Pegada hídrica

Any Bernstein

Professora da Fundação Cecierj

Riva Roitman

Professora da UFRJ

Conceito de pegada hídrica

A pegada hídrica (PH) é uma medida da extensão do uso da água consumida pela população. É definida como o volume total de água doce que é utilizado para produzir os bens e serviços consumidos por indivíduos e comunidades; a pegada hídrica mede impactos que as atividades humanas causam na hidrosfera, monitorando os fluxos de água "aparentes e ocultos". Mede, também, a apropriação de recursos hídricos e complementa o conceito tradicional e restrito de captação de água.

A pegada hídrica de um país é definida como o volume de água necessário para a produção dos bens e serviços consumidos pelos habitantes do país. Pegada hídrica interna é o volume utilizado de água de recursos hídricos nacionais; pegada hídrica externa é o volume utilizado de água em outros países para produzir bens e serviços importados consumidos pelos habitantes do país. Estudos feitos em 2001 demonstraram que os EUA tinham pegada de água média de 2.480m3/hab/ano, enquanto a China tinha pegada média de 700m3/hab/ano; no Brasil chega-se a valores de 2.027m3/hab/ano, e pegada hídrica média global é de 1.240m3/hab/ano.

A PH foi introduzida com o propósito de ilustrar as relações pouco conhecidas entre o consumo humano e o uso da água. Seus cálculos são aplicáveis no comércio global e na gestão de recursos hídricos, que é vista comumente como uma questão local ou, no máximo, como um problema que ocorre no âmbito de uma bacia hidrográfica.

O comércio de água virtual ocorre quando produtos são comercializados de um lugar para outro. Considerando que o uso da água doce está relacionado com a produção agrícola, a PH de uma nação tem componentes internos e externos, dependendo do consumo dos recursos hídricos dentro ou fora do país.

Os quatro principais parâmetros diretos que determinam a pegada hídrica de um país são: volume de consumo (relacionado com a renda nacional bruta); padrão de consumo (por exemplo, alto e baixo consumo de carne); clima (condições de crescimento) e práticas agrícolas (eficiência de uso da água).

Para quantificar, ao longo de todo o ciclo, o consumo da água, tanto de forma direta (uso pelo consumidor) quanto da indireta (uso pelo produtor), a Organização Internacional Water Footprint criou o conceito de "pegada hídrica". A pegada hídrica pode ser considerada um indicador abrangente do uso da água em diferentes contextos.

A pegada hídrica mostra os volumes de consumo de água de origens (fontes) diferenciadas: pegada hídrica azul de um produto refere-se ao consumo de água azul (águas superficiais e subterrâneas) ao longo de sua cadeia produtiva; a pegada hídrica verde refere-se ao consumo de água verde (armazenamento de água da chuva, do ar-condicionado etc.). A pegada hídrica cinza é definida como o volume de água doce necessário à remediação de águas poluídas para alcançar concentrações naturais compatíveis com padrões de qualidade.

Resumindo: além das PHs de mercadorias e indivíduos, os indicadores de consumo integram o uso da água e da poluição sobre a cadeia de produção, considerando a ligação entre o local e o consumo global dos recursos hídricos aferidos.

Consumo da água doce

Parte da água doce é usada para a higiene pessoal, para lavar roupas e utensílios e para a manutenção da limpeza de nossas habitações.

__clip_image002

A água é essencial na produção de energia elétrica, na limpeza das cidades, no preparo de materiais de construção, no combate a incêndios e na irrigação de jardins, entre outros usos. As indústrias utilizam grandes quantidades de água, seja como matéria-prima seja na remoção de impurezas, na geração de vapor e na refrigeração.

Conceito de água virtual

O conteúdo de água virtual de um produto (mercadoria, bem ou serviço) é definido como o volume de água doce usada para produzi-lo. Esse termo se refere à soma do uso da água nas diversas fases de produção, bem como o consumo direto e indireto ao longo de uma cadeia produtiva.

O termo “virtual” diz respeito ao fato de que a maioria da água usada no processo não está contida no produto; geralmente, o verdadeiro conteúdo de água contida nele é insignificante, se comparado ao conteúdo virtual de água.

A pegada hídrica de um indivíduo (ou de sua comunidade) pode ser estimada por indicadores que se baseiam na apropriação da água subjacente aos bens e serviços utilizados e por seus respectivos conteúdos de água virtual. Isso significa que, no consumo de alimentos de origem animal, há que se considerar a criação dele; nos de origem vegetal, seu cultivo, e assim por diante.

Um questionário elaborado pela Water Footprint Organization pode ser usado para dar uma ideia da pegada hídrica pessoal. Calcule aqui a sua PH.

Sustentabilidade do consumo de água

A sustentabilidade de uma pegada hídrica depende inteiramente de fatores locais, característicos da região. Por exemplo: uma PH grande torna-se sustentável em áreas ricas em água; ao contrário, mesmo uma PH pequena pode comprometer a sustentabilidade em áreas com escassez de água. Desse modo, o desmatamento e o reflorestamento afetam o processo hidrológico de tal forma que podem influenciar diretamente a disponibilidade de água.

A maioria dos usos de água ocorre na produção agrícola, além do significativo volume de água consumido e poluído nos setores industriais e domésticos. Os problemas de escassez e a poluição que ocorrem principalmente pelo uso de pesticidas na agricultura e pelos poluentes lançados no ar e na água pelas indústrias comprometem o uso da água doce, influenciando negativamente a pegada hídrica.

Você sabia?

Dentre todas as atividades humanas, a agricultura é a que mais consome água. Cerca de 70% de toda a água consumida no planeta são utilizados pela irrigação para produzir alimentos hidratados. Quando exportamos alimentos agrícolas, estamos exportando junto a água que foi necessária para produzi-los; e 9% da pegada hídrica total no Brasil vão para fora de nossas fronteiras, ou seja, exportamos água por meio de nossos produtos. Portanto, quando o Brasil exporta suas laranjas está exportando sua água para outros países. Em países onde há escassez de água, o problema é atenuado pela importação da água contida em vegetais, hortaliças e frutas de países que têm água.

Veja quanta água é consumida na produção de cada produto, segundo o sítio Water footprint Galery:

1 xícara de café       130L
1 kg de batata           132L
1kg de arroz             2.500L
1 g de manteiga          18.000L
1 kg de carne de frango  3.700L

Publicado em 26 de maio de 2015