Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Divulgando ciência na escola

Adriana Oliveira Bernardes

Professora de Física, Clube de Astronomia de Itaocara Marcos Pontes


Foto 1: Alunos do projeto Divulgando visitam a 2o série para apresentar experiência sobre refração da luz.

Divulgar ciência dentro da escola, tornar os assuntos científicos cada vez mais próximos da comunidade escolar, disponibilizando através de jornais, programas exibidos na rádio escolar e Internet vários assuntos científicos foram os objetivos do projeto Divulgando Ciência na Escola, que trouxe antes de tudo inovação e incentivo ao estudo de Ciências no Colégio Estadual Jaime Queiroz de Souza, em Itaocara.

A partir da criação do Jornal da Ciência o projeto se iniciou, voltado para a divulgação da ciência dentro e fora da escola, para alunos, professores e comunidade local.

Outros recursos também foram utilizados para divulgação: na rádio da escola, a apresentação semanal do jornal Ciência Divertida foi utilizada para falar de vários assuntos científicos para a comunidade, dando prioridade a temas atuais. Posteriormente, a gravação em áudio das notícias comporão uma biblioteca digital de notícias disponibilizada na escola para alunos e professores sobre assuntos científicos diversos.

O jornal foi disponibilizado também na Internet; o blog e o fotoblog também mostravam o andamento do projeto e as várias atividades desenvolvidas. Foram apresentados seminários nas turmas do Ensino Fundamental e do Ensino Médio; temas como: telescópio Hubble, células-tronco e aquecimento global foram discutidos, envolvendo grande número de alunos. Além disso, o trabalho também foi adaptado para ser apresentado às crianças das séries iniciais.


Foto 2: Alunos do projeto Divulgando apresentam seminário sobre o telescópio espacial Hubble nas séries iniciais.

Oficinas de Ciências foram oferecidas aos professores das primeiras séries do Ensino Fundamental, a fim de contribuir para que a informação científica fosse disponibilizada a esse grupo.

Foi priorizada a contribuição para capacitação dos professores das séries iniciais, que são responsáveis pelo primeiro contato da criança com a ciência, disponibilizando para eles todo material produzido, a fim de desenvolver os temas de maior dificuldade.


Foto 3: Com suas experiências, os alunos do projeto conseguem sempre despertar o interesse das crianças.

A divulgação em outras escolas também fez parte dos objetivos do projeto. O melhor exemplo foi a participação na I Tarde Científica, um evento que envolveu a participação de vários colégios.

O entendimento da ciência nos dias de hoje é de suma importância para a formação do cidadão pleno dentro da escola: consciente, crítico e participativo. Sabemos hoje que o conhecimento científico não deve ser algo restrito a poucos; é importante possibilitar às pessoas o entendimento da ciência como algo que possa ajudá-las a viver melhor e a compreender as conquistas tecnológicas como algo que facilita sua vida e que essas conquistas são oriundas do desenvolvimento da ciência.

A própria percepção de nós mesmos enquanto seres humanos mostra a importância de conhecer o mundo em que vivemos. Assuntos como poluição e aquecimento global são importantes para que o homem, consciente dos problemas que ele mesmo gerou, saiba contorná-los e, no futuro, reverta essa difícil situação em relação às questões ambientais.

A escola deve se preocupar em fornecer ao aluno condições para compreensão da realidade, através de ações pensadas e articuladas de maneira a envolver o aluno com questões importantes que realmente o formem como cidadão. Daí a necessidade da utilização de vários tipos de recursos que motivem o aprendizado e que despertem seu interesse.

Em seu livro Os Quatro Pilares da Educação, Edgar Morin fala da importância de aprender a fazer, aprender a conhecer, aprender a viver juntos e aprender a ser; fala da necessidade do ensino com saberes utilitários. Pensando nisso, ficou em nós a pergunta: como poderíamos, dentro da escola, tentar contornar tantos problemas que vivenciamos hoje nos processos de ensino e aprendizagem de Ciências, trabalhando essa disciplina de forma efetiva e, ao mesmo tempo, descontraída?

Respondemos à pergunta com este projeto, mostrando que alunos da comunidade, participando efetivamente da vida da escolar e com orientação adequada, podem levar informação e disseminar conhecimento científico para a comunidade escolar, mostrando entre outras coisas a possibilidade de seu envolvimento com a escola e sua capacidade de produzir coisas importantes que podem aumentar sua autoestima enquanto contribuem para sua formação como cidadão.

Desenvolvimento do trabalho

Antes de o projeto ser iniciado, foi realizada uma pesquisa sobre o interesse dos alunos em ciências e outra para avaliar conhecimentos científicos.

Inicialmente os alunos foram reunidos para pesquisar assuntos científicos e divulgá-los na escola; essas pesquisas foram realizadas utilizando Internet, livros e revistas da biblioteca. A divulgação dos trabalhos seria feita inicialmente na forma de seminários, apresentados nas salas de aula, sendo previamente combinado o dia e horário da visita do grupo formado pelos alunos participantes do projeto com o professor de Ciências - no caso de turmas do Ensino Fundamental - e professores de Química, Física e Biologia no Ensino Médio. Para as turmas das séries iniciais, o professor contactado era o regente da turma.

