Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Espaços Urbanos; Política Cultural; Política Educacional
Limpar filtros
O orientador educacional sob a análise temporal e conceitual da sua prática: contextualizações viabilizadoras do ensino inclusivo e de qualidade
História da Educação e Política Educacional

O presente estudo teve como propósito contextualizar as funções do orientador educacional a partir de dois períodos históricos: décadas de 30 e de 80 do século XX, trazidos pela ótica da educação pública brasileira, por representarem as mudanças conceituais por que passou a prática desse profissional e que demarcaram o (re)direcionamento da composição pedagógico-gerencial e, sobretudo, da construção do conhecimento, por meio da descrição de novos paradigmas educacionais de sua atuação, com ênfase na busca pela qualidade do ensino e inclusão de todos os alunos, indistintamente.

O Parque Mutirama como espaço não formal e potencializador no processo de ensino-aprendizagem na Educação Básica
Ecologia e Meio Ambiente, Matemática, Educação Infantil, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula, Espaços Urbanos e Política Cultural

Os debates proporcionados durante a disciplina de Ensino de Ciências e Matemática em Espaços Não Formais do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática da Universidade Federal de Goiás foram engajadoras para a investigação acerca das potencialidades do espaço não formal no Parque Mutirama, na cidade de Goiânia-GO. Este artigo tem por objetivo refletir as propostas e possibilidades de atividades pedagogicas que possam ser desenvolvidas em um espaço não formal. Propõe, também, compreender as possibilidades que o espaço pode oferecer ao professor de diversas áreas nas construções de conhecimentos curriculares, pois as proposituras de desenvolver atividades nesse espaço são inúmeras e abarcam a interdisciplinaridade entre diversas disciplinas. O material foi resultado de visitar o parque de diversão, tendo como mediador um funcionário que forneceu informações do espaço e suas especificidades. Nesse viés, a investigação propiciou a visualização do Parque Mutirama como espaço rico em possibilidades que pode oportunizar o professor da Educação Básica desenvolver atividades inter e multidisciplinares com os temas transversais presentes em seu meio. Os resultados mostram que nesse espaço evidenciam-se contribuições significativas no processo de ensino-aprendizagerm dos alunos, permitindo compreender as possibilidades de praticas contextualizadas e problematizadoras, transformando a realidade vivenciada.

Educação que alimenta o corpo e a mente
Sociologia, Vivências de Sala de Aula e Política Educacional

Escrevi um artigo na época da faculdade, e um professor me fez a seguinte proposição: “Gostei muito de seu artigo, mas gostaria de saber: daria certo na prática?”. É algo que tenho perseguido desde o dia em que passei a lecionar em instituição pública: tornar minha metodologia de ensino prática, a ponto de permitir ao educando “indisciplinar-se” no processo de aprendizagem. Ao iniciar o curso de especialização Educação, Pobreza e Desigualdade Social, constatei algo que me impressionou e fez olhar o educando de forma diferente da qual estava acostumado: um ser humano que precisa da Educação para alimentar a mente e o corpo. Ou seja, procurou-se neste breve trabalho focar (metodologia da observação participante) em torno da realidade vivenciada em sala de aula, nas reuniões com pais/responsáveis de alunos e alunas e o material bibliográfico disponibilizado no curso e demais literaturas educacionais, tendo o objetivo de compreender os benefícios e deficiências da alimentação e realidade socioeconômica no processo de construção de saberes e a relação de aprendizagem.

Arte e Música na Base Nacional Comum Curricular
Educação Artística, Música e Política Educacional

Esta pesquisa pretende levantar uma discussão acerca da BNCC (Base Nacional Comum Curricular) e também traz um levantamento de leis e documentos atuais que buscam a implementação efetiva do referido documento, necessários para a compreensão e aplicação do documento principal em estudo.

A institucionalização do patrimônio histórico e cultural
Antropologia, Direito, Geografia, História, Sociologia, Educação Artística e Política Cultural

Este artigo tem como objetivo levantar uma reflexão acerca do desenvolvimento histórico dos processos que culminaram na consolidação da área do Patrimônio em suas vertentes históricas e culturais. Tal reflexão se mostra necessária na medida em que tal tema – o dos bens passíveis de patrimonialização – é constantemente abordado, sob diferentes prismas, nas aulas de História e de Geografia na educação básica. O objetivo então é o de ressaltar a importância de tal tema nas aulas de educação básica, procurando, através desta breve revisão histórica, colocar a historicidade da temática, de modo que os professores possam encontrar orientação e justificativa nas obras selecionadas como referências neste artigo. A partir da leitura crítica e comentada dos autores citados, concluímos que o campo do Patrimônio é um campo em permanente processo de construção e de disputa, que gravita entre o esforço de esquecimento e a exaltação da memória.

