Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Hot Site Adriana Partimpim

Tatiana Serra

Adriana Partimpim

Imagem da página inicial do site
http://www.adrianapartimpim.com.br/um

Quem já conhecia um pouco do trabalho da cantora e compositora Adriana Calcanhotto e estava acostumado com suas letras fortes e intensas, certamente, se surpreendeu quando, em 2004, soube de seu novo álbum “Adriana Partimpim”, o primeiro dedicado ao público infantil e com direito a heterônimo e tudo de mais colorido em seu visual. O nome escolhido para essa nova fase da artista tem origem nos tempos de criança.

Ao acessar www.adrianapartimpim.com.br/um, você se depara com a própria Adriana numa história em quadrinhos, na qual ela fala brevemente que, quando era criança e alguém perguntava seu nome, ela respondia: Adriana Partimpim (e foi assim que seu pai passou a chamá-la desde então). E, para mostrar a todos que pode ser “normal” adotar outros nomes, ela faz referência a artistas franceses e japoneses – um deles chegou a ter 40 nomes ao longo de seus 89 anos.

O sucesso do novo trabalho da artista foi garantido pelas mais de 100 mil cópias vendidas e a surpresa de um novo lado da já consagrada Calcanhotto foi muito positiva para pais, filhos e todos os outros fãs, que tiveram acesso a letras simples, inteligentes e a um jeito diferente de lidar com o lado musical do público infantil – ou melhor, de todo público que gosta de se voltar ao seu lado lúdico. Aliás, no hotsite do primeiro trabalho, Partimpim é entrevistada por Calcanhotto e fala que prefere colocar o disco como “CLASSIFICAÇÃO LIVRE”. Na mesma entrevista, Partimpim diz que a motivação para fazer esse tipo de trabalho foi imaginar “que esse seria um gênero musical mais solto, menos visado, menos patrulhado por regras e absolutos...”.

Em 2009, com seu lado mais brincalhão também consagrado, ela lançou o “Partimpim Dois”, dando continuidade a sua ideia original de montar uma discografia desse gênero musical. Lembrando que seu projeto já motivou outros grupos, como o “Pequeno Cidadão”, levado por Arnaldo Antunes e outros artistas, além do álbum “Música de brinquedo”, do Pato Fu.
No topo do hotsite www.partimpim.com.br/dois, há uma chamada: em “instruções para adultos”, Adriana já começa brincando com esse público mais desconfiado e os convida para interagir com ela. Ao clicar no clips de papel, a tela fica toda em branco e, arrastando alguns lápis com o auxílio do cursor, você pode rabiscar, colorir e desenhar o que quiser. Para começar tudo de novo, basta utilizar a borracha virtual.

No link do CD, você ouve trechos de regravações, como “As Borboletas” (Cid Campos e Vinicius de Moraes),“Gatinha Manhosa” (Erasmo Carlos e Roberto Carlos) e “Bim Bom” (João Gilberto); e as novas canções, como “Na Massa” (Arnaldo Antunes e Davi Moraes) e “Alface” (versão de Augusto de Campos para o poema de Cid Campos e Edward Lear), um divertido trava-línguas para toda a família. O que acha? Brincar ao fundo musical de Adriana Partimpim pode ser uma ótima ideia!

Publicado em 22 de novembro de 2011

Publicado em 22 de novembro de 2011