Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Antropologia; Arqueologia; Comunicação; Direito; Economia; Filosofia; Geografia; História; Psicologia; Sociologia; Teologia
Limpar filtros
Equidade de gênero e educação Química: uma sequência didática para o ensino de estequiometria
Química, Sociologia, Formação de Professores, Vivências de Sala de Aula e Cidadania e Comportamento

Frente ao cenário pandêmico que atingiu o ensino de Química, já tão fragilizado por diversas demandas, propomos uma sequência didática interdisciplinar e sensível ao gênero para ensinar estequiometria utilizando como plano de fundo a covid-19. A escolha por essas temáticas não foi realizada ao acaso; selecionamos um conteúdo – estequiometria –, que é conhecido por ser de difícil aprendizagem, para propor um momento interdisciplinar que considere as questões de gênero. Além disso, partimos do pressuposto de que o ensino tradicional prejudica a aprendizagem e o interesse em Química de todas/os estudantes, sobretudo meninas. Enfatizamos que não se trata de uma receita, mas sim de uma possibilidade de estratégia de ensino.

O uso de ferramentas digitais no ensino remoto
Matemática, História, Vivências de Sala de Aula, Língua Estrangeira e Língua Portuguesa e Literatura

O artigo aborda a pandemia de covid-19 no Brasil, a educação, ressaltando as tecnologias digitais de informação e comunicação (TDIC) que têm sido incorporadas às práticas docentes como meio de propiciar uma aprendizagem mais significativa, com o objetivo de ajudar os professores na implementação de metodologias ativas, alinhando o processo de ensino-aprendizagem e despertar maior interesse e engajamento dos alunos em todas as etapas da Educação Básica. Tais competências só serão alcançadas em sua plenitude se as habilidades forem trabalhadas por todos os componentes curriculares.

Ensino de Geografia e Educação Ambiental crítica: aportes para a (re)construção do conceito de natureza em sala de aula
Geografia

De que maneira a representação e noção predominante de natureza tem sido evocada por professoras e professores da Educação Básica no processo de mediação do ensino-aprendizagem? A (re)construção do conceito de natureza a partir da Geografia escolar consiste no objeto de estudo deste artigo, que busca realizar um diálogo com a Educação Ambiental crítica para extrair aportes que contribuam para a compreensão da relação sociedade-natureza superando a concepção dualista, responsável pela disjunção que se perpetua, inclusive no interior da Geografia, desfavorecendo a construção de objetos do conhecimento híbridos.

O enfoque da memória e identidade no ensino de História
Antropologia, História, História da Educação e Vivências de Sala de Aula

Face às aprendizagens encontradas no âmbito da sala de aula, ao perceber a disciplina História como construtora de cidadãos e estudantes como participantes da construção da História, este trabalho analisa a importância do desenvolvimento da disciplina, fazendo uso da experiência cotidiana, memória e identidade, observando como o professor atua na aplicabilidade dos conceitos estudados e o desenvolvimento no seu ambiente de trabalho. O objetivo da pesquisa é compreender a memória, a identidade e o ensino na disciplina de História, pesquisando fontes documentais e entrevistas semiestruturadas.

As concepções de linguagem e seu impacto no ensino de Ciências
Comunicação

Este artigo apresenta uma revisão bibliográfica acerca das concepções de linguagem e seu impacto na prática docente em Ciências. Todas as ações humanas são baseadas em concepções, e isso não é diferente quando se fala sobre o ensino de Ciências. O modo como a língua é tratada nas aulas de Ciências pode estar diretamente ligado à concepção de linguagem que norteia, consciente ou inconscientemente, o trabalho do professor. O artigo apresenta uma revisão bibliográfica que tem como objetivo investigar a concepção de língua adotada pelos professores e o seu impacto na prática de sala de aula.

Os dois Joões
Antropologia

Nesta crônica bem-humorada, passeamos pela história de dois Joões, um “chato” e o outro não; moravam na mesma rua e marcaram suas trajetórias de vida por comportamentos bastante distintos e situações surpreendentes. Suas histórias, porém, se entrecruzam sob o olhar do autor, revelando uma inesperada sabedoria que se aplica a todos nós, envolvendo comportamento humano e ética dos costumes. Uma forma de perceber que, por trás de uma atitude ou de um modo de ser, estão histórias de vida.

Problemas emocionais e dificuldades de aprendizagem: como a pressão escolar conduz discentes ao esgotamento mental
Psicologia

A finalidade deste trabalho foi analisar, identificar e compreender os problemas emocionais e dificuldades de aprendizagem e como a pressão escolar conduz discentes ao esgotamento mental. Para isso foram aplicados questionários no Ensino Fundamental II e Ensino Médio em uma escola estadual do Rio Grande do Norte. Os resultados obtidos revelam a presença (com frequência ou esporadicamente) de diversos fatores biológicos, psicológicos e sociais associados à dificuldade de aprendizagem nos discentes ocasionada pela pressão escolar, promovendo a desestabilização emocional dos sujeitos.

Ensino de História: novos contextos e novas práticas
Computação e Tecnologias, História, Formação de Professores e História da Educação

Este artigo explora os impactos do crescente uso da tecnologia na área da educação, mais especificamente em relação ao ensino de História, através de metodologias de ensino e aprendizado que têm utilizado novos recursos para dinamizar a experiência pedagógica. Para isso, foi feita uma observação das antigas práticas de ensino, um levantamento bibliográfico e uma análise do uso de tecnologias de informação e comunicação digital no espaço escolar. Essas análises nos fizeram observar que os desafios e os ganhos acerca do uso de novas tecnologias não se limitam ao ensino de História e que os benefícios são observados em outras licenciaturas.

O ensino da leitura para a ação social: subsídios teóricos sob a perspectiva da Pedagogia Crítica
Filosofia e Formação de Professores

Educadores críticos veem a tendência de avaliar os sistemas educacionais com base em sua eficácia, indicadores quantitativos e métodos experimentais, um efeito do domínio da racionalidade instrumental. Essas abordagens quantitativas excluem uma reflexão explícita sobre as escolhas axiológicas presentes nesses indicadores ou uma reflexão sobre as finalidades dos sistemas educacionais. Em decorrência disso, o presente trabalho tem como finalidade analisar o ensino da leitura para a ação social sob a ótica da Pedagogia Crítica. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de natureza qualitativa, ancorada em pressupostos teóricos clássicos e contemporâneos.

Ensino de História em tempos de crise: a pandemia e o convite à essencialização da História na aprendizagem escolar
História, Instituição Escola e Política Educacional

O presente artigo corresponde a uma inquietação: o que ensinar no ensino remoto? A pandemia do coronavírus alterou as formas e os formatos das relações educacionais e, com isso, os processos de aprendizagem sofreram grande impacto com a falta de compreensão sobre o novo contexto em que a escola foi inserida. Do ponto de vista do ensino de História, buscamos neste trabalho apresentar um breve panorama de como as instituições escolares se posicionaram durante a pandemia (até esse momento) e, a partir da análise dos pareceres do Ministério da Educação, problematizamos as condições às quais a formação escolar foi submetida e o esvaziamento do currículo de História.