O adoecimento do professor da Educação Básica no Brasil: apontamentos da última década de pesquisas
Saúde, Psicologia, Formação de Professores, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula e Política Educacional

O adoecimento de docente na Educação Básica brasileira se constitui como uma problemática que atinge o profissional, a escola e a sociedade. O objetivo deste estudo foi investigar os sinais e tipos de adoecimentos mentais que caracterizam o sofrimento dos professores da Educação Básica no Brasil e seus fatores associados. Foi então realizada uma revisão sistemática da literatura nas bases do SciELO, BVS e Lilacs, com estudos empíricos brasileiros de 2009 a 2019 que selecionou 25 estudos, indicando a depressão e ansiedade como os principais adoecimentos apontados pelas pesquisas. Apontou condições precárias de trabalho, sobrecargas, falta de apoio social, más gestões e implementações de políticas de apoio, problemas comportamentais dos alunos e violência escolar como os principais fatores associados ao sofrimento docente.

Afetividade na aprendizagem escolar: papel do assistente social sob o olhar da Neurociência
Sociologia e Política Educacional

Este artigo é resultado de pesquisa bibliográfica com abordagem qualitativa de cunho exploratório em que se buscou compreender a importância da afetividade no processo de ensino-aprendizagem sob o olhar da Neurociência. Busca-se entender o funcionamento do sistema nervoso central, sua influência na aprendizagem e de que forma contribui no processo. Para isso, inicia-se busca em fonte primária com revisão bibliográfica em que foram feitos levantamentos, fichamentos das citações relevantes dos autores Henri Wallon, Jean Piaget, Lev Vygotsky e Daniel Goleman, entre outros. Apresenta-se um panorama do debate da importância da afetividade nas relações interpessoais com enfoque nas teorias de Henri Wallon, que se dedicou ao estudo da afetividade, destacando sempre sua importância nas relações interpessoais na sala de aula. Considerava a afetividade um dos aspectos centrais do desenvolvimento humano. O presente artigo trouxe a compreensão da necessidade de termos assistentes sociais nas escolas, pois seu trabalho contribui para a identificação precoce do aluno que apresenta dificuldade escolar e, sob a Neurociência, considera que o conhecimento das funções cerebrais é de suma importância para o desenvolvimento cognitivo saudável. Esse profissional contribui também para a garantia do direito à educação e, quando necessário, o encaminhamento aos serviços sociais e assistenciais.

A importância das tecnologias digitais na Educação e seus desafios
Instituição Escola e Política Educacional

Este estudo tem por finalidade fazer uma reflexão sobre a importância do uso das tecnologias digitais na educação, partindo da hipótese de que com a inserção das tecnologias nos espaços escolares, sobretudo em sala de aula, o aprendizado pode ocorrer de forma mais eficiente e prazerosa. A partir de um trabalho de revisão bibliográfica baseado no método exploratório descritivo, pretendemos avaliar se os estudantes estão sendo preparados para o mundo considerado digital e quais são os desafios advindos dele.

Letramento crítico pautado pelas ferramentas tecnológicas no processo de ensino aprendizagem em EAD: um estudo de caso na comunidade de Tamoios em Cabo Frio/RJ
Educação a Distância, Língua Portuguesa e Literatura e Política Educacional

O presente trabalho tem por objetivo analisar como o letramento crítico com o uso de novas tecnologias na Educação pode colaborar para o aprendizado na perspectiva da EaD. Esta pesquisa dialoga diretamente com a perspectiva educacional pautada na BNCC, com a décima competência, que privilegia as tecnologias no processo educacional. É importante salientar que o uso das novas tecnologias não exclui o trabalho feito pelo professor em sala de aula e que a aplicação da tecnologia seria um mecanismo a mais que pode ser disponibilizado para que a aprendizagem atinja altos níveis de eficácia.

Educação e transformação da sociedade
Política Educacional

O presente artigo teve por objetivo refletir acerca da constatação da necessidade da transformação da sociedade e do próprio processo de ensino-aprendizagem, além de diagnosticar elementos que corroboram a necessidade da conscientização do ensino crítico para a transformação social. A metodologia aplicada foi a pesquisa bibliográfica em livros físicos e digitais. A pesquisa suscitou um olhar crítico sobre o assunto e nos conduziu à percepção de que o homem, para alcançar a transformação de si e do que está à sua volta, deve ter sua compreensão como sujeito, potencializando novas perspectivas para a educação e para a sociedade.