Educação Física no Ensino Médio: teoria e prática no desenvolvimento da autonomia intelectual e crítica do discente

Marcelo Bittencourt Jardim

Educador Físico (Unipli), especialista em Psicomotricidade (IBMR), autor de Amor que educa

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996) estabelece, no título V, no Art. 21, do capítulo I, que a educação escolar compõe-se de: “I - Educação básica, formada pela Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio; II – Educação Superior”.

O capítulo II, da Educação Básica, na Seção I das disposições gerais, no Art. 22, diz que “A Educação Básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores”.

A Seção IV, do Ensino Médio – que é nosso foco e abordagem neste estudo, traz no Art. 35: O Ensino Médio, etapa final da Educação Básica, com duração mínima de três anos, terá como finalidade:

  1. A consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no Ensino Fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos;
  2. A preparação básica para o trabalho e a cidadania do educando, para continuar aprendendo, de modo a ser capaz de se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posteriores;
  3. O aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico;
  4. A compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionado a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina (grifo meu).

Além disso, as aulas de Educação Física ministradas na prática junto com a teoria são de grande valia para os discentes. Para a estimulação e desenvolvimento intelectual e da aprendizagem da disciplina pelo sujeito, de forma a se interessarem e aprofundarem a conhecer mais sobre o assunto abordado e transformando os discentes em seres críticos e fomentando a pesquisa que será primordial para seu futuro acadêmico e profissional, segundo Delors, apoiando-se sobre os Quatros Pilares da Educação, a saber:

  • aprender a conhecer;
  • aprender e fazer;
  • aprender a conviver;
  • aprender a ser.

Pela sua dimensão conceitual da avaliação na área de Educação Física, a construção espiralada progressivamente vai clareando determinado conceito que será incorporado a um conhecimento. Assim, ao tematizar um conhecimento/conteúdo de ensino, a reflexão do aluno ganha complexidade, como no Ciclo da Escolarização (Libâneo, 1985).

  • 1ª a 2ª séries: Constatação
  • 3ª, 4ª, 5ª e 6ª séries: Interpretação
  • 7ª e 8ª séries: Compreensão
  • Ensino Médio: Explicação

Mostraremos avaliações teóricas de dois discentes do Ensino Médio de uma escola municipal de Niterói-RJ que se destacaram pelos seus empenhos, pesquisas e pelas atividades dissertativas.

Os discentes foram estimulados a pesquisar e a desenvolver atividades práticas durante suas avaliações teóricas escolares, obtendo ótimos resultados. E foram despertados para ingressar e prestar vestibulares para universidades no curso de Educação Física no Rio de Janeiro.

A seguir apresento algumas das respostas de alunos que mereceram destaque

Docente: Marcelo Bittencourt Jardim.

Educação Física: Disciplina: Futsal.

Discente: D. B. J.

Idade: Dezoito anos.

1ª Avaliação em anexo: Questões discursivas:

7 - Para contribuir num melhor desempenho do jogador em quadra, sabemos da especificidade de cada exercício priorizando cada posição. Sendo assim, crie dois exercícios para o pivô, caracterizando a especificidade da posição.

8 – Visando um ataque organizado, uma equipe necessita de treinar manobras ofensivas. Nesse sentido, descreva a manobra ofensiva do rodízio de três pela ala (8) finalizando o exercício com um chute a gol sem a participação do pivô.

9 – Sendo você o técnico de uma equipe que se encontra numa partida em que o time adversário é superior ao seu, qual sistema e qual tipo de marcação você adotaria? Justifique.

2ª Avaliação em anexo: Questões discursivas:

6 – Desenhe uma quadra de futsal com todas as suas marcações, citando os nomes das linhas, e acrescente um sistema defensivo e um sistema ofensivo.

7 – Crie exercícios para desenvolver a marcação, o ataque e o contra-ataque de uma equipe de futsal.

8 – Crie dois exercícios para desenvolver apenas dois ou mais fundamentos.

Docente: Marcelo Bittencourt Jardim.

Educação Física: Disciplina: Futebol

Discente: G. J.

Idade: Dezessete anos.

1ª Avaliação em anexo: Questões discursivas:

2 – Cite os fundamentos do futebol.

3 – Cite as técnicas individuais do goleiro e crie um exercício citando a técnica individual desenvolvida.

4 – Desenhe um campo de futebol e acrescente um sistema citando os nomes das posições dos jogadores.

5 – Descreva um exercício específico para:

  • Zagueiro e atacante;
  • Lateral e meio-campo.

Considerações finais

Com os dados apurados nesta pesquisa, nota-se que é de suma importância o trabalho do educador físico na formação do discente e que a avaliação em Educação Física é constituída em três fases: diagnóstico, formativa e somativa, segundo os PCN. E que a estimulação da pesquisa é muito relevante para a motivação, os interesses e o desenvolvimento das aprendizagens dos adolescentes que estão na última etapa da Educação Básica com base nos três blocos de conteúdos de aprendizagem dentro do PCN, que são: conceitual, procedimental e atitudinal, preparando-os para possíveis ingressos em universidade e contribuindo para seu desenvolvimento intelectual, como foi destacado no contexto do estudo.

Referências

COLETIVO DE AUTORES. Metodologia do Ensino em Educação Física. São Paulo: Cortez.

DELORS, Jacques. Os quatro pilares da educação.

BRASIL. LDB - Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

Publicado em 15 de março de 2016