Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Música na escola: Bia Bedran

Palmyra Baroni Nunes

Professora do Ensino Fundamental da rede municipal do Rio de Janeiro

“Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música não começaria com partituras, notas e pautas. Ouviríamos juntas as melodias mais gostosas e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música. Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas. Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes”

Rubem Alves

A leitura e escrita são atividades inerentes ao ser humano e à sociedade em que estamos inseridos. Mesmo com as mudanças provocadas pelo avanço da tecnologia, em que a língua é adaptada ao contexto virtual, por vezes mais rápido e informal, os professores sabem que devem desenvolver em seus alunos habilidades que os tornem competentes para diminuir a distância existente entre eles e essas práticas, a fim de que eles sejam capazes não só de usar a língua adequadamente como também de entendê-la em qualquer contexto.

Desde a Educação Infantil, quando a criança entra na escola, várias atividades podem ser desenvolvidas para que ela ganhe intimidade com o mundo da leitura e da escrita e seja, assim, preparada para ler e escrever efetivamente em um futuro próximo. Pensando nesse contexto especificamente, uma forma agradável de levar a criança a uma aprendizagem prazerosa é trabalhar com músicas e histórias cantadas.

As músicas e histórias cantadas por Bia Bedran (musicoterapeuta, atriz e cantora) constituem um tesouro que pode ser explorado pela criança em seu cotidiano escolar. O ritmo das canções, as letras das músicas ganham mais significado quando oferecidas às crianças de forma que elas possam sentir e interagir com o que está sendo cantado.

Mesmo que o objetivo primeiro da música não seja usá-la como pretexto para ensinar matérias escolares, o professor pode beneficiar-se do conteúdo oferecido e utilizá-lo de maneira contextualizada na introdução, fixação ou revisão de conteúdos importantes para o desenvolvimento cognitivo das crianças. Com um repertório repleto de noções espaciais, questões ecológicas e científicas, além de brinquedos cantados que favorecem movimentos corporais, aumentando a consciência que a criança deve ter em relação ao seu corpo e ao espaço que ocupa, as canções de Bia Bedran despertam nas crianças o gosto pela música, conquistando não só pelo seu ritmo como também pelo seu significado.

A música deveria permear o projeto político-pedagógico da escola desde os primeiros anos de escolaridade. Criança acostumada com os diferentes sons das canções e histórias cantadas, a interpretar oralmente, por meio de desenhos ou com movimentos aquilo que escuta, está sendo preparada para trabalhar com os sons da língua quando começar a conhecer as letras na alfabetização. O repertório de Bia Bedran é apenas um exemplo do tipo de material em que qualidade, sensibilidade e beleza podem dar bons frutos quando usados na sala de aula, proporcionando experiências que serão de grande importância na hora de aprender a ler e a escrever.

Publicado em 26 de junho de 2012

Publicado em 26 de junho de 2012