Web-rádio na Educação: experiências formativas envolvendo a utilização de mídia radiofônica em escolas de Educação Básica de Minas Gerais

Cleder Tadeu Antão da Silva

Mestre em Educação Tecnológica (CEFET-MG), professor da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Alecir Francisco de Carvalho

Doutorando em Design (PUC-Rio), professor da Faculdade de Educação da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)

Aproximações entre educação, mídia e comunicação

O rádio, assim como outras mídias, tem exercido importante papel na sociedade contemporânea. De modo geral, os meios de comunicação influenciam os hábitos de consumo e de comportamento da população (Moran, 2007), muitas vezes se colocando como instrumento de poder com forte caráter ideológico (Moraes, 2002). No entanto, tais meios também têm possibilitado a democratização da informação (Raboy, 2005) em direção ao aperfeiçoamento das práticas comunicacionais envolvendo diferentes grupos sociais.

O crescimento do papel das mídias na sociedade tem exigido dos estudiosos e pesquisadores atuação no sentido de não só se apropriar dos diversos recursos midiáticos disponíveis como também de investigar de maneira profícua e sistematizada o fenômeno mídia, de modo especial no que se refere à sua relação com a educação, particularmente no campo das práticas educativas. Esse novo universo que se apresenta fez surgir novos campos de estudos e pesquisas, como a mídia-educação e a Educomunicação, como salientam Belloni (2005) e Soares (2015).

Nesse contexto de mudanças aceleradas, duas novas disciplinas ou áreas de estudo e pesquisa delineiam-se, embora ainda muito confusamente, em nossas universidades: mídia-educação (ou educação para as mídias), que diz respeito à dimensão “objeto de estudo” e tem importância crescente no mundo da educação e da comunicação [...]; e comunicação educacional, que se refere mais à dimensão “ferramenta pedagógica” e vai se desenvolvendo com uma nova “disciplina” ou campo que vem substituir e ampliar a “tecnologia educacional” (Belloni, 2005, p. 9).

A Educomunicação define-se como um conjunto das ações destinadas a integrar às práticas educativas o estudo sistemático dos sistemas de comunicação; criar e fortalecer ecossistemas comunicativos em espaços educativos; [...] e melhorar o coeficiente expressivo e comunicativo das ações educativas; como o uso dos recursos de comunicação (rádio, jornal, vídeo, internet) no processo de aprendizagem (Soares, 2015, p. 1).

Nesse particular, os estudos ligados ao campo da Educação têm buscado incorporar o debate sobre os impactos das mídias para a prática educativa das escolas e universidades. McLuhan (2000), ao discutir o desenvolvimento dos meios de comunicação, afirmava, já nas décadas de 1950 e 1960, que os recursos comunicacionais guardam em si especificidades que estabelecem relações diferentes com a informação, alterando, portanto, o seu sentido e a própria lógica de compreensão de mensagens e conteúdos veiculados por eles.

Outros pesquisadores, como Camões (2009) também têm apresentado reflexões pertinentes sobre a natureza das diversas mídias. Neste caso, é imprescindível que as instituições de ensino, como as escolas e universidades possam se apropriar desse debate, considerando que tais meios de comunicação fazem parte do ambiente social e cultural da maioria dos estudantes e educadores. Nesse sentido, Camões (2009) aponta um caminho possível para instituições de ensino que envolve a apropriação dessas linguagens, de forma que os sujeitos escolares se tornem agentes produtores de mídia numa perspectiva educativa e formativa:

Adultos e crianças encontram-se expostos a essa cultura midiática, uma vez que a experiência humana é caracterizada por uma diversidade de relações. [...] Nas relações estabelecidas com as produções culturais, criamos a nós mesmos e com elas compartilhamos questionamentos, descobertas, relações de poder. Assim, temos a oportunidade de sermos criadores e consumidores e a questão que se coloca é sobre a forma como nos apropriamos de novos conhecimentos e os utilizamos especialmente dentro da escola (Camões, 2009, p. 185).

