Oração: Ficaremos em casa

Claudia Menezes Nunes

Deuses do Olimpo e da Medicina,

Céus de muitos ventos e das antitoxinas,

Estamos juntos nesse trabalho e sem asas;

Por isso, ficaremos em casa!

Somos responsáveis por esse inimigo invisível

E precisamos de sua ajuda com força incrível.

Mil desculpas! Agora, ficaremos em casa!

Que hoje nós consigamos viver os dias

Nas ondas da coragem e da dificuldade,

Sem mortes, impiedades ou loucas liberdades.

Hoje, por favor, estamos pedindo ajuda!

Não podemos fazer outra coisa:

Apenas olhar nossos deuses,

Pedir paz, força e ficar em casa!

Por culpa de nossa humana maldade,

Essa é a nossa realidade.

Somos humanos, insanos; inventores, destruidores.

Somos fortes, fracos; amantes e ratos,

Mas hoje precisamos de ajuda e de oportunidade

Sem dor ou insanidade, estamos de joelhos, pedindo:

“Guarde nossa cidade e nos livre de tantas vaidades!”

Sabemos que somos todos pobres de espírito,

Que perdemos o rumo do amor e da humanidade,

Mas agora aceitamos o pito: ficaremos em casa!

Salvem-nos por caridade!

Por medo, nós reconhecemos que é hora de lutas, de reencontros, de solidariedades.

É hora de sentir o vizinho e de sorrir para o necessitado inquilino,

E assim aprender que este destino

É roda e é fogo que nós mesmos construímos sem muito tino.

Por isso, obedecemos: ficaremos em casa!

“E que os céus nos protejam!”, gritamos em hino.

Nós não sabemos o que fazer ou dizer.

Nem sabemos como lidar ou lutar.

Entendemos que sozinhos vamos nos perder

E que juntos podemos superar.

Por isso, é hora da casa e de colaborar.

Então, ajude-nos a nos reinventar!

“Céus, nos atendam, por favor! Precisamos de uma chance!”

É hora de justa solidão e de ajudar um irmão;

Hora de virar os olhos e viver a vida de janela;

Hora de mudar as manias e acender muitas velas;

Hora de compor um ritmo de energia e de oração.

E, para tudo isso, nós ficaremos em casa, esperando perdão!

Deuses do Olimpo e da Medicina,

Enquanto vocês trabalham,

Nós podemos descobrir cavernas de intransigências,

Orgulhos, mentiras, cegueiras e indecências,

E fazer uma limpeza profunda como uma dolorida sina.

Obrigada pela chance, pela força, pela saúde.

Um dia, voltaremos à luz e à respiração protegidas.

Uma hora voltaremos à vida com outras lentes

E, tranquilamente, nós voltaremos a ter rosa em mente;

Espinho na memória; beijo no coração

E muita história para contar, sem medo ou ilusão.

Prometemos: ficaremos em casa, de prontidão!

Ficaremos em casa, fazendo nossa parte,

Vivendo a chance da empatia e da simpatia,

Acreditando na alegria de uma vitória próxima,

Junto à beleza da saúde em homeopatia.

Nós aceitamos a regra: ficaremos em casa!

Ficaremos em cura sem muitas juras.

Ficaremos junto aos nossos espelhos,

Memórias, saudades, livros e loucura.

Ficaremos ungidos da fé dos deuses e do tempo.

Ficaremos com nossos queridos e pequenos

Com paciência e alimento.

Não vamos reclamar mais: ficaremos em casa, sem mais lamento!

Deuses queridos, nosso povo está em casa!

Nosso povo tem espelhos e desejos

Agora, sem frescuras, molduras ou posturas rasas.

Por isso, ficaremos em casa!

Vamos obedecer ao humor do tempo,

Ouvir a pulsação do vento,

Limpar as mãos com alento,

Acreditando que nossos pensamentos

E nossos científicos armamentos

Serão fortes orações ao nosso ressurgimento.

Nós aceitamos o castigo e nos ajoelhamos em clamor.

Não se preocupem:

Ficaremos em casa por vocês, por todos, por amor!

Publicado em 03 de novembro de 2020

Como citar este artigo (ABNT)

NUNES, Claudia Menezes. Oração: Ficaremos em casa. Educação Pública, v. 20, nº 42, 3 de novembro de 2020. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/20/42/oracao-ficaremos-em-casa