Manual de uso do Questionário de Estratégias de Motivação para Aprendizagem (MSLQ)

Daniel Fábio Salvador

Débora de Oliveira Batista

Roberta Flávia Ribeiro Rolando Vasconcellos

Introdução

O questionário Motivated Strategies for Learning Questionnaire (com sigla em inglês MSLQ) é um instrumento para avaliação da aprendizagem autorregulada proposto inicialmente por Pintrich et al. (1993) e utilizado na pesquisa em ensino por diversos autores da área de Psicologia Educacional. Desenhado para avaliar a orientação motivacional e o uso de estratégias de aprendizagem por estudantes universitários, o MSLQ vem sendo utilizado em diversos níveis educacionais, incluindo a Educação Básica. O instrumento parece ser uma maneira mais objetiva, confiável e válida para avaliar os aspectos relacionados à aprendizagem autorregulada (em inglês, self-regulated learning), especialmente quanto à motivação e estratégias de aprendizagem.

Para que o MSLQ também seja usado como instrumento de intervenção em escolas brasileiras, é apresentada nesse texto a tradução dos exemplos de instruções de retorno aos estudantes que acompanham o manual de uso do questionário chamado A manual for the use of the motivated strategies for learning questionnaire (MSLQ), de Pintrich et al. (1991). O objetivo dessa seção do manual é que o professor possa compreender os resultados obtidos com a aplicação do MSLQ em sua turma, bem como formular e orientar seus estudantes de forma personalizada, atuando assim como um orientador pedagógico, a fim de promover melhores estratégias de aprendizagem autorregulada.

O manual original apresenta os exemplos de instruções de retorno para os três componentes da seção Motivação (Interesse, Expectativa de Sucesso e Ansiedade em Testes) bem como para seis dos nove constructos da seção Cognição. Os pressupostos teóricos da aprendizagem autorregulada e a tradução, adaptação e aplicação do MSLQ na Educação Básica foram publicados por Salvador et al. (2017).

Explicações sobre MSLQ

O questionário possui 81 assertivas, separadas em 15 áreas ou constructos. Na Psicologia Educacional, constructos são conceitos teóricos não observáveis que podem ser mensurados por questionário de autoavaliação. Para cada assertiva do questionário, o estudante deve selecionar uma opção de 1 a 7 (de nada verdadeiro para mim a muito verdadeiro para mim). O escore de cada constructo é determinado por meio do cálculo da média aritmética das assertivas correspondentes àquele constructo.

O questionário completo se propõe a avaliar 15 constructos, que são divididos em duas seções: Motivação e Estratégias de Aprendizagem.

A seção Motivação pode ser subdivida em:

  • Componente Interesse: avaliado pela média aritmética dos constructos Orientação a Metas Intrínsecas (OMI), Orientação a Metas Extrínsecas (OME) e Valorização da Atividade (VAT).
  • Componente Expectativa de Sucesso: avaliado pela média aritmética dos constructos Controle de Aprendizado (CAP) e Autoeficácia para Aprendizado (AEA).
  • Componente Afetivo: avaliado pela média aritmética do constructo Ansiedade em Testes (ATE).

A seção Cognição pode ser subdividida em:

  • Estratégias cognitivas e metacognitivas: avaliada pela média aritmética dos constructos Ensaio/Memorização (MRE), Elaboração (ELA), Organização (ORG), Pensamento Crítico (PCR) e Autorregulação Metacognitiva (ARE).
  • Administração dos estudos: avaliada pela média aritmética dos constructos Tempo e Ambiente de Estudo (TAE), Administração de Esforços (RES), Aprendizado em Pares (APA) e Busca por Ajuda (BPA).

