Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Self-service de valores

Ivone Boechat

A vida é uma grandiosa festa, um verdadeiro banquete de valores e dádivas, em que os convidados podem se servir à vontade. O primeiro passo é educar para posicionar bem os olhos nos verdadeiros pratos, naqueles que darão saúde física e mental. Muito cuidado! Vamos ao bufê:

Sucesso: Vá devagar. O excesso pode estufar o peito!

Felicidade: Faz a reposição hormonal do bem-estar.

Casamento: Mastigar bem é recomendável para evitar a indigestão.

Convivência: Tem muita pimenta. É saborosa, mas cuidado com os excessos.

Amor: Alimento integral. Sirva-se à vontade. Leve as sementes para casa.

Carinho: Não coma em prato fundo. Quando transborda incomoda os outros.

Alegria: Ofereça sempre um pouco ao seu vizinho.

Solidariedade: É massa. Coma na hora, se guardar endurece.

Compaixão: É um vegetal, fortifica e dele se aproveita tudo.

Amizade: Salpique bastante afeto, tempere com muita compreensão. Fria, perde o sabor.

Riqueza:  Encha o prato, coma devagar. Nunca deixe de repartir com o próximo.

Sonho: É excitante. Excelente para perfumar a realidade.

Paz: É um suco que se deve compartilhar, diariamente. Use o adoçante natural do querer.

: Não pode faltar! Faça sua encomenda diretamente à central divina.

Gratidão: Nunca ponha para congelar. É um prato que se come na hora, quente.

Esperança: Nunca perde o prazo de validade. Coma à vontade.

Oração: Não é comestível. Perfuma com sua essência a comunhão com Deus.

Pubicado em 29/10/2007

Publicado em 30 de outubro de 2007

Este artigo ainda não recebeu nenhum comentário

Deixe seu comentário

Este artigo e os seus comentários não refletem necessariamente a opinião da revista Educação Pública ou da Fundação Cecierj.