Entre professores

Letícia Miranda Medeiros

Professora da rede estadual de ensino (RJ)

Meu Deus, eu nunca agradeci tanto pela vida dos meus alunos quanto no último semestre! Eles são surpreendentes!
Por vezes me colocam de canto chorado; outras vezes me fazem chorar de tanto rir.
É um sentimento tão antagônico!
Descobri com eles e com as minhas tentativas de acertos quão grande é a minha responsabilidade, pois um professor pode alavancar ou enterrar os sonhos de seus alunos!
E como os meus alunos me ensinam! Como a convivência com eles tem sido prazerosa e, por vezes, frustrante!
Não sou mãe, mas penso que os meus alunos são como filhos já adultos!
Eu não posso me meter na vida deles, mas a minha influência e minhas marcas como professora são inevitáveis!
Rir, chorar, gargalhar e algumas vezes lamentar...
Sim! Todo professor tem a marca do ensino, que se eterniza na lembrança dos alunos, de forma positiva ou negativa!
Sinto que todo professor é um artista frustrado! Isso mesmo, pois ele tem o roteiro em mãos (o plano de aula), tem a plateia (os alunos), tem o palco (a sala de aula); só que muitas vezes não recebe os aplausos no fim do espetáculo (ao soar o sinal, ao finalizar a aula)...

Mas qual profissional não se frustra?!
Trabalhar com gente já é difícil; imagine com 25, 30, 40 pessoas ao mesmo tempo!
Alunos são investimentos lucrativos em longo prazo! São como sementes; demoram a frutificar, porém um dia vamos vislumbrar que o nosso esforço como professor valeu a pena!
Tenho, sim, essa expectativa, sou muito otimista!
Vale a pena ser considerada chata e exigente hoje!
Tenho certeza de que terei recompensas pelo bom desempenho na profissão que escolhi!

Publicado em 16 de dezembro de 2014