Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Uma ótima chance para ver o Rio

Alexandre Rodrigues Alves

O Rio de Janeiro é uma cidade mergulhada em artes, cheia de histórias para contar e com uma geografia inigualável. Pena que as pessoas (especialmente os cariocas) não reparem isso.

Para diminuir essa falha, o designer Luiz Eugenio Teixeira Leite passou 10 anos descobrindo e fotografando inúmeras construções, estátuas, fachadas de prédios públicos e privados que contenham elementos arquiteturais lotados de simbolismos, além de pesquisar seus autores e as histórias que estão por trás dessas obras – de arte, sim – quase todas elas localizadas no Centro da cidade.

São figuras de estilo eclético, feitas por artistas e artesãos, arquitetos, marceneiros famosos ou não. Ao pesquisar e registrar cada ornato, Luiz Eugenio motiva o restauro e a preservação dessas peças.

E essa pesquisa vem dando frutos: primeiro, foi o livro O Rio que o Rio não Vê, publicado pela Editora Aori em 2012; depois, o blog homônimo, apresentando alguns dos símbolos ornamentais das fachadas; o terceiro fruto foram passeios guiados pelo Centro da cidade, mostrando e analisando alguns dos prédios relacionados no livro e no blog.

Agora, por sugestão do Centro Cultural dos Correios, foi inaugurada uma exposição que apresenta algumas das fotos inseridas no livro, acrescentando comentários e a localização do prédio.

É muito interessante ler esse livro, pelo esmero em sua produção, pela qualidade das fotos e das informações; o mais engraçado é que é inevitável, ao folheá-lo, repetir a expressão “Nunca reparei isso!” ou “Como é que eu nunca vi essa figura!”.

Na exposição, essa sensação se confirma. Mais que isso, a vontade que dá é de sair pelas ruas e observar ornamento a ornamento, fachada a fachada, descobrindo que Luiz Eugenio, com amor pela cidade e atenção pelo visitante, reuniu.

Acredito que os professores terão ainda outro pensamento: “Vou trazer meus alunos!”. E não depende da matéria que leciona, não, pois a exposição mostra figuras que interessam à História, à Geografia, à Geometria, à Física e, é claro, às Artes Plásticas...

O problema é que, depois de visitar a mostra, ninguém mais anda olhando pro chão... E serão inevitáveis os tropeções pelas calçadas irregulares da nossa cidade.

Essa é uma exposição digna de ver, para vermos o Rio com outros olhos, muito mais atentos – espírito que devemos provocar sempre em nossos alunos, não é mesmo?

Em tempo: a exposição vai até 16 de março de 2014, de terça-feira a domingo. E é de graça!

Ah, o endereço do blog é: http://orioqueorionaove.com/.

Ficha técnica da exposição:

  • Título: O Rio que o Rio não vê
  • Autor: Luiz Eugenio Teixeira Leite
  • Gênero: Fotografia
  • Produção: Centro Cultural dos Correios

Publicado em 11/02/2014

Publicado em 11 de fevereiro de 2014