Todos os vídeos utilizados nos seminários também foram disponibilizados para os professores da escola, criando assim uma videoteca científica.

Ao mesmo tempo, pensou-se que informações científicas poderiam ser divulgadas através de material escrito, no caso folhetos informativos e jornais. Foi criado o jornal Hora da Ciência, com circulação semanal e oferecido aos alunos da escola com recursos cedidos pela direção da escola. O jornal contava com várias seções e uma discussão semanal decidia o que seria feito em cada número.

O jornal possuía as seguintes seções: Entrevista da semana, realizada com professores da área de Ciências; Fique por dentro, com notícias científicas atuais; Semana do Projeto Divulgando Ciência na Escola, que falava das atividades realizadas pelos alunos durante a semana; e Notícias da semana, obtidas através de jornais ou da Internet.

Os folhetos explicativos abordavam sempre o assunto dos seminários e eram distribuídos nos eventos; deste modo, foi criado e disponibilizado aos alunos e professores, dentro da escola, um material de interesse científico. Os professores eram estimulados a fazer uso do material e a opinar sobre eles, pois a partir das respostas obtidas o trabalho pode ser melhorado.

O programa na rádio da escola também foi utilizado para divulgação. Chamado Hora da Ciência, foi apresentado semanalmente na hora do intervalo, tratando de diversos assuntos científicos da atualidade.

Os alunos foram encarregados de pesquisar as notícias que seriam divulgadas e gravá-las no computador, a fim de que se criasse um arquivo digital daquelas que poderiam ser disponibilizadas aos professores da escola.

Todos os assuntos eram também divulgados no mural da escola, que reservou para o projeto o Espaço da Ciência.

Esperamos o final do projeto para realizar novamente a pesquisa, a fim de constatar se houve alguma melhora no interesse por ciência. Foram realizadas também entrevistas com professores sobre o interesse dos alunos e realizado um debate sobre o ensino de Ciências na escola, contando com a participação de professores, coordenadores pedagógicos e alunos. Com os assuntos trabalhados neste projeto, foi confeccionado o livro Conhecendo a Ciência, impresso na escola e hoje no acervo da biblioteca.

Paralelamente ao desenvolvimento destas atividades, foram sendo produzidos o blog e o fotoblog do projeto, relatando passo a passo as atividades inclusive com fotos.

Os passos para o desenvolvimento do projeto foram:

  • Pesquisa do tema escolhido na Internet, em jornais e revistas.
  • Elaboração dos seminários para serem apresentados nas várias séries do Ensino Fundamental e do Ensino Médio da escola.
  • Criação de folhetos explicativos dos temas desenvolvidos e apresentação de seminários.
  • Elaboração de jornal com edições semanais.
  • Gravação de podcats.
  • Criação de programas educativos para serem apresentados semanalmente na rádio da escola; montagem futura de uma biblioteca digital com as notícias científicas.

Foto 4: Apresentando vídeo sobre o telescópio Hubble para alunos do EJA (Ensino de jovens e adultos), importante para manter contato com a turma de alunos que não puderam frequentar a escola na idade ideal.

Resultados

No início do projeto, alguns temas eram pouco conhecidos dos alunos e até mesmo de alguns professores. Pouco a pouco os vários assuntos abordados passaram a fazer parte do vocabulário de todos, assim como as discussões de temas científicos foram entrando em seu cotidiano, mostrando que na escola pública a qualidade do ensino não precisa ser utopia e que um trabalho bem direcionado pode alcançar bons frutos.

Os seminários apresentados semanalmente nas várias turmas do Ensino Fundamental e Médio motivaram o estudo de Ciências e aumentou o interesse dos alunos pelo assunto; a cada apresentação os alunos demonstravam maior atenção, segundo os professores consultados. Da mesma forma, a circulação do jornal Hora da Ciência na escola não só contribuiu para que os alunos tomassem contato com vários assuntos da atualidade como também para o aumento do interesse dos alunos pelos temas, como os professores observaram. O jornal tornou-se o primeiro informativo da área de Ciências produzido na escola.

O programa na rádio teve impacto muito grande na comunidade, tornando-se uma ideia nova que todos aprovaram; sem se dar conta, a maioria estava tomando contato com informações importantes, algumas delas podendo fazer diferença em suas vidas.

Os encontros com professores das séries iniciais geraram várias ideias do que pode ser desenvolvido junto às crianças nas primeiras séries do Fundamental, mostrando que o interesse das crianças existe, mas precisa ser estimulado.

As atividades realizadas com as crianças foram muito bem recebidas pelos professores das séries iniciais e serviram como primeiro contato de muitas delas com a Ciência na escola.


Foto 5: Com a colaboração de Rosimar Cabral, professