1">Os festejos carnavalescos podem ser entendidos como retratos populares dos mais diversos momentos já vividos pelo país, criando um conjunto de quadros históricos em que estão, por exemplo, as marchinhas cantadas em Carnavais da década de 1950. Logo, considerando a importância da realização de pesquisas voltadas para a arte nacional e da produção de estudos interdisciplinares relacionados à experiência com bebidas (tema que está intimamente ligado à saúde pública), o artigo tem como objetivo investigar possíveis caminhos para a sensibilização acerca da ingestão excessiva de álcool por meio de cinco marchinhas carnavalescas cantadas na década de 50 do século XX. Para tanto, foi escolhida uma metodologia qualitativa e procedimentos típicos da análise de discurso. Pelos caminhos percorridos, acredita-se que as escolas, assim como ambientes de educação não formal, podem ser espaços onde tais canções têm o potencial de se tornarem ferramentas lúdicas para a compreensão das múltiplas dimensões que envolvem o consumo alcoólico.</p> Frederico Augusto Ribeiro da Silva Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.24 Dançar a Ciência, Cientificizar a Dança - e a Divulgação Científica, Onde Se Encaixa? https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/35 <p class="p1">A importância de mover o corpo para a promoção da saúde, a dança como linguagem em uma ação de divulgação científica, a ciência como inspiração para a criação de um espetáculo coreográfico… há tantas formas de pensar e fazer a integração entre Ciência e Dança! Também há muito a descobrir. Onde as ações de Ciência e Dança estão acontecendo? Quem está por trás delas? Será que há intencionalidade de divulgar ciência em todas essas possibilidades? Este artigo tem como objetivo dar início ao trabalho prático e reflexivo de um grupo que propõe a integração da Ciência e a Dança dentro da perspectiva da divulgação científica. Para isso, apresentamos e refletimos sobre a performance corpo-gravidade (acessível via QR code no corpo deste artigo), com o intuito de testar e tensionar essa mescla de linguagens. Ela representa o primeiro movimento do LAB Ciência e Dança.</p> Alanna Dahan Martins Carla Almeida Isabella Souza Carolina Andries Gigliotti Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.35 ENTREVISTA HORACIO TIGNANELLI - UMA VIDA DE ARTE E CIÊNCIA https://educacaopublica.cecierj.edu.br/divulgacao-cientifica/index.php/educacaopublica/article/view/97 <p>Entrevista com o astrônomo e ator argentino Horacio Tignanelli por Thelma Lopes. O texto registra o percurso do entrevistado como artista e cientista, pleno de experiências em várias áreas do conhecimento e partes do mundo. Horácio oferece rica reflexão sobre a interação entre Arte, Ciência e Divulgação científica, especialmente no cenário da América Latina. O texto também destaca seu último espetáculo realizado no Brasil "Lucifer, em sua justa medida", no qual associa Galileu Galilei e Dante Alighieri. </p> <h3 class="LC20lb MBeuO DKV0Md"> </h3> Horacio Tignanelli Thelma Lopes Copyright (c) 2022 Revista Educação Pública 2022-06-29 2022-06-29 1 2 10.18264/repdcec.v1i2.97