Os objetivos da Educação Física na escola e sua relação com a saúde segundo professores de uma universidade federal no Rio de Janeiro

Felipe Lameu dos Santos

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Educação (UFF), professor de Educação Física da rede estadual do Rio de Janeiro

Introdução

Nesse trabalho buscamos compreender qual é o principal objetivo da Educação Física na escola e sua relação com a saúde na visão cinco professores de um curso de Licenciatura em Educação Física de uma universidade federal do Rio de Janeiro. Desses cinco professores, dois ministram disciplinas ligadas às Ciências Fisiológicas e três disciplinas ligadas à Educação Física Escolar. Separamos os professores nesses dois grupos para facilitar a análise e utilizamos como critério para divisão sua formação acadêmica, as disciplinas que ministram e seus interesses de pesquisa e extensão.

Para atingir nossos objetivos, realizamos com os professores entrevistas semiestruturadas com roteiros validados pelos professores doutores Lana Claudia de Souza Fonseca e Lia Maria Teixeira de Oliveira (UFRRJ/IE/DTPE) e Luiz Celso Pinho (UFRRJ/ICHS/Depto. Filosofia). Consideramos entrevista todo tipo de comunicação ou diálogo entre um pesquisador e um depoente (Tozoni-Reis, 2009) e entrevista semiestruturada como aquela em que as questões são apresentadas de forma mais espontânea a partir de um roteiro previamente estipulado. Nosso roteiro de entrevista possuía três eixos temáticos: Formação profissional, Objetivos da Educação Física Escolar e Educação Física e saúde.

Para resguardar o anonimato dos professores entrevistados, escolhemos citá-los como: professor de Ciências Fisiológicas 1, professor de Ciências Fisiológicas 2, professor de Educação Física Escolar 1, professor de Educação Física Escolar 2 e professor de Educação Física Escolar 3.

Resultados e discussão

Formação acadêmica

Dos cinco professores entrevistados, apenas um fez graduação em Medicina; os outros quatro são de Educação Física. Dentre os professores, apenas o médico possui o grau de especialista; segundo esse professor, sua carreira de médico não deu condições de se dedicar aos estudos em pós-graduação stricto sensu. Os demais possuem especializações, mestrado e doutorado. O professor de Ciências Fisiológicas 2 ainda está com o doutorado em curso.

Quadro 1: Graduação e pós-graduações lato sensu dos professores

Professor Graduação Especialização
Ciências Fisiológicas 1 Medicina Pediatria; Fisiologia; Medicina Desportiva
Ciências Fisiológicas 2 Educação Física Ciência da Performance Humana
Educação Física Escolar 1 Educação Física Ginástica Rítmica; Ciência da Performance em Academia
Educação Física Escolar 2 Educação Física Treinamento Desportivo; Linguística
Educação Física Escolar 3 Educação Física Didática do Ensino Superior; Administração universitária

Quadro 2: Pós-graduações stricto sensu dos professores

Professor Mestrado Doutorado
Ciências Fisiológicas 1
Ciências Fisiológicas 2 Educação Física Ciências Fisiológicas (em andamento)
Educação Física Escolar 1 Ciência da Motricidade Humana Educação Física
Educação Física Escolar 2 Educação Física e Cultura Linguagem
Educação Física Escolar 3 Educação Física Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade

Como pode se notar nos quadros 1 e 2, apenas o professor de Educação Física Escolar 3 não possui especializações na área de treinamento. O fato de os professores de Educação Física Escolar possuírem especializações na área de treinamento se deu porque, no período em que foram realizadas (década de 1980), a área da Educação Física ainda passava por um período de transição de um conhecimento altamente esportivizante para outros saberes (Bracht, 1999). Isso pode ser constatado a partir da fala de um dos professores:

Eu me formei em Educação Física em 1987 e fui fazer uma pós em treinamento desportivo, porque essa prática de esporte, de treinamento e de aptidão física ainda era muito forte na década de 1980; então, em 1989, eu fiz treinamento desportivo na Gama Filho. Depois que eu fui conhecendo mais autores voltados para uma Educação Física crítica, uma Educação Física política, comecei a ler a literatura nessa área política, crítica e de emancipação social através da Educação Física.(Educação Física Escolar 2).

No nível de pós-graduação stricto sensu, podemos notar maior proximidade entre o curso de pós-graduação e as áreas de interesse no magistério superior; os professores de Educação Física Escolar realizaram cursos ligados às Ciências Humanas e o de Ciência Fisiológica realizou curso na área de Biologia.

