A Grécia fora da base curricular nacional

A discussão sobre a Base Nacional Comum Curricular continua – nas redes sociais, na academia e na grande mídia, e o foco permanece nos conteúdos de História. Desta vez, é Paulo Silvestre, do Estadão, que comenta a possível retirada da História Antiga das salas de aula (e provavelmente dos livros didáticos), causada, segundo ele, por razões políticas.

Publicado em 02 de fevereiro de 2016

Este artigo ainda não recebeu nenhum comentário

Deixe seu comentário

Este artigo e os seus comentários não refletem necessariamente a opinião da revista Educação Pública ou da Fundação Cecierj.