A partir dessa perspectiva, as instituições de ensino, em seus diversos níveis, precisam caminhar numa direção que envolva a formação de professores e estudantes também para a produção de mídias, em oposição à lógica de exposição para o simples consumo. Nesse particular, as instituições educacionais devem atuar para que seu público apresente senso crítico, com capacidade de se posicionar, e que tenha condições de também conceber suas próprias produções. Foi a partir desse processo de valorização das diversas linguagens midiáticas que nasceu o propósito de repensar a utilização desses meios de comunicação nos mais diversos espaços educativos e escolares.

Utilizando web rádios na educação numa perspectiva dialógica entre escola e universidade

Foi com esse sentido que instituiu-se em 2013, na Faculdade de Educação da UEMG, em Belo Horizonte, o “Projeto Rádio Escola: a implantação de uma web-rádio comunitária como estratégia para a prática educativa em escolas de educação básica em Minas Gerais”. A proposta é resultado de uma pesquisa institucional denominada “O rádio: uma proposta de implementação de uma rádio educativa na FAE/UEMG”, iniciada no ano de 2009. Tal investigação teve o intuito de conhecer as possibilidades de implantação de mídias radiofônicas educativas e serviu de base para o entendimento das etapas necessárias à criação de uma web-rádio que, no contexto tecnológico atual, se apresenta como meio de comunicação de grande potencial didático-pedagógico.

A materialização do projeto ocorreu a partir da efetiva utilização do Espaço Poiesis de Educação e Mídia do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Educação, Comunicação e Tecnologia – NECT na FAE/UEMG. Esse espaço tem como principal finalidade a produção de mídias educativas e educacionais para os diversos níveis de ensino. Entre 2010 e 2011, a equipe do Espaço Poiesis desenvolveu projetos extensionistas com a contrapartida de programas da Universidade voltados à implantação de uma web-rádio de caráter educativo/comunitário para a FAE/UEMG em Belo Horizonte (veja mais em https://radioparaiba29.wordpress.com), de forma que esse recurso pudesse estar a serviço da comunidade acadêmica, a fim de promover maior interação entre docentes, discentes e servidores, além de ampliar e aperfeiçoar a comunicação dentro e fora da Universidade.

Figura 1: A) Espaço Poiesis/NECT; B) Reuniões de trabalho entre professores do NECT e gestores de uma das escolas parceiras; C), D) e E) Equipamentos e infraestrutura técnica disponível.
Fonte: Os autores

Em 2012, a web-rádio Paraíba 29 foi inaugurada na Faculdade de Educação, tendo se tornado um dos importantes canais de comunicação da UEMG, atuando não só no aperfeiçoamento do diálogo entre seus atores, mas também trazendo informação e cultura para a comunidade acadêmica. A partir dessa trajetória de pesquisa e ações de natureza extensionista, foi possível instituir no ano de 2013 o Projeto Rádio Escola como estratégia de aproximação da UEMG com a Educação Básica, no sentido de potencializar a utilização de web-rádios educativas e comunitárias, em ações envolvendo a formação de educadores, estudantes e comunidades escolares. Desse modo, o Projeto Rádio Escola teve os seguintes objetivos:

  • Promover a implantação de uma web-rádio comunitária como estratégia para a prática educativa em uma escola da rede pública municipal de Contagem-MG e uma escola da rede pública estadual de Belo Horizonte;
  • Oferecer subsídios para a formação continuada e em serviço dos professores e gestores da escola parceira por meio de oficinas temáticas e reflexões teóricas acerca dos processos que envolvem a utilização de rádios educativas;
  • Colaborar com a formação de estudantes bolsistas e alunos que integraram as equipes de implantação da rádio-escola de forma que esta mídia se colocasse como meio de interação e integração entre estudantes, professores e gestores escolares;
  • Colaborar para a implantação de uma infraestrutura necessária para o funcionamento de uma web-rádio escolar;
  • Contribuir com o Programa Institucional de Apoio a Extensão da Universidade do Estado de Minas Gerais (PaEx) de forma a difundir os conhecimentos acumulados nos campos da comunicação e tecnologia de maneira a colaborar tanto para a formação continuada de professores da Educação Básica como dos estudantes envolvidos na implantação da rádio-escola, no sentido de integrar os diversos atores inseridos nas ações de extensão visando sobretudo à aproximação entre universidade e sociedade.

