Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

O Iluminismo explicado às criancinhas

Luis Estrela de Matos

Noites negras negreciam de um mais que azul negrume
Enquanto o menino desacordado
Sonhava oboés-selvagens e flautas-homem
Toda aquela lama embalava-o
Num cenário branco carnívoro

Pedaços:
Cama, sofás, para-choques, vasilhas, portas, bonecas, telhados, alguns carros, já canoas se armando, armários, mesa de jogo de botão, flores mortas, garrafas de vidro ................................................................................................................................ tudo

a vida escorrera
a vida desmanchara
rio, rio, rio, o rio
e  quase uma quarta margem
de não algum
sem pretensão de  lugar

o fora fez-se matéria
e aquele guri reluzia
no abandono da carne

sua vida não mais lhe era
talvez ele sonhasse
talvez ele acordado
talvez música
pequeno e insistente
assobio
que se percebe

no espanto
do nada

Publicado em 09 de setembro de 2014

Publicado em 09 de setembro de 2014