Irmã Linda na Era dos Dinossauros

Camila Maria Oliveira

Professora da rede pública do município do Paulista/PE, graduada em Pedagogia (UFPE), mestra edoutoranda em Educação (PPGE/UFPE)

Edilma Maria da Silva Roque

Professora da rede pública do município do Paulista/PE, graduada em Pedagogia (UPE/NM), especialista em Psicopedagogia (Fafire)

Wanessa Maria da Silva

Professora da rede pública do município do Paulista/PE, graduada em Pedagogia (UFPE), mestra em Educação (PPGE/UFPE)

Taíssa Nascimento Bastos

Supervisora escolar da rede pública do município do Paulista/PE, graduada em Pedagogia (Fafire), especialista em Psicopedagogia (Fafire), em Coordenação Pedagógica e em Educação Inclusiva (Facimod)

Justificativa

O presente projeto surgiu da curiosidade dos nossos estudantes pelo universo dos dinossauros e a possibilidade de podermos vivenciar essa temática dentro de todos os eixos de experiência propostos pela Base Curricular Municipal do Paulista para a Educação Infantil, que é sedimentada pela BNCC. Ele foi realizado no Cemedi Maria Anunciada de Arruda, no Paulista/PE, em outubro de 2019.

Diante disso, vimos a necessidade de abordar minuciosamente a temática para nossos alunos de 1 ano e 7 meses a 3 anos e 11 meses, para além da esfera do mundo da imaginação, atrelando à história com elementos e conhecimentos, tomando por base os cinco campos de experiências reforçados pela Base Nacional Comum Curricular. Dessa forma, trabalhar o eu, o outro e o nós, corpo, gestos e movimentos, a escuta, a fala, o pensamento e a imaginação, traços, sons, cores e formas, e espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

Aliado a isso, ao abordar a temática, atravessados pelas interações e brincadeiras, promovemos o desenvolvimento da criança, uma vez que "nas interações, relações e práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experimenta" (Brasil, 2010). Construindo significado em sua aprendizagem, a criança aprende brincando e adquire conhecimentos que vão para além do mundo da imaginação, criando, nesse sentido, “oportunidades para que as crianças entrem em contato com outros grupos sociais e culturais, outros modos de vidas, (...) costumes, celebrações e narrativas” (Brasil, 2017, p. 40).

Objetivos de conhecimento e desenvolvimento

  • Explorar e vivenciar, a partir dos campos de experiência, algumas espécies de dinossauros, tendo em vista a forma como nasciam, viviam, se alimentavam, as características do corpo e especificidades de cada espécie;
  • Conhecer elementos do tempo histórico dos dinossauros, como vulcão e cavernas;
  • Despertar a curiosidade, a observação e o raciocínio nas crianças.

Conteúdos curriculares

O presente projeto contemplou todos os eixos de experiência adotados na Base Curricular da Rede Municipal de Ensino do Paulista para crianças entre 0 e 3 anos e 11 meses.

Ao vivenciarmos nosso projeto Irmã Linda na Era dos Dinossauros, articulamos situações em que as crianças foram atravessadas pelas interações e por brincadeiras, sendo essas duas dimensões consideradas norteadoras na Educação Infantil (Brasil, 1999). Nesse sentido, promovemos no processo de ensino-aprendizagem conforme afirma a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) “um arranjo curricular que acolhe as situações e as experiências concretas da vida cotidiana das crianças e seus saberes, entrelaçando-os aos conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural” (Brasil, 2017).

Dessa forma, apresentaremos a seguir os eixos e os saberes que foram desenvolvidos durante a realização do projeto.