Desse modo, o processo de implantação da web-rádio na Escola seguiu três etapas distintas:

      • Foi promovida a formação de estudantes bolsistas da FAE/UEMG, tanto do ponto de vista técnico quanto do ponto de vista pedagógico, de forma a correlacionar o conhecimento produzido entre a Universidade e as instituições escolares parceiras;
      • Estabeleceu-se um diálogo permanente e próximo com escolas no sentido de reconhecer suas demandas/necessidades e prioridades; ali também se estabeleceram estratégias de formação continuada dos professores em serviço, via escolha de um educador-multiplicador que seria a referência para a implantação da rádio no espaço escolar, com o auxílio da equipe da Universidade;
      • Colaborou tecnicamente para a montagem da infraestrutura da web-rádio na escola, por meio da realização de várias visitas técnicas e algumas consultorias que envolveram desde a parte de captação, produção e edição de áudio em softwares específicos até o processo de instalação de equipamentos necessários para utilização da na nova mídia educativa em implantação.

Web-rádio na escola: caminhos para uma implantação efetiva

Com a utilização da infraestrutura do Espaço Poiesis na FAE/UEMG e a experiência prática e teórica de sua equipe de professores-pesquisadores, foi possível promover a formação de estudantes-bolsistas tanto em relação aos aspectos teóricos dos campos da mídia-educação e Educomunicação quanto aos aspectos metodológicos da comunicação em rede. Por meio dessa ação foi possível favorecer a compreensão dos processos básicos de funcionamento de web-rádios, especialmente nos aspectos relacionados à produção e à gestão de conteúdos didático-pedagógicos via linguagem radiofônica.  Desse modo, criou-se uma estrutura para ser replicada na implantação de novas rádios escolares, estabelecida a partir de três eixos conforme o esquema da Figura 2.

Figura 2: Esquema geral elaborado pela equipe de professores para a
implantação de web-rádios em instituições escolares.
Fonte: Os autores.

Com isso, os estudantes-bolsistas com o suporte da equipe da web-rádio Paraíba 29 foram os agentes ativos na construção de propostas que relacionaram a linguagem do rádio às estratégias pedagógicas e comunicacionais do recurso. Tais estratégias favoreceram a difusão de diversos conhecimentos, a partir da exploração de várias metodologias, que vão desde os programas de debate e entrevistas dialogadas até o uso do rádio como suporte de informação para a comunidade. Os bolsistas, em conjunto com os professores extensionistas, planejaram e ofereceram oficinas voltadas à capacitação de professores, gestores e alunos da Educação Básica nas escolas parceiras.

Figura 3: A) Equipe de professores e estudantes bolsistas; B) Brindes de divulgação da web-rádio.
Fonte: Os autores

No caso das ações promovidas nas escolas parceiras, a equipe extensionista da web-rádio Paraíba 29 colaborou com a montagem de uma infraestrutura técnica para implantação das rádios escolares. Nesse caso, contribuiu-se com sugestões das especificações dos equipamentos a serem adquiridos, dos softwares a serem utilizados, montagem de estúdio para captação, gravação e reprodução de áudio em formato digital. Esse processo foi realizado por meio de visitas técnicas às escolas parceiras e foi programado durante todo o ano, respeitando os limites da instituição em relação à sua dinâmica interna e à disponibilidade financeira.

