Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Educação continuada

Rondon Mamede Fatá

Para a melhoria da Educação, não basta simplesmente dar aumento salarial para os professores, mas sim, paralelamente ao aumento, oferecer-lhes capacitações. Esse tipo de atividade é importante para tentar sanar a defasagem entre o curso de formação de professores (e/ou a licenciatura realizada) e os tempos atuais, em que é grande o número de informações e de técnicas, mas com outro tipo de foco, principalmente se levarmos em conta as necessidades dos alunos, sua qualidade de vida e o local onde está inserida a escola.

O governo tem que investir em capacitação, mas não em cursinhos rápidos e esporádicos, pois há muito está provado que praticamente não levam a nenhum lugar em termos de rendimento para a melhoria da qualidade.

A capacitação de professores, nomeada educação continuada, deve ocorrer durante o ano letivo, havendo capacitações especiais em que o professor, enquanto estiver participando, aplicará com os alunos o que aprendeu e trará para sua turma de capacitação o que foi positivo e o que foi negativo, além de comentar a metodologia utilizada e a receptividade dos alunos, a fim de que se faça uma avaliação conjunta do trabalho.

O professor, então, levará de volta aos alunos a continuação ou a modificação do trabalho, a partir do que foi discutido com seus pares. Pode, então, como docente, continuar ou modificá-lo novamente, sempre conversando com seus alunos.

Para cada grupo de professores que estejam realizando a capacitação, deverá haver um professor como orientador/tutor, servindo de apoio não só quanto aos conteúdos das disciplinas mas principalmente quanto às metodologias.

Nos encontros que ocorrem fora da escola, o tutor estará presente participando e discutindo de todas as etapas do curso: elaboração, implantação e avaliações, para que ele próprio participe e se atualize.

Só através da educação continuada, com a participação abrangente dos professores, será possível acreditar que a educação, tanto no âmbito federal quanto no estadual ou municipal, terá expressiva melhoria quanto ao rendimento dos alunos.

Os professores certamente entenderão que os conteúdos de suas disciplinas são apenas ferramentas de trabalho e que o mais importante é desenvolver o aprender a aprender, de modo que sua atividade docente leve os alunos a se tornar cidadãos competentes.

Voltando ao primeiro parágrafo deste texto: o binômio aumento de salário e educação continuada tem que correr paralelamente.

Publicado em 1º de julho de 2008

Publicado em 01 de julho de 2008

Este artigo ainda não recebeu nenhum comentário

Deixe seu comentário

Este artigo e os seus comentários não refletem necessariamente a opinião da revista Educação Pública ou da Fundação Cecierj.