Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

MEC e Unesco lançam coleção com vida e ideias de educadores brasileiros

Ilustração

Estão presentes na “Coleção Educadores” sessenta e um autores, sendo 31 brasileiros. Dentre estes estão Anísio Teixeira, Manoel Bonfim, Nísia Floresta, Armanda Álvaro Alberto, Bertha Lutz, Cecília Meirelles, Helena Antipoff, Pachoal Lemme, Fernando de Azevedo, Lourenço Filho, Rui Barbosa, e Paulo Freire.

Segundo o portal do Ministério da Educação (MEC), foram produzidos 185 mil conjuntos, que serão distribuídos para escolas públicas da educação básica, bibliotecas de universidades, de faculdades de educação e públicas.

Nas palavras do MEC, “o lançamento integra as iniciativas do Governo Federal de formação inicial e continuada de professores das redes públicas estaduais e municipais”. Cada volume traz um ensaio sobre o autor, a trajetória de sua produção intelectual na área, uma seleção de textos — corresponde a 30% do livro — e cronologia. A última parte apresenta a bibliografia do autor e das obras sobre ele. Cada volume tem, em média, 150 páginas.

De acordo com o ministro Fernando Haddad, a coleção surgiu da necessidade de pôr à disposição dos professores brasileiros obras de qualidade para mostrar o que pensaram e fizeram alguns dos principais expoentes da história educacional e do pensamento pedagógico nacional e internacional.

Para a identificação e a escolha dos educadores que compõem a coleção, o ministro instituiu comissão técnica que estabeleceu critérios e orientações para a execução dos trabalhos e fazer as recomendações à Editora Massangana, da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), responsável pela edição dos textos. A publicação é uma iniciativa do Ministério da Educação em parceria com a Fundaj e com a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco). A distribuição ficará sob responsabilidade do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Uma série de atividades antecederá a chegada da coleção às escolas e mostrará aos professores a importância das obras. Até abril de 2011 a Capes promoverá ciclo de webconferências sobre cada um dos 61 autores. A TV Escola exibirá documentários sobre esses educadores e o Centro de Memória da Educação e Cultura no Brasil, que funciona no Palácio Capanema, no Rio de Janeiro, organizará seminários sobre os autores.

Na internet, a coleção pode ser visitada diretamente no Domínio Público.

15/03/2011

Publicado em 15 de março de 2011