Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Superinteressante

Cláudia Dias Sampaio

Regalo para os curiosos

Imagem da página inicial do site
http://super.abril.com.br/superarquivo

Tem dias em que a curiosidade parece o incisivo canto de uma cigarra na folha verde do pé de fícus da varanda. Navegamos a esmo pela rede na tentativa de aplacar tantas perguntas que se multiplicam, enquanto lá fora o canto contínuo são cócegas a mais nestes nossos porquês. Esse flanar moderno pelos sites da Internet pode ser enfadonho e até mesmo perigoso, como mostrou uma reportagem recente. Entretanto, se voltarmos os olhos para as flores do bem, temos à disposição infindáveis opções não só para aplacar mas, melhor ainda, para ampliar nosso repertório de porquês.

Uma dessas boas opções é o site da revista Superinteressante e o belo regalo que ela agora oferece aos que se encantam com o prazer das descobertas: o arquivo completo de todas as edições da revista de 1987 até 2006. Em breve estarão disponíveis também as edições mais recentes. São mais de 12 mil páginas de textos, a que antes só tinham acesso os assinantes da revista.

A maioria dos textos é baseada em descobertas de pesquisadores nas áreas de ciência, tecnologia e multimídia. É verdade que os editores têm especial predileção pelas pesquisas norte-americanas e por uma pitada de sensacionalismo – o que pode muito bem ser driblado com uma leitura crítica. Afinal, não se trata de uma revista científica, como a Nature ou a Science; portanto, atenção quando for usá-la como fonte de pesquisa.

No acervo estão edições que se esgotaram rapidamente na época em que foram vendidas em banca, como o especial sobre os superpoderes do cérebro humano – a edição 229, de agosto de 2006.

É material para muitas visitas. Uma boa pedida para aqueles dias em que perambulamos sem compromisso pela Internet.

E, afinal, de onde vem aquele canto cortante das cigarras nas manhãs de verão? Descubra na edição 157, de outubro de 2000. Bom passeio!

Publicado em 13 de maio de 2008

Publicado em 13 de maio de 2008

Este artigo ainda não recebeu nenhum comentário

Deixe seu comentário

Este artigo e os seus comentários não refletem necessariamente a opinião da revista Educação Pública ou da Fundação Cecierj.