Saúde na escola: discutindo a questão da obesidade

Adriana Oliveira Bernardes

Mestre em Ensino de Ciências (UENF)

Introdução

As doenças crônicas figuram hoje no mundo como principal causa de mortalidade e incapacidade, responsáveis por 59% dos óbitos anuais. Entre os fatores que mais contribuem para as doenças crônicas está a obesidade, que hoje em dia transformou-se num problema de saúde pública; o número de casos, tanto no Brasil quanto no resto do mundo, vem aumentando a cada ano.

A obesidade é uma doença crônica que se caracteriza pelo excesso de gordura no corpo, que pode trazer grandes problemas para o indivíduo; entre os principais estão a hipertensão arterial e o diabetes melitus.

A obesidade resulta do desequilíbrio entre atividade física e consumo de alimentos de alto teor calórico. Em todo o mundo já contamos com mais de um bilhão de adultos com excesso de peso; nos Estados Unidos, país com maior índice de obesos, eles já são 50% da população. No Brasil temos a estimativa de 32% dos adultos, sendo que 25% deles apresentam obesidade séria; já foi observado que, por motivos diferentes, o problema ataca tanto a população com alto poder aquisitivo quanto os que vivem na pobreza.

Entre as principais causas da obesidade temos o consumo crescente de dietas altamente energéticas, isto é, maus hábitos alimentares são os principais responsáveis pelo problema. Foi divulgado recentemente que os hábitos alimentares do brasileiro mudaram, tendendo hoje a uma alimentação bem mais calórica que trinta anos atrás.

Dentro das escolas, esse tema pode ser trabalhado com o intuito de oferecer aos alunos orientações sobre as conseqüências do aumento de peso e até mesmo do sobrepeso, que muitos alunos hoje possuem – inclusive os de nossa escola.

Sabemos hoje que uma educação integral passa também pela orientação em relação a alimentação saudável e atividades físicas regulares, que contribuiriam não só para o controle do peso, mas também em relação ao não desenvolvimento de doenças graves como o câncer.

Uma boa alimentação ajudaria o indivíduo não só a controlar seu peso, como também diminuiria a possibilidade de que ele viesse a ter várias doenças; a escola não pode nem deve se isentar de discutir um tema tão importante, que certamente contribuirá muito para que o aluno viva melhor.

O problema da obesidade é sério e traz muitas preocupações hoje em dia, quando se sabe que o adolescente obeso terá chance de se transformar num adulto obeso. Vem daí a importância de ações na escola que possibilitem ao aluno conhecer melhor o assunto, os alimentos adequados a seu consumo e a importância da atividade física.

Objetivos

  • Entender melhor o assunto obesidade e suas causas
  • Obter peso, idade e IMC (Índice de massa corpóreo dos alunos) de alunos e professores
  • Entrevistar pessoas que sofrem com o problema

Desenvolvimento do trabalho

Inicialmente foi realizada pesquisa na escola para quantificar o número de alunos que sofriam com aumento de peso. A pesquisa foi realizada em todos os segmentos de ensino da escola e foram obtidos os dados que possibilitarão o cálculo do índice de massa corpórea dos alunos.

Com esses dados, foram criados os gráficos que seriam apresentados à comunidade escolar, juntamente com várias informações sobre a questão da obesidade.

Os alunos seguiram entrevistando médicos e nutricionistas sobre a questão e algumas pessoas da comunidade que estavam acima do peso, obtendo declarações a respeito do problema.

Enquanto as entrevistas eram realizadas, os alunos pesquisavam, na biblioteca da escola e na internet, mais informações sobre o assunto.

Entre as várias pessoas da comunidade que sofrem do problema obesidade algumas delas já apresentam obesidade mórbida. Junto a essas pessoas foram feitos esclarecimentos e visitas à residência.

Um médico e uma nutricionista fizeram palestra sobre o assunto, trazendo para a escola um momento de informação sobre saúde, alimentação e obesidade. Vários folhetos explicativos circularam pela escola falando de obesidade e alimentação saudável.

Oficinas foram realizadas com as crianças para que elas conhecessem os alimentos que são mais benéficos à saúde.

Sabendo que a obesidade é fator de risco para uma série de doenças ou distúrbios, como hipertensão arterial, doenças vasculares, diabetes, câncer, coledocolitíase, distúrbios menstruais e apneia do sono, entre outros, realizamos pesquisa com o grupo da comunidade escolar considerado obeso para saber se eles sofriam desses problemas.

Foi criado o movimento Mexa-se JQ, no qual pessoas se reuniram para praticar atividade física e receber orientações num domingo.

Resultados

As entrevistas com pessoas da comunidade mostraram uma realidade importante em relação ao mundo das pessoas acima do peso: muitas delas relatavam ter sofrido com preconceito por estarem acima do peso.

A visita à casa de alunos foi realizada a partir dos dados obtidos na pesquisa sobre peso e altura dos alunos, pois tinha como objetivo conscientizar a família para o problema e orientar em relação à importância da alimentação saudável e atividade física; os alunos tiveram contato com vários problemas enfrentados pelos pais que foram relatados aos alunos.

Em relação à alimentação dos alunos, foi observado que o número de frutas consumidas pelos alunos não é o ideal, visto que a maioria deles (49%), consome apenas uma porção por dia, e 19% não consomem nenhuma porção, o que é bem alto.

Também é preocupante o consumo de vegetais por alunos: 23% dos alunos não consomem nenhuma porção de vegetais por dia, ao passo que a freqüência com que são consumidos alimentos gordurosos é enorme: 37% consomem três vezes por semana ou todos os dias, quando seria ideal que esse tipo de alimento fosse consumido raramente.