  • Identidade e autonomia: nesse eixo, estimulamos a convivência nos diversos espaços sociais, criando oportunidades de interação entre os pares e socialização de materiais e objetos. Ainda no eixo de identidade e autonomia, evidenciamos o saber das características físicas, em que as crianças puderam perceber as possibilidades e limites do seu corpo;
  • Corpo e movimentos: nessa proposta, exploramos o saber partes do corpo: funções, sensações e percepções, cujas atividades desenvolveram habilidades manuais, como o desenho, a pintura, o rasgar e o colar;
  • Linguagem da arte: nesse eixo, vivenciamos diversas formas de expressão e linguagens. Desenvolvemos os saberes: fontes sonoras e gêneros musicais; dança (criação de movimentos e gestos a partir das características dos dinossauros e da música Dinossauro, do Mundo Bita (grupo infantil pernambucano); produção plástica (exploração de texturas e cores com a produção de uma caverna); obras de arte (criação de quadros com pintura do cenário e colagem da silhueta dos dinossauros);
  • Natureza e sociedade: nessa proposta, possibilitamos às crianças o conhecimento do tipo de moradia da época: a caverna, tipo de alimentação de alguns dinossauros; vegetação e do ambiente em que viviam;
  • Linguagem matemática: nesse eixo, promovemos o saber função social dos números, em que realizamos contagens orais de dinossauros, jogo de dado contendo o dinossauro e suas características, bem como registramos gráfico lúdico;
  • Linguagem oral e escrita: nessa proposta, possibilitamos diversas situações comunicativas. Desenvolvemos os saberes falar e ouvir (em rodas de conversa); gênero textual (receita); leitura (contação e manuseio de histórias e leituras de imagens).

Metodologia

Foi utilizada no projeto foi a metodologia ativa, que tem como objetivo inserir a criança como coparticipante de sua aprendizagem; para o desenvolvimento do nosso projeto, utilizamos rodas de conversa, músicas, apreciação de vídeos e filmes, contação de histórias, pinturas em diferentes suportes, experimentações sensoriais, brincadeiras com possibilidades corporais e jogos matemáticos em que se explorou a função social dos números.

Figura 1: Atividade com a função social dos números, utilizando os espinhos do estegossauro

Iniciamos nosso projeto com a apreciação do vídeo de animação do Mundo Bita Dinossauros, realizando nesse momento um resgate dos conhecimentos prévios das crianças sobre a temática e contextualizando com o tempo histórico, apresentamos a elas o vulcão. Em seguida, as crianças puderam manipular, sentir a textura da argila e construir seus vulcões. Posteriormente, realizamos o experimento científico da lava, o qual estimulou nas crianças a concentração e a observação.

Figura 2: Construção dos vulcões com argila

Nessa semana, as crianças elaboraram todos os elementos que decoraram a festa do Dia das Crianças, com um grande mural coletivo de dinossauros, vulcão e plantas e construções de cada grupo com dinossauros feitos de pratos de papelão e um móbile coletivo.

Seguindo o andamento, trabalhamos a forma como os dinossauros nasciam. Utilizamos gesso e bexigas com o suporte de forma de ovo e confeccionamos ovos de dinossauros, os quais foram pintados pelas crianças com tinta guache. As crianças também puderam explorar ovos de dinossauros congelados, realizados com bexigas, dinossauros de plástico e água.

Figura 3: Experimentação sensorial com o ovo congelado do dinossauro

Em continuidade da temática, conhecemos as características físicas das espécies de alguns dinossauros, registrando com desenhos, pinturas coletivas e individuais do Tricerátopo, o som e os gestos do Tiranossauro Rex, a cauda do Diplococo e a colagem dos ossos no dorso do Estegossauro para brincarmos de dinossauro em nosso parque externo. Realizamos também uma atividade de quantificação, utilizando moldes de estegossauros, pregadores e um dado com os números de 1 a 6. Nessa semana, finalizamos as atividades com a culinária: fizemos a receita de salgadinho de queijo marcando o salgadinho com a modelagem da pata de dinossauro.

Figura 4: Culinária com patas do dinossauro

Dando continuidade ao projeto, conhecemos as características do pterodáctilo e as crianças construíram esse dinossauro em forma de marionete, com que puderam brincar de voar na sala e no parque. Elaboramos patas de dinossauros com papelão para as crianças brincarem de pegadas. Em seguida, a partir da leitura de Dino e o menino da caverna, exploramos o tipo de moradia da época: a caverna. As crianças construíram as suas cavernas com argila, e, com uma massa de modelar artesanal, puderam realizar marcas que simularam fósseis dos dinossauros.

Figura 5: Brincando com pegadas dos dinossauros

Foi produzido o “dado dos movimentos do dinossauro”, que cada criança pôde lançar e em seguida reproduzir ou criar os movimentos e gestos do dinossauro sorteado.

