Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Dez mandamentos para o professor

George Pólya (1887-1985)

Professor húngaro, teórico do ensino da Matemática

  1. Tenha interesse por sua matéria.
  2. Conheça sua matéria.
  3. Procure ler o semblante dos seus alunos; procure enxergar suas expectativas e suas dificuldades; ponha-se no lugar deles.
  4. Compreenda que a melhor maneira de aprender alguma coisa é descobri-la você mesmo.
  5. Dê aos seus alunos não apenas informação, mas know-how, atitudes mentais, o hábito de trabalho metódico.
  6. Faça-os aprender a dar palpites.
  7. Faça-os aprender a demonstrar.
  8. Busque, no problema que está abordando, aspectos que possam ser úteis nos problemas que virão - procure descobrir o modelo que está por trás da presente situação concreta.
  9. Não desvende o segredo de uma só vez - deixe os alunos darem palpites antes - deixe-os descobrir por si próprios, na medida do possível.
  10. Sugira; não os faça engolir à força.

Ao formular os mandamentos, ou regras, acima, tive em mente os participantes das minhas classes, professores secundários de Matemática. Entretanto, essas regras se aplicam a qualquer situação de ensino, a qualquer matéria ensinada em qualquer nível. Todavia, o professor de Matemática tem mais e melhores oportunidades de aplicar algumas delas do que o professor de outras matérias.

Publicado na Revista do Professor de Matemática, da Sociedade Brasileira de Matemática, nº10, 1º semestre de 1987.

Publicado em 01 de janeiro de 2002