Cada um dos 15 constructos avaliados no questionário é composto por um conjunto de assertivas. Por exemplo, o constructo Orientação a Metas Intrínsecas é composto por quatro assertivas (1, 16, 22 e 24 do questionário), conforme descrito no Quadro 1. O escore do estudante para esse constructo será a média aritmética obtida nas quatro assertivas. Algumas assertivas foram escritas negativamente; por isso, são chamadas de frases reversas. Portanto, o escore desses itens deve ser computado de maneira reversa na média. Assim, para essas assertivas, se o estudante marcou “3” no questionário, esse valor é computado na média como “5”; “1” se torna “7”, “2” se torna “6” e “4” continua “4” (Pintrich et al., 1991). O Quadro 1 apresenta a distribuição das 81 assertivas nos 15 constructos avaliados.

Quadro 1: Descrição das assertivas que compõem os 15 constructos avaliados no MSLQ.

Sigla

Constructos avaliados

Assertivas

Seção Motivação

OMI Orientação a Metas Intrínsecas 1, 16, 22, 24
OME Orientação a Metas Extrínsecas 7, 11, 13, 30
VAT Valorização da Atividade 4, 10, 17, 23, 26, 27
CAP Controle do Aprendizado 2, 9, 18, 25
AEA Autoeficácia para Aprendizado 5, 6, 12, 15, 20, 21, 29, 31
ATE Ansiedade em Testes 3, 8, 14, 19, 28

Seção Estratégias (cognitivas e metacognitivas)

MRE Ensaio (memorização) 39,46, 59, 72
ELA Elaboração 53, 62, 64, 67, 69, 81
ORG Organização 32, 42, 49, 63
PCR Pensamento Crítico 38, 47, 51, 66, 71
ARE Autorregulação Metacognitiva 33*, 36, 41, 44, 54, 55, 56, 57*, 61, 76*, 78, 79

Seção Administração dos Estudos

TAE Tempo e Ambiente de Estudo 35, 43, 52*, 65, 70, 73, 77, 80*
RES Administração de Esforços 37*, 48, 60*, 74
APA Aprendizado em Pares 34, 45, 50
BPA Busca por Ajuda 40*, 58, 68, 75

* Assertivas que devem ser computadas como avaliação reversa.

Como usar o MSLQ na Educação Básica?

Existem poucos trabalhos e traduções do questionário MSLQ em língua portuguesa; todos eles focalizam a tradução do questionário para uso com estudantes do ensino superior e com perguntas generalizadas para diversos cursos ou ainda muito concentrada em conteúdos específicos.

Por isso, decidimos realizar a tradução e adaptação do questionário original proposto por Pintrich et al. (1991) para a Educação Básica brasileira, conforme publicado por Salvador et al. (2017). Nessa versão, o professor precisa pedir ao respondente para preencher o questionário levando em consideração apenas uma disciplina ou área do conhecimento (Biologia, Química, Física, Matemática etc.), como originalmente foi proposto por Pintrich et al. (1991). Sugerimos que, após a aplicação, o professor digite os resultados em uma planilha de Excel contendo as fórmulas de média aritmética previamente estabelecidas para cada constructo do questionário.

Recomendamos que o professor imprima as questões e aplique o questionário com seus estudantes em local e com tempo adequado. Como o MSLQ é um questionário longo, recomendamos que seja aplicado com crianças ou adolescentes abaixo de 18 anos em partes, possivelmente em mais de um momento, caso a criança perca o foco durante a aplicação. Para estudantes com menos de 12 anos, recomendamos que a aplicação seja feita por um entrevistador, o qual poderá interpretar ou adaptar o vocabulário das assertivas à realidade da criança.