Finalizamos nosso projeto com a pintura dos quadros e colagem das silhuetas dos dinossauros, realizando uma exposição na qual as crianças puderam visitar e rememorar as vivências do projeto e com apreciação do filme O bom dinossauro, de diretor Peter Sohn. Posteriormente, participamos da I Mostra de Experiências da Educação Infantil no Munícipio do Paulista, em Pernambuco, expondo os trabalhos realizados pelas crianças; elas puderam também expressar aos visitantes suas vivências no projeto.

Figura 6: Brincando no parque com dinossauros

Dessa forma, ouvindo histórias, apreciando animações e filmes, desenvolvendo atividades e brincadeiras prazerosas e divertidas, simulando fósseis com a pata do dinossauro de massa dos salgadinhos de queijo, experimentando a textura e a sensação do dinossauro escondido em pedras de gelo e levando dinossauro de silicone em copo descartável com água para observar seu crescimento, nossas crianças entraram em contato com o mundo dos dinossauros, ficando ainda mais encantadas e apaixonadas. Nesse sentido, nosso projeto está consoante ao que é formulado nas diretrizes da Política Nacional de Educação Infantil, na qual “o processo pedagógico deve considerar as crianças em sua totalidade, as diferenças entre elas e a sua forma privilegiada de conhecer o mundo por meio do brincar” (Brasil, 2004, p. 14).

Evidências das aprendizagens alcançadas com o projeto

Acreditamos que o projeto foi de suma importância para a ampliação do universo histórico e o imaginário das crianças tendo em vista a oportunidade de articular os elementos históricos trabalhados no nosso Cemedi com a curiosidade e paixão demostrada pelas crianças pelo tema vivenciado.

Foram observados o interesse, o envolvimento e o desenvolvimento em todas as atividades propostas, desde músicas, histórias, brincadeiras e culinária até o dia em que levaram para suas casas um dinossauro de silicone que tomava formas maiores na medida em que cresciam dentro de um copo descartável com água.

Percebemos principalmente essa aprendizagem quando ao final do projeto os diversos eixos trabalhados ficaram memoráveis nas brincadeiras, apreciação e escolha de animações e filmes dos dinossauros, expressando assim, por boa parte das crianças, o desejo e a satisfação pelo objeto do projeto. E essa aspiração e interesse pela temática do projeto continuou no ano subsequente.

Avaliação do processo de aprendizagem dos estudantes e do projeto pedagógico

O processo avaliativo de aprendizagem desse projeto se deu de forma gradual, contínua e integrativa. Nesse sentido, observamos e acompanhamos as ações, expressões, construções do pensamento e do conhecimento, participação e envolvimento nas propostas vivenciadas. As crianças avaliaram o projeto, expressando suas vivências preferidas e as que não gostaram de experimentar e sugeriram ideias. Nessa direção, a avaliação, então, serve como auxiliar nesse processo de aprendizagem, pois ajuda a criança a acompanhar suas conquistas, dificuldades e possibilidades.

Pudemos avaliar, diante da satisfação, demonstração de envolvimento das crianças nas propostas e compreensão nas respectivas vivências em sala de aula, fora dela (com o relato das famílias) e após o término do projeto (quando rememoravam e reviviam experiências do projeto), que ele contribuiu para assegurar os seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento na Educação Infantil: conviver, brincar, participar, explorar, expressar, conhecer-se (Brasil, 2017).

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_20dez_site.pdf. Acesso em: 7 abr. 2020.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Infantil e Fundamental. Política Nacional de Educação Infantil: pelos direitos das crianças de 0 a 6 anos à educação. Brasília, 2004.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEB, 2010.

Publicado em 03 de novembro de 2020

Como citar este artigo (ABNT)

OLIVEIRA, Camila Maria; ROQUE, Edilma Maria da Silva; SILVA, Wanessa Maria da; BASTOS, Taíssa Nascimento. Irmã Linda na Era dos Dinossauros. Educação Pública, v. 20, nº 42, 3 de novembro de 2020. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/20/42/irma-linda-na-era-dos-dinossauros