A equipe extensionista, composta por professores e estudantes bolsistas, alcançou ainda outros resultados durante o desenvolvimento do projeto no ano de 2013:

  • Promoveram-se orientação e montagem da infraestrutura das rádios escolares das seguintes escolas: Municipal Vasco Pinto da Fonseca, no município de Contagem-MG, e Estadual Coração Eucarístico, no município de Belo Horizonte;
  • Estabeleceu-se diálogo estreito e permanente entre escola e universidade a partir do projeto onde se procurou ouvir as demandas e necessidades dessas instituições, por meio de reuniões periódicas, visitas técnicas e realização de oficinas temáticas nas áreas de pauta para programação, operação de softwares para edição de áudio, gerenciamento de programação, ajustes, regulagens e conversões em formatos de arquivos de áudio, construção de bancos de dados e confecção de interfaces para interatividade do público via redes sociais e blog;
  • Consolidou-se a web-rádio Paraíba 29 da FAE/UEMG de Belo Horizonte como um meio de comunicação com potencial didático, educativo e pedagógico e promotor de práticas de formação continuada de educadores e com rico potencial transversal de grupos de estudo e trabalho com os estudantes da Educação Básica por meio de intervenções pedagógicas: oferta de minicursos, palestras educativas e estruturação de formatos de programas, padrão educativo de programação, locuções entre outros.

Figura 4: A) Realização da etapa de formação de professores; B) Acompanhamento do processo de construção do estúdio de gravação; C) Acompanhamento da etapa de instalação da infraestrutura necessária ao projeto; D) Reuniões e visitas técnicas.
Fonte: Os autores

Considerações finais

O Projeto Rádio Escola: a implantação de uma web-rádio comunitária como estratégia para a prática educativa em escolas de educação básica em Minas Gerais obteve êxito em parte das ações previstas em sua proposta original. Destacam-se a formação dos estudantes bolsitas atuantes na equipe de produção da web-rádio Paraíba 29, a capacitação de professores-coordenadores das rádios nas escolas e colaboração técnica para montagem da infraestrutura da mídia radiofônica nas instituições parceiras.
Cabe especial destaque ao efetivo posicionamento das escolas envolvidas no projeto no que se refere à apropriação e valorização desse tipo de linguagem midiática. Ressalta-se, ainda, a capacidade do projeto de catalisar a proposta de utilização do rádio no espaço escolar, estando a serviço dessas comunidades como elemento facilitador da comunicação, com um viés democrático, participativo e inclusivo.

Referências

BELLONI, M. L. O que é Mídia-Educação? Campinas: Autores Associados, 2005.

CAMÕES, M. C. L. S. Práticas culturais e formação de professores: desafios e perspectivas. In: GOUVEIA, G.; NUNES, M. F. (orgs.). Crianças, mídias e diálogos. Rio de Janeiro: Rovelle, 2009. Cap. 9, p. 175-192.

KERKHOVE, D. A pele da cultura: investigando a nova realidade eletrônica. São Paulo: Annablume, 2009.

MCLUHAN, M. Visão, som, fúria. In: LIMA, L. C. Teoria da cultura de massa. São Paulo: Paz e Terra, 2000. Cap. 4, p. 153-162.

MORAES, R. A. Mídia e educação. Revista Conect@, Rio de Janeiro, nº 4, fev. 2002. Disponível em: http://www.revistaconecta.com/conectados/rachel_midia_educacao.htm. Acesso em: 10 mar. 2011.

MORAN, J. M. A educação que desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas: Papirus, 2007.

RABOY, M. Mídia e democratização na sociedade da informação. RABOY, M. Mídia e democratização na sociedade da informação. In: MARQUES DE MELO, J.; SATHLER, L. Direitos à comunicação na sociedade da informação. São Bernardo do Campo: Umesp, 2005. Disponível em: http://www.lucianosathler.pro.br/site/images/conteudo/livros/direito_a_ comunicacao/181_201_
midia_democratizacao_raboy.pdf. Acesso em: 10 mar. 2011.

SOARES, I. O. Mas, afinal, o que é Educomunicação? Disponível em: http://www.usp.br/nce/wcp/
arq/textos/27.pdf. Acesso em: 12 mai. 2015.

Publicado em 15 de setembro de 2015