Na comunidade escolar, 54% dos alunos consomem gorduras todos os dias ou 3 ou 4 vezes por semana.

Outro dado assustador é o número de pessoas que consome frituras três vezes por semana ou mais: 44% dos alunos.

A porção de massas que deve ser consumida por dia também não é a ideal: 58% consomem de 2 a 3 porções por dia, quando o ideal seria de 6 a 11.

De todas as perguntas, o único dado que ficou dentro do ideal foi o número de refeições feitas por dia: entre três e quatro refeições.

A pesquisa sobre os alimentos mais consumidos pelos alunos ainda não foi realizada; de acordo com o cronograma do projeto será realizada em setembro e posteriormente avaliada.

Gráficos da pesquisa sobre IMC dos alunos do C. E. Jaime Queiroz de Souza

Considerações finais

O fato de nos propormos a discutir uma questão tão atual e que traz problemas para tantas pessoas mobilizou a escola e alertou para conseqüência do aumento de peso, e, de maneira geral, orientou as pessoas sobre questões relacionadas à saúde.

O fato de visitarmos as casas dos alunos onde foram detectados problemas de sobrepeso, obesidade ou quando eles se encontravam bem abaixo do peso colocou os alunos em contato com vários problemas enfrentados pelas famílias e serviu de aprendizado para eles.

A pesquisa mostra que é grande o número de pessoas que consomem gordura em excesso e frituras todos os dias. As pessoas não consomem água em quantidade suficiente e necessitam realmente de orientação a respeito do tema.

Um médico e uma nutricionista foram convidados para realizar palestras para os alunos sobre alimentação saudável, sendo dadas orientações para que a alimentação na escola seja adequada aos alunos.

Mais do que uma pesquisa que abordava temas como obesidade, alimentação saudável e atividade física, o trabalho conscientizou e esclareceu os vários segmentos da escola – direção, funcionários, alunos e a comunidade – a respeito de várias questões importantes.

Referências

Doenças crônico-degenerativas e obesidade: estratégia mundial, sobre alimentação saudável, atividade física e saúde.

2003 Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde

OMS. Relatório sobre a Saúde do Mundo. 2002.

Obesidade, Cadernos de Atenção Básica no 12. Série normas e manuais técnicos. Brasília, 2006.

Obesidade e Desnutrição, Nut/FS/UnB, 2006.

Sites visitados

Organização Mundial da Saúde
Disponível em: www.who.int/mediacentre/releases/2003/pr27/es/ (20/07/2003)

Organização Pan-Americana da Saúde
Disponível em: www.opas.org.br/mostradestnoti.cfm?codigodest=151 (20/07/2003)

Hospital do Câncer
Disponível em: www.hcanc.org.br/nutrionco.html (21/07/2003)

Instituto Nacional do Câncer
Disponível em: www.inca.org.br/prevencao/10dicas.html (21/07/2003)

Ministério da Saúde
http://www.saude.gov.br/alimentacao/
http://bvsms.saude.gov.br

Site do projeto
http://saude.zip.net/

Anexo 1

Pesquisa de Campo Obtenção de Peso e Altura dos alunos do CEJQS

Aluno:______________________________________________  Série:__________

Idade:_______         Peso:_______  Altura: _______

  1. Você se preocupa com seu peso?
    (  ) Sim   (  ) Não
  2. Você faz algum tipo de exercício físico?
    (  ) Sim   (  ) Não
  3. Você considera sua alimentação saudável?
    (  ) Sim   (  ) Não
  4. Você já fez algum tipo de dieta?
    (  ) Sim   (  ) Não
  5. Alguém na sua família já teve hipertensão ou diabetes?
    (  ) Sim   (  ) Não

Anexo 2

Pesquisa de campo sobre a alimentação do alunos do C.E. Teotônio Brandão Vilela

Aluno:______________________________________________  Série:__________

Idade:_______         Peso:_______  Altura: _______

  1. Quantas porções de frutas frescas, secas ou sucos você consome por dia?
    1. Nenhuma
    2. Uma
    3. Duas
    4. Três
  2. Quantas porções de vegetais crus ou cozidos você consome por dia?
    1. Nenhuma
    2. Uma
    3. Duas
    4. Três
  3. Com que frequência você consome alimentos gordurosos?
    1. Quase todos os dias
    2. 3 a 4 vezes por semana
    3. 1 a 2 vezes por semana
    4. 1 vez a cada 15 dias/raramente/nunca
  4. Qual é total de porção de massa você consome por dia?
    1. Nenhum ou um
    2. 2 a 3 porções
    3. 4 a 5 porções
    4. 6 a 11 porções
  5. Quanto de açúcar você consome por dia?
    1. Mais de cinco colheres por dia
    2. 4 a 5 colheres por dia
    3. 2 a 3 colheres por dia
    4. 1 colher por dia
  6. Quantas refeições você faz por dia?
    1. 1 refeição por dia
    2. 2 refeições por dia
    3. 3 refeições por dia
    4. 4 ou mais refeições por dia
  7. Com que frequência você consome frituras?
    1. 3 vezes por semana ou mais
    2. 1 a 2 vezes por semana
    3. Menos de 1 vez por semana
    4. Raramente
  8. Quantos copos de água você consome por dia?
    1. Nenhum
    2. 1 a 4 copos por dia
    3. 5 a 7 copos por dia
    4. 8 ou mais copos por dia

Publicado em 11 de outubro de 2016