Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Instituto Cultural Cravo Albin

Leonardo Soares Quirino da Silva

Boas surpresas para os que estudam MPB

Imagem da página inicial do site
http://www.iccacultural.com.br

Fundado em 2001 para incentivar a pesquisa e a divulgação da cultura brasileira, em especial da música, o Instituto Cultural Cravo Albin (ICCA) guarda em seu site boas surpresas para os que estudam ou se interessam pela MPB e pela cidade do Rio de Janeiro.

Criado pelo jornalista e musicólogo baiano Ricardo Cravo Albin, o site do ICCA hospeda o Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira. Desde 2002 na internet, o dicionário é uma referência em seu campo. Ele resulta de mais de 40 anos de pesquisas e trabalhos de Cravo Albin sobre MPB, bem como se apoia na farta documentação que ele reuniu nesse período.

Lançado em papel pela primeira vez em 1995, o dicionário passa por constante atualização, tendo verbetes desde Ernesto Nazareth e Chiquinha Gozanga até MC Serginho e MV Bill, passando por duplas sertanejas – como Jararaca e Ratinho –, grupos e bandas – entre eles Renato e seus Blue Caps –, bem como ritmos e instituições que fazem parte da história da MPB. Para se ter uma ideia, a última versão em papel, de 2006, tem mais de cinco mil entradas.

A estrutura básica de uma ficha é Verbete, que corresponde a primeira página, Biografia, Dados Artísticos, Obra e Discografia. Nesta última, quando o disco se encontra no acervo do instituto, há o botão Acervo, que abre uma página com a relação de músicas e seu tempo de duração.

Alguns artistas, em geral os mais antigos e consagrados, como Chiquinha Gonzaga e Dorival Caymmi, têm a seção Crítica, onde há um artigo comentando suas obras. Outras entradas que podem aparecer são Shows Principais, Clips e Bibliografia Crítica.

Depois de visitar o dicionário e se fartar em pesquisar, o internauta pode se distrair lendo os artigos da revista do centro cultural, a Carioquices. Dedicada a levantar a autoestima da cidade, nas palavras do fundador do ICCA, a revista traz artigos interessantes sobre música, literatura, cultura e artes, sempre, claro, ligados à cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Aos que forem dar uma entrada no link, vale a advertência passageira. Os interessados em ler as edições anteriores, clicarem na chamada da última edição. Lá, passar o cursor do mouse sobre Edições Anteriores e clicar mais uma vez. Por que? Porque atualmente, na parte dedicada à revista, os links para os números antigos não estão funcionando.

O visitante também deve dar parada em mais três seções. A primeira é Pérolas do ICCA. Nela, os pesquisadores do instituto selecionaram textos dentro de suas especialidades. Para quem trabalha com educação, vale a pena dar uma olhada na seleção feita por Geralda Magela.

Outra é o Centro de Referência da Viola de Arame Fluminense, dentro da área Iniciativas Culturais. Lá se pode aprender um pouco sobre a história e a importância desse instrumento na formação da música brasileira.

Por fim, dentro de Projetos está o levantamento da coleção de mais de 30 mil discos de vinil, cinco mil CDs, quatro mil partituras, dois mil rolos de fitas e 700 fitas cassete que compõem a coleção do ICCA. Esse material foi organizado em seis catálogos temáticos, que podem ser baixados no formato PDF. Entre os temas estão as trilhas sonoras de filmes e novelas e as músicas dos festivais.

Por essas e por outras, o site do ICCA é uma joia rara para quem se interessa por MPB. Para quem mora no Rio ou vem à cidade a passeio, a visita ao ICCA pode ser real.

Publicado em 17 de abril de 2007.

Publicado em 17 de abril de 2007