Antes de iniciar a aplicação do questionário, o professor deve explicar ao estudante de que trata a avaliação e como ela pode ajudar a melhorar sua forma de estudar. Recomendamos também as explicações das seguintes terminologias existentes no questionário, para que haja padronização do vocabulário:

  • Matéria e disciplina – se referem à área de conhecimento para a qual o estudante está respondendo o questionário (exemplos: Matemática, Biologia, Física etc.). Explicar que o questionário alterna o uso da palavra matéria e disciplina, mas que ambas possuem o mesmo significado.
  • Testes e provas – se referem a todo tipo de avaliação realizada em sala de aula; os testes são avaliações mais rotineiras; as provas são avaliações de maior importância, realizadas normalmente ao final de um ciclo de conteúdo.
  • Material de estudo – se refere a todo material disponibilizado pela escola ou pelo professor para estudo naquela determinada disciplina (exemplos: livro didático, mapas, livros complementares, apostilas, textos de leitura, listas de exercícios etc.).
  • Anotações de aula – se refere ao caderno utilizado pelo estudante para anotar o conteúdo das aulas ministradas pelo professor ou durante momentos de estudo.

Depois de aplicar o questionário e processar os dados, o professor deverá dar aos estudantes o retorno da avaliação, de acordo com o anexo a seguir. Essas orientações devem ser utilizadas para a realização da devolutiva aos estudantes, como forma de estímulo ou correção de deficiências.


Tradução dos exemplos de instruções de retorno ao estudante (Pintrich et al., 1991)

Algum tempo atrás, você respondeu a uma série de questões chamada Questionário de Estratégias de Motivação para Aprendizagem (MSLQ). O propósito desse questionário é reunir informações sobre os seus hábitos de estudo, habilidades de aprendizagem e motivação para realizar tarefas. Como prometido, estamos lhe dando um retorno a partir do questionário sobre as respostas que você nos deu. Este documento descreve como interpretar a pontuação obtida para que você possa entender o que eles significam.

O propósito desse retorno é ajudar você a determinar seus pontos fortes e fracos como estudante. A partir de experiências passadas, nós vimos que os estudantes gostam de saber qual o desempenho dos outros estudantes no questionário. Portanto, nós incluímos a média dos níveis de motivação e habilidades de aprendizagem dos estudantes da sua turma. Como um todo, a sua turma pode ter médias altas em algumas áreas e médias baixas em outras; assim, pense sobre suas próprias habilidades ao invés de se comparar aos outros.

Talvez você queira utilizar esse retorno para fazer algo para mudar suas habilidades de estudo ou motivação. Todas as capacidades de estudo e motivação mencionadas na sua folha de retorno podem ser reaprendidas. Esta é uma ideia importante de lembrar, principalmente na escola. Você pode decidir mudar esses aspectos no seu estilo de aprendizagem. Nós estamos fornecendo algumas sugestões que acompanham cada escala. Esperamos que essas sugestões lhe sejam úteis. Mas lembre-se de que elas não são os únicos meios de melhorar cada área. Talvez você possa buscar ajuda com professores na sua instituição de ensino.

Como interpretar seus pontos: todas as escalas são baseadas em uma escala de 0 a 7 pontos. Algumas perguntas foram escritas negativamente, por isso invertemos a pontuação, porque em geral uma pontuação como 4, 5, 6 ou 7 é melhor do que pontuações menores, como 1, 2 ou 3. A única exceção é a escala do teste de ansiedade, em que uma pontuação alta significa “mais preocupação”.

Nós providenciamos a média da pontuação da sua sala e o corte das pontuações: 25% inferiores, média 50% e 25% superiores para cada escala. Se a sua pontuação está no nível 25% inferior, isso significa que a maioria dos estudantes na sua turma apresenta mais motivação ou utiliza mais estratégias de aprendizagem do que você. Se a sua pontuação está na média 50%, você é parecido com a maioria dos estudantes. Se a sua pontuação está no nível 25% superior, então você é mais motivado ou utiliza mais estratégias de aprendizagem que outros estudantes.

Em geral, se seus pontos estão acima de 3, você está indo bem. Se está abaixo de 3 em mais de seis das nove escalas, você talvez devesse buscar ajuda de um professor ou orientador na sua instituição de ensino.

Escalas da seção Motivação

Os primeiros três componentes se referem à sua motivação para a disciplina, confiança em ter um bom desempenho na escola e à sua ansiedade ao realizar provas.

