Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Um Compromisso com a Liberdade e a Dignidade Humanas

Cândido Grzybowski

Sociólogo, diretor do Ibase

No próximo dia 9 de agosto estaremos lembrando 5 anos da morte de Betinho. Tal dia não deixa de ser uma data especial para o Ibase, de quem o Betinho foi um dos fundadores, 21 anos atrás, e diretor geral. É um dia para lembrarmos o legado do Betinho e a nossa missão institucional. Aliás, nada parece mais oportuno do que reafirmar a convicção na democracia e na possibilidade de através de uma democracia inclusiva e participativa, de base, edificar os fundamentos de uma sociedade sustentável, de liberdade e dignidade humanas para todas e todos os brasileiros, sem exceções. Na atual conjuntura de eleições no Brasil, mas em que a crise de um capitalismo virado cassino global ameaça a tudo e a todos e aumenta o descrédito na democracia, o Ibase se sente desafiado, como o Betinho, a apostar na cidadania em ação, a força motriz e transformadora das democracias. Nunca é demais lembrar que o Ibase, antes de ser o Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas, foi concebido como I-Base - Instituto para a base, um agente da democracia construída de baixo para cima.

Também no dia 9 de agosto de 2002, às 13 horas, o Ibase estará recebendo da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro a Medalha Tiradentes. A condecoração é uma honra para o Ibase e queremos estendê-la a todas e todos, parceiros e aliados, que conosco compartem a opção estratégica pela democracia como projeto e rumo para o país. Tomamos a Medalha Tiradentes como reconhecimento da contribuição do Ibase - pequena, sem dúvida, mas insubstituível - no sentido da conquista de nova independência, que liberte os milhões ainda condenados a viver na exclusão, passando fome e na miséria e sofrendo as diferentes formas de desigualdade limitadoras da liberdade de pensamento e participação cidadã.

Neste dia muito especial, a partir das 9:30 h, no próprio plenário da Assembleia Legislativa, o Ibase convida a todas e todos para fazer o que é uma das condições indispensáveis para uma intervenção qualificada visando radicalizar a democracia no aqui e agora: uma boa análise de conjuntura. Com olhar irreverente e crítico, mas alegre, com ideias ousadas e corajosas, mas portadoras do amanhã, vamos avaliar as possibilidades contidas nos limites dados pela situação do país e do mundo. Será uma memorável celebração, praticando a liberdade de pensar, fundamento de todas as democracias. Isto lá num ambiente institucional solene da própria democracia, um Parlamento.

A opção por um ato assim de lembrança do Betinho e de agradecimento pela Medalha Tiradentes nos parece uma maneira adequada de reafirmar o compromisso do Ibase com a liberdade e a dignidade humanas, expressões éticas de sua missão como instituição voltada à construção da democracia substantiva. Porém, para os que não conhecem a pequena história do Ibase cabe destacar aqui o que para ele significam as rodadas mensais de análise de conjuntura, que o Betinho instituiu e praticou como ninguém. Betinho resgatou institucionalmente o que de mais original temos em nossa cultura política: o debate mais livre e radical entre amigos numa mesa de botequim, regado a chope. Desde a origem do Ibase, Betinho passou a convidar amigos e colaboradores a beber uma cerveja no Ibase, no fim do expediente, e compartir análises de conjuntura. Houve debates memoráveis, como em qualquer debate entre amigos num botequim, sempre que a conjuntura esquentava. Um que destaco foi sob intensa chuva, com tanta gente como se festa fosse, Maria da Conceição Tavares com seu entusiasmo furioso dando pitadas, em que avaliamos o Plano Collor, aquele que fisgou a poupança e congelou o nosso dinheirinho. Numa intuição bem própria sua, Betinho levantou pela primeira vez a ideia que um presidente louco assim não chegaria ao fim do mandato. A nascente democracia brasileira não aguentaria tanto. E foi o que aconteceu nem dois anos após, no auge do movimento Pela Ética na Política.

Pois bem, as análises de conjuntura são a cozinha política do Ibase. O livro de maior sucesso do Betinho é, por sinal, uma obra pequena, mas densa, com o sugestivo título Como Fazer Análise de Conjuntura, publicado e republicado várias vezes pela Vozes. As análises de conjuntura para o Ibase são a seiva que alimenta suas equipes e projetos, permitem tecer alianças e cumplicidades, dão vida e entusiasmo para continuar acreditando na democracia. Mesmo se não temos a adesão de outrora, não esquecemos o mestre Betinho e continuam persistentemente as análises de conjuntura. Todas e todos podem participar. São sempre às 17:30 h, na terceira quarta-feira de cada mês, no próprio Ibase. No dia 9 de agosto, uma sexta-feira, faremos uma exceção à regra e vamos debater a conjuntura na Assembleia Legislativa. Mas também o dia merece. Até lá, portanto!

Rio, 22.07.02

Publicado em 01 de janeiro de 2002