Aprendendo yorubá nos terreiros

A história e a cultura africanas devem ser estudadas nas escolas brasileiras, cumprindo o que determina a lei. Um dos espaços para aprender a língua yorubá – uma língua viva, praticada no Candomblé – são os terreiros, onde ela se transforma em comidas, cantos, mitos, artefatos. E mais que isso, valoriza essas culturas e ajuda a diminuir a intolerância religiosa nas escolas, de acordo com este trabalho de Stela Guedes Caputo publicado na Revista Brasileira de Educação.

Publicado em 16 de fevereiro de 2016