Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Cecierj promove a III Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação

Linda de Freitas

III FECTI

Laboratórios, projetos científicos, tecnologia, ciência e jovens. Esse foi o cenário da terceira edição da Fecti - Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação, que aconteceu no Museu da República, no Rio de Janeiro, nos dias 29 e 30 de março passados. Durante o evento, foram apresentados 52 trabalhos de escolas públicas e privadas do interior e da capital do estado; seis foram premiados. A feira é uma iniciativa da Fundação Cecierj, vinculada à Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia.

A abertura do evento contou com a presença do secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso, do subsecretário, Luiz Edmundo Horta, da presidente da Fundação Cecierj, Masako Masuda, e da vice-presidente de Divulgação Científica da Fundação, Mônica Damouche.

"A divulgação científica no Brasil, além de não ficar atrás da dos países desenvolvidos, muitas vezes a ultrapassa, na qualidade", afirmou o secretário.

Alunos da cidade do Rio de Janeiro, de Macaé, Duque de Caxias, Niterói e Comendador Levy Gasparian voltaram para suas cidades com a satisfação de ter seus trabalhos reconhecidos e premiados, além de terem a inscrição garantida na Feira Nacional de Ciências (Fenaceb), que será realizada em Brasília.

Ao contrário de 2006, quando a maioria dos projetos estava voltada para resolver problemas ambientais, esclarecer fenômenos naturais e avanços tecnológicos, este ano foi possível notar grande atenção para questões de higiene alimentar, cuidados com o lixo e os benefícios do biodiesel.

Destinada a estudantes do Ensino Médio, Técnico e da última série do Ensino Fundamental, a III Fecti envolveu aproximadamente 220 alunos e orientadores de 14 municípios do Estado do Rio de Janeiro, classificados nas seguintes categorias: trabalhos da 8a série; Ciências Exatas e da Terra; Ciências Biológicas e Ecologia; Ciências da Saúde e Agrárias; Trabalhos Interdisciplinares; e Desenvolvimento Tecnológico.

Foram premiados os seguintes trabalhos:

  • Coliformes em saladas comercializadas em restaurantes self-service da Zona Norte, da CEFET-Química, do Rio de Janeiro;
  • Glicerina: matéria ou energia, da UNED, de Macaé;
  • Sífilis em Duque de Caxias, do Colégio Casimiro de Abreu, de Duque de Caxias;
  • DICAV - Dispositivo para Controlar o Acesso de Veículos, da Escola Técnica Estadual Henrique Lage, de Niterói;
  • Célula fotovoltaica de corantes naturais, da Escola Alfa, de Macaé;
  • Reciclando óleo, do Colégio Estadual Coronel António Peçanha, de Comendador Levy Gasparian.

8/4/2008

Publicado em 08 de abril de 2008