Objetivos da Educação Física Escolar

Aqui encontramos grande diferença entre os dois grupos de professores. Para aqueles ligados às ciências fisiológicas, o principal objetivo da Educação Física na escola é o aprimoramento das qualidades motoras dos alunos, como podemos notar nas falas a seguir:

Eu acho a Educação Física Escolar da maior importância; teria que explorar principalmente o desenvolvimento da aprendizagem motora (Ciências Fisiológicas 1).
Eu acredito que, de maneira geral, o grande objetivo da Educação Física seria oportunizar para esses estudantes um modo de ampliar a sua vivência motora (Ciências Fisiológicas 2).

A proposta desses professores parece ser influenciada pelos estudos de Tani et al (1998), que acreditam que o objetivo da Educação Física Escolar é desenvolver habilidades motoras nos alunos, oferecendo experiências motoras adequadas ao desenvolvimento motor de cada faixa etária. Contudo, para os professores ligados às Ciências Fisiológicas, esse não é o único objetivo da Educação Física Escolar. Eles apontam também que a Educação Física deve criar o hábito da atividade física sistemática.

É essa a hora de acostumar o individuo para a prática de atividade física. Quando você não acostuma a fazer as coisas quando criança, depois para você se acostumar é muito difícil (Ciências Fisiológicas 1).

Nas falas dos professores ligados à Educação Física Escolar podemos perceber que o principal objetivo da disciplina é instrumentalizar o aluno com os conhecimentos da Cultura Corporal de Movimento, buscando criar um cidadão crítico, participativo e autônomo.

Eu acredito que a Cultura Corporal de Movimento seja o carro-chefe dessa atividade na escola. [O objetivo da Educação Física] em primeiro lugar é proporcionar ao aluno a descoberta do seu próprio corpo, o aluno precisa participar de atividades corporais para que ele se conheça; também buscamos a interação social, o respeito ao próximo, o desenvolvimento da cidadania e a incorporação da Educação Física como oportunidade de manutenção da saúde (Educação Física Escolar 1).

Formar um aluno autônomo, crítico e criativo, com sólido conhecimento da Cultura Corporal de Movimento. Eu acho que esses são os objetivos mais emergentes e mais urgentes (Educação Física Escolar 2).

Na minha visão, o objetivo principal da Educação Física é a formação integral do ser humano, a formação integral, crítica, humanística, solidária, é trabalhar cidadania e os valores, esse que é o verdadeiro papel da Educação Física, [e os] conteúdos seriam os próprios da cultura corporal do movimento (Educação Física Escolar 3).

Sobre o discurso do conhecimento da Educação Física, Bracht (1999) aponta que a Cultura Corporal de Movimento já alcançou certa unanimidade no debate acadêmico da Educação Física Escolar. Contudo, é importante perceber que essa expressão não foi citada nenhuma vez pelos professores das Ciências Fisiológicas, ou seja, a discussão sobre a Cultura Corporal de Movimento parece estar restrita aos campos pedagógicos e não à Educação Física como um todo.

Com relação ao objetivo de criar um cidadão autônomo e participativo que possa usufruir de forma crítica dos conhecimentos da Cultura Corporal de Movimento, parece-nos que os professores de Educação Física Escolar são influenciados pelas teorias críticas da Educação Física, enquanto os das Ciências Fisiológicas estão mais voltados para o desenvolvimento motor.

Educação Física e saúde

Para a grande maioria dos professores entrevistados, o conceito de saúde se aproximou da proposta da Organização Mundial da Saúde (OMS), que é entender saúde como um bem-estar biopsicossocial.

Eu vou te dizer o conceito da OMS. Saúde é um bem-estar físico, mental e social. Quer dizer uma coisa ampla, não apenas um estado físico. Nós sabemos o quanto a parte social interfere na saúde, o quanto a parte mental interfere na saúde. Então é um bom estado de saúde física, mental e social (Ciências Fisiológicas 1).

Eu acho que saúde se aproxima muito desses conceitos; que não é a ausência de doença e sim um bem-estar do todo. Bem-estar das minhas relações sociais, das minhas relações afetivas, das minhas relações psicológicas, o meu bem-estar físico, bem para fazer atividade física. Então saúde teria esse conceito mais genérico e universal. Mas instituído também por essas organizações que falam de saúde (Educação Física Escolar 2).

O único professor que não utilizou o conceito da OMS pensou saúde de forma parecida com a proposta de saúde desenvolvida por Georges Canguilhem, em que, segundo Palma, Estevão e Bagrichevsky (2003), a saúde é a margem de tolerância às ações agressivas que o indivíduo está exposto, ou seja, saudável é aquele que consegue agir e reagir às doenças e a outros fatores estressantes.