I. Motivação: Interesse

Essa é uma medida do seu interesse sobre a matéria ensinada nesta disciplina. Uma pontuação alta significa que você gosta dos assuntos e está muito interessado nos conteúdos dessa disciplina.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% inferiores:
Média 50%:
25% superiores:

Sugestões: Leia rapidamente a lista de conteúdos do livro-texto ou o programa da disciplina e faça uma lista dos três tópicos que mais te interessam e dos três tópicos que menos te interessam.

Preste atenção a esses tópicos em particular. O que nos três tópicos mais interessantes faz com que você goste tanto deles? O que faz os três outros tópicos desinteressantes?
Você encontra alguma característica dos três tópicos mais interessantes nos tópicos menos interessantes? Se você conseguir identificar o quê, nos três tópicos mais interessantes, faz com que você goste deles, talvez você seja capaz de aplicar o que encontrou aos três menos interessantes.

E talvez você descubra que os tópicos desinteressantes não são tão desinteressantes assim!

II. Motivação: Expectativa de Sucesso

Essa é uma medida da sua percepção quanto ao seu potencial de sucesso nessa matéria e da sua autoconfiança para entender o conteúdo da disciplina. Uma pontuação alta significa que você acha que terá bom desempenho na disciplina e está confiante que será capaz de dominar todo o conteúdo.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Avalie como você aborda as tarefas da disciplina sob diferentes pontos de vista. Por exemplo, descreva a eficácia e a ineficácia da sua abordagem a partir do seu ponto de vista. Então imagine como um colega de classe avaliaria a sua abordagem.
Ao analisar a forma como você lida com uma tarefa, você pode ser capaz de descobrir o que está fazendo certo e o que está fazendo errado e então pode mudar a sua abordagem. A sua confiança em ter um bom desempenho pode aumentar ao compreender melhor a forma como você estuda, o que funciona e o que não funciona.

III. Ansiedade em testes

Essa é uma medida do quanto você se preocupa com as provas e quão frequentemente você se distrai ao realizar uma prova. Ao contrário das outras escalas, uma pontuação alta significa que você fica ansioso em situações de teste.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Desenvolver boas habilidades de estudo resulta em menor ansiedade. Prepare-se bem para as aulas e tente terminar as tarefas pontualmente. Não espere até o último minuto para realizar as tarefas ou para se preparar para uma prova. Isso ajudará você a se tornar confiante em situações de teste e talvez reduza a sua ansiedade. Ao fazer uma prova, concentre-se em um item de cada vez; se estiver com dificuldades em uma questão, siga em frente e volte a essa questão depois. Lembre-se de que se você está bem preparado; se não conseguir responder algumas questões, tudo bem, você ainda será capaz de responder as outras.

Escalas da seção Cognição

As seis escalas restantes se referem a diferentes tipos de habilidades de estudo e estratégias de aprendizagem utilizadas para essa disciplina.

IV. Estratégia Cognitiva: Ensaio (memorização)

Esta escala mede o quanto você utiliza estratégias de estudo, como releitura de anotações da aula e de textos sobre a matéria e decorar listas de palavras-chave e conceito. Uma alta pontuação significa que você usa essas estratégias com frequência.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Liste os termos e tópicos importantes da disciplina. Defina-os e os repita em voz alta. Divida essa lista em listas menores compostas de termos que se relacionam. Construa imagens ou rimas que te ajudarão a lembrar dessas listas. Faça perguntas que ajudarão você a avaliar se você se lembra delas ou não.

V. Estratégia Cognitiva: Elaboração

Esta escala mede o quanto você tenta resumir ou parafrasear (colocar nas suas próprias palavras) o que você lê em seus livros-texto e o quanto você tenta relacionar esse material com o que já sabe ou aprendeu. Uma pontuação alta significa que você usa essas estratégias com frequência. Essas estratégias normalmente têm melhores resultados do que a estratégia de decorar.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Parafraseie e resuma as informações importantes. Use suas próprias palavras para descrever o conteúdo visto durante as aulas ou em leituras específicas. Faça de conta que você é o professor e está tentando explicar a matéria para os alunos. Tente descobrir como cada tópico da matéria se relaciona com os outros. Quais são as relações entre o que você ouviu em sala de aula, conversou em discussões e leu no livro?

