Museu Nacional

Nathalia Ferreira da Cunha

Museu Nacional
(Flor de Lis)
Por detrás daquelas chamas,
Morre a pesquisa recente,
Morrem anos de história,
Morrem os sonhos do docente,
Morre parte do pesquisador,
Morre o trabalho do estagiário,
Morre parte da gente.
Morrem plantas já mortas,
Morrem sonhos, 
Isso muito importa.
Morre tudo.
Tudo vira cinza.
E o que resta são ruínas,
As lágrimas,
A dor,
A saudade latente
De quem é mais que parente, 
É parte do pesquisador 
Que vive no ser vivente.
Morre a história,
Morre o curso de um rio,
Que jamais volta para trás.
Do que se perde, 
Só restam lembranças.
Qual o futuro da nossa ciência?
Morre parte?
Renasce a arte?
Tudo precisa de incentivo,
Para manter o pesquisador vivo.
Então, choramos nossa perda,
Mas sonhamos para que a ciência erga
Do pó, da dor, das cinzas e sonhe, para onde for.

02 set. 18

Publicado em 23 de julho de 2019

Como citar este artigo (ABNT)

CUNHA, Nathalia Ferreira da. Museu Nacional. Educação Pública, v. 19, nº 14, 23 de julho de 2019. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/19/14/museu-nacional