Embora os professores do grupo de Educação Física Escolar considerem aspectos psicossociais no seu conceito de saúde, quando começamos a aproximar a Educação Física da saúde eles começam a dar mais ênfase aos aspectos biológicos.

A gente tem que orientar o nosso aluno de como ele deve realizar adequadamente uma atividade física, tipo de alimentação, atividades do dia a dia (Educação Física Escolar 1).

Eu acho que, até porque a Educação Física tem um papel que deve ser cumprido por ela, pela Biologia e outras áreas, de dar o esclarecimento para o aluno da importância do exercício físico para a saúde e o que pode ser feito do que não pode ser feito, orientações nutricionais, orientações de qualidade de vida (Educação Física Escolar 3).

Na fala desses professores, mesmo eles tenso formação na área de Ciências Humanas e Sociais, mesmo sendo responsáveis por disciplinas voltadas à Educação Física Escolar, percebemos uma relação muito forte entre o exercício físico e os aspectos puramente físicos e biológicos da saúde. Apenas Educação Física Escolar 2 problematizou a questão da saúde em seus aspectos sociais.

Como eu posso promover a saúde sabendo que fora do seu contexto escolar [o aluno] vive em condições subumanas? Então como a Educação Física pode promover a saúde num contexto desses, num contexto de miséria, pobreza e insalubridade? (Educação Física Escolar 2).

Para os professores ligados às Ciências Fisiológicas, a relação entre Educação Física e os aspectos biológicos da saúde parece ainda mais estreita.

[A relação entre Educação Física e saúde] é total, porque a gente não pode esquecer o conceito de higiene, que é um principio que rege a Educação Física. Higiene é a capacidade de você manter, melhorar e ampliar a sua saúde. Então, dentro desse conceito de higiene, a Educação Física mantém, melhora e até amplia a sua capacidade de saúde. Isso é amplamente comprovado na literatura cientifica. O nível de mortalidade muda, o nível de infecção muda, o risco relativo de determinadas doenças diminui, a capacidade respiratória melhora, alterações comportamentais também são influenciadas pela Educação Física (Ciências Fisiológicas 2).

Esse professor vai ainda mais longe em suas proposições quando diz:

Eu acho até um pouco perigoso a gente tentar afastar a Educação Física da saúde; isso não tem como. Eu acredito que não exista forma de isso acontecer. É como afastar a Medicina da saúde. Eu encaro hoje a Educação Física como um tratamento não farmacológico para uma série de doenças (Ciências Fisiológicas 2).

Nessa ultima categoria do trabalho, podemos perceber que a relação entre Saúde, exercício físico e Educação Física parece estar muito mais afeita às dimensões biológicas. Tanto no discurso dos professores de Educação Física escolar quanto nos de Ciências Fisiológicas.

Considerações finais

Em nossas entrevistas buscamos compreender qual é o papel da Educação Física na visão dos professores entrevistados e quais são suas relações com a saúde. Percebemos que, com relação aos objetivos da Educação Física, os professores de Ciências Fisiológicas são mais influenciados por teorias que pensam como principal objetivo da Educação Física na escola o desenvolvimento motor e da aptidão física. Para os professores de Educação Física Escolar o principal objetivo é desenvolver os conhecimentos da Cultura Corporal de Movimento, buscando criar um cidadão crítico, participativo e autônomo.

Com relação à saúde, os professores entrevistados se utilizam de um conceito de saúde como bem-estar biopsicossocial, muito próximo daquele defendido pela OMS. Contudo, quando se começa a fazer correlação entre saúde e Educação Física, os professores parecem acreditar que sua intervenção está mais ligada aos aspectos biológicos do ao corpo biológico.

Referências

BRACHT, V. A constituição das teorias pedagógicas da educação física. Cadernos do Cedes (Unicamp), Campinas, v. XIX, nº 48, p. 69-88, 1999.

PALMA, A.; ESTEVÃO, A.; BAGRICHEVSKY, M. Considerações teóricas acerca das questões relacionadas à promoção da saúde. In: BAGRICHEVSKY, M.; PALMA, A.;ESTEVÃO, A. (orgs.). A saúde em debate na Educação Física. Blumenau: Edibes, 2003.

TANI, G. et al. Educação Física escolar: fundamentos de uma abordagem desenvolvimentista. São Paulo: EPU/Edusp, 1998.

TOZONI-REIS, M. F. C. Metodologia da pesquisa. 3ª ed. Curitiba: Iesde Brasil, 2009.

Publicado em 08 de dezembro de 2015