VI. Estratégia Cognitiva: Organização

Esta escala se refere à sua capacidade de selecionar as ideias principais do que você lê, assim como sua capacidade de organizar e reunir tudo que precisa aprender nessa matéria.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Faça um resumo do seu material da disciplina e identifique onde seu texto e a aula se sobrepõem e não se sobrepõem. Isso vai dar a você um ponto de partida para estabelecer conexões entre ideias apresentadas em dois contextos diferentes. Faça gráficos, diagramas ou tabelas dos conceitos importantes. Organogramas ou diagramas de árvore geralmente são bastante úteis para ajudar a entender como as ideias se reúnem diferentemente.

VII.  Autorregulação Metacognitiva

Esta é uma medida da frequência com que você pensa sobre o que está lendo ou estudando quando realiza suas tarefas escolares. Por exemplo, você monitora sua atenção quando lê ou geralmente descobre que leu dez páginas de um livro e não se lembra de nada do que leu? Você ajusta sua velocidade de leitura quando está lendo algo difícil, se comparado a ler jornal? Uma pontuação alta significa que você tenta planejar seu trabalho e confere se entendeu a matéria.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Leia rapidamente seu material antes de começar a ver como ele está organizado. Olhe para os títulos e subtítulos do texto para ter uma ideia de como as coisas se relacionam umas com as outras. Enquanto estiver lendo, faça perguntas a si mesmo sobre o parágrafo que acabou de ler e escreva palavras-chave nas margens do livro ou em um caderno. Tente determinar quais conceitos você não compreende bem. Apesar de esse método demorar bastante no início, você tem mais chance de se lembrar do que leu. Isso economizará seu tempo depois quando estudar para a prova.

VIII. Administração dos estudos: Tempo e Local de Estudo

Essa escala mede quão bem você administra seu tempo e agenda e seu uso de um local de estudo. Uma pontuação alta significa que você possui um método para administrar sua agenda e tenta estudar em um local onde você possa terminar suas tarefas escolares.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Acompanhe o que você faz no seu tempo de estudo durante uma semana. Escreva seus objetivos para cada período de estudo e anote o que você realmente cumpriu durante esse tempo. Analise o resultado ao final de uma semana. Talvez você precise mudar seu local de estudo, o período de estudo ou com quem você estuda. Tente criar uma agenda que funcione bem para você.

IX. Administração dos estudos: Administração de Esforços

Esta escala se refere à sua vontade de fazer suas tarefas escolares, mesmo quando o trabalho é difícil. Uma pontuação alta significa que você se esforça bastante em seus estudos.

Sua pontuação:
Média da turma:
25% Inferiores:
Média 50%:
25% Superiores:

Sugestões: Faça uma lista dos tópicos que você deixa para estudar no outro dia. Tente analisar por que você adia estudar esses tópicos conversando com outros alunos. Ao falar com eles, talvez você considere uma abordagem que te ajude a agir mais rapidamente ao invés de demorar a estudar o material.

Referências

PINTRICH, P. R.; SMITH, D. A. F.; GARCIA, T.; McKEACHIE, W. J. A manual for the use of the Motivated Strategies for Learning Questionnaire (MSLQ). Ann Arbor: University of Michigan, National Center for Research to Improve Postsecondary Teaching and Learning, 1991.

SALVADOR, D. F.; ROLANDO, G.R.R.; OLIVEIRA, D. B.; VASCONCELOS, R. F. R. R. Uso do questionário MSLQ na avaliação da motivação e estratégias de aprendizagem de estudantes do ensino médio de Biologia, Física e Matemática. Revista de Educação, Ciências e Matemática, 2017 (no prelo).

Publicado em 31 de outubro de 2017