Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Viajando pela Antropologia e pela Arte em busca de capacitação

Alexandre Alves

A fim de contribuir na capacitação dos professores em exercício (e aqueles que estão prestes a se formar), para que possam realizar sua atividade profissional com mais qualificação, recursos práticos e embasamento teórico, a Diretoria de Extensão da Fundação Cecierj decidiu criar algumas áreas de cursos.

Nesta edição, Laura Graziela Gomes (de Antropologia) e Eliane Considera (de Artes e Comunicação) contam um pouco de suas propostas, seus objetivos e as perspectivas dos cursos que coordenam.

Ao falar das disciplinas a serem oferecidas, Laura indica que, no 3º trimestre de 2010, o primeiro da sua área, irá oferecer apenas Introdução à Antropologia Social, que tem como foco temas como conhecimento e crença, sistemas de valores e padrões de comportamento. Existe a possibilidade de, mais para a frente, preparar disciplinas como Antropologia e Geografia, Antropologia e História, por exemplo, para aumentar a “vinculação entre nossa área e as ciências sociais, abordando as transformações contemporâneas (inclusive as tecnológicas) e trazendo uma nova forma de trabalhar esses temas em sala de aula”.

A primeira disciplina a ser oferecida pela área de Artes e Comunicação é Modernização, Modernidade e Modernismo nas artes plásticas, com o objetivo de fazer uma releitura das características das linguagens artísticas modernas, especialmente no “redemoinho cultural do século XX”, como ressaltou Eliane, além de tratar de instâncias da produção artística antes relegadas – como o mercado de artes, por exemplo.

Laura sugere que, para aproveitar melhor a disciplina de Antropologia, é importante que o aluno conheça os conceitos básicos de História e Sociologia, além de ter interesse por temas culturais e prazer em ler e escrever. Para Eliane, que espera receber alunos das áreas de Artes e Comunicação, claro, mas também de História e Letras, contribuirá muito para o seu aproveitamento se o cursista tiver bons conhecimentos de informática e experiência em navegar pela internet.

Ainda que Laura considere a possibilidade de realizar encontros presenciais, ambas as disciplinas serão oferecidas essencialmente a distância, via internet, o que inclui visita a sites específicos, como publicações nas respectivas áreas e acesso a materiais audiovisuais disponibilizados na grande rede; “navegando pelo mundo da arte”, como propõe Eliane.

Quanto à avaliação, as duas professoras concordam que é fundamental a participação dos cursistas, que terá como base o emprego de ferramentas de interação entre si e com os professores e monitores. Obviamente, a capacidade de reflexão sobre os temas propostos e os assuntos abordados será um fator considerado na nota final do aluno/professor.

Na leitura da arte moderna ou na análise de base antropológica, estes são dois cursos que podem contribuir para a atividade do professor em sala de aula e nas áreas onde ele atua – e estas são apenas suas primeiras disciplinas.

20/07/2010

Publicado em 20 de julho de 2010