Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Fundação José Saramago

Mariana Cruz

Memorial de Saramago

Imagem da página inicial do site
http://josesaramago.blogs.sapo.pt

Tudo que se pode falar sobre Saramago é pouco, se comparado à magnitude de sua escrita. A despeito disso, não deixa de ser interessante saber fatos de sua vida, sua opinião sobre o mundo e detalhes de suas obras. Para isso, a dica é dar uma navegada no site www.josesaramago.org. Embora lá não estejam seus livros, está uma parte do próprio Saramago, em seus depoimentos, vídeos e textos.

Trata-se do site da Fundação José Saramago cuja sede fica em um edifício de 1523, conhecido como Casa dos Bicos, um espaço aberto ao público, com exposições, recitais, conferências e cursos sobre literatura e cultura.

Para saber mais sobre a história da Fundação, logo na página inicial do site há um link para ela. Ao lado, está um link para José Saramago cujos tópicos são Biografia, Autobiografia, Distinções, Nobel e Cronobiografia.

A autobiografia é bem interessante de se ler: imagine Saramago por ele mesmo! Lá estão verdadeiras pérolas da vida do autor de Ensaio sobre a cegueira; são passagens descritas por ele mesmo. Saramago fala da origem de seu sobrenome, da alteração de sua data de nascimento pelos seus próprios familiares para escapar de uma multa por falta de declaração do nascimento no prazo legal e relata detalhes de sua infância pobre; afirma ter sido bom aluno e que, desde cedo, escrevia sem erros. Conta que só conseguiu comprar seu primeiro livros aos 19 anos e revela como foi a sua descoberta e gosto pela literatura.

Em Distinções estão relacionados os diversos prêmios ganhos pelo autor e os vários países que os concederam: Inglaterra, Espanha e Itália. Estão listados também seus diversos doutoramentos Honoris Causa. Além desses, há um link especial para o maior de todos os prêmios ganhos por ele: o Nobel de Literatura, em 1998. Lá encontramos um vídeo do anúncio de sua premiação no qual o apresentador refere-se à sua escrita como parábolas “sustentadas pela imaginação, compaixão e ironia, que nos permitem apreender continuamente uma realidade ilusória”.

O tópico seguinte é Obra, onde estão os links para Bibliografia Activa, que traz as capas de seus livros e as respectivas sinopses; as edições em outras línguas e algumas resenhas críticas sobre eles.

O link seguinte traz suas Conferências transcritas, material rico e interessante. Ao lê-lo temos a sensação de que Saramago está conversando conosco.

Em seguida está um link para seus Artigos (oito no total). Alguns são pequenos textos, outros um pouco maiores, mas, independente do tamanho, trazem uma visão panorâmica de Saramago sobre diversas coisas. Lá está um texto em castelhano escrito por ele; uma pequena e curiosa crônica sobre o Salão do Livro de Paris e, por fim, o contundente texto “Sobre a guerra, a paz e a cultura”.

O link seguinte indica as Obras passivas, isto é, os livros que já foram escritos sobre o autor de Memorial do Convento e diversas teses sobre o escritor.

O site é uma passagem obrigatória para quem quer estudar, entender e se aprofundar na Caverna de Saramago.

Publicado em 4 de setembro de 2012

Publicado em 04 de setembro de 2012