Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Livros só mudam pessoas

Mariana Cruz

As pessoas e os livros

Imagem da página inicial do site
http://www.livrosepessoas.com

O site Livros só mudam pessoas, além do simpático nome, tem outros atrativos, dentre os quais falar sobre o mundo literário com diferentes abordagens. Na página inicial, a primeira coisa que se vê é um clipping de matérias sobre tudo que se relaciona direta ou indiretamente à literatura. Assim ficamos por dentro de eventos culturais, lançamentos de livros, informações sobre e-books e temas afins como Educação, Filosofia, ensino etc.

No lado esquerdo da tela estão expostos diversos livros atuais, dos quais o visitante pode tentar ganhar um exemplar. Para concorrer, basta responder a uma pergunta relacionada ao livro; a melhor vence. Quem quiser ganhar um exemplar do livro Conversas com Elisabeth Bishop, por exemplo, deve completar a frase “Gosto de ler poesias porque...”. Todas as respostas ficam expostas, o que nos estimula a ter um cuidado maior na hora de publicar nossa frase. No livro Seus pecados estão perdoados, a questão proposta é "Qual o tipo de lixo você gostaria de ver livre de seu coração?”. Diante do conteúdo intenso das respostas, o sorteio ficou em segundo plano; afinal, falou-se sobre tudo: “a falsa liberdade da globalização, o ódio que se constrói em nome da ciência, cultivando hábitos doentes”, disse um; "O medo! Porque aprisiona a mente, bloqueia os sonhos, limita seus movimentos, impede inclusive de viver a vida e amar", disse outro. A pergunta para concorrer ao livro De volta aos quinze fez vários participantes viajarem no túnel ao responderem: "O que você faria se pudesse voltar a ter 15 anos?”. Uma concorrente se abriu: “EU... viveria intensamente, mais amigos, mais aventuras, mais festas, mais leituras, menos intrigas, tudo com um sorriso nos lábios... Usaria minha imaginação e seria mais criativa para alcançar meus sonhos"; outra fez um verdadeiro mea culpa: “Eu teria comido menos bobagem, feito mais exercícios físicos. Não teria parado de dançar, de tocar piano ou de fazer aulas de teatro por causa dos estudos no colegial: eu teria me feito dar conta de tudo, mesmo que isso significasse menos tempo na internet ou restringir as saídas com os amigos para dois finais de semanas no mês (...). Teria lutado mais contra a doação do meu cachorrinho e contra a transformação do jardim em garagem (...). Teria abraçado meus pais e falado que não me importava que eles tivessem decidido morar separados...". Esta, se não ganhou o livro, pelo menos fez uma verdadeira catarse...

Abaixo dos livros expostos está um ranking das editoras mais populares no Twitter, com o número de seguidores de cada uma. Há também um ranking geral com os livros mais vendidos e um link para a PublishNews, com os rankings divididos por categorias: Ficção, Não Ficção, Infantojuvenil, Autoajuda e Negócios.

Para quem quiser mais informações sobre o site, a dica é ir ao tópico História e saber do próprio autor, Sérgio Patavani, como tudo começou. Quem sabe não serve de inspiração para criar o seu próprio site literário?

Publicado em 10 de setembro de 2013

Publicado em 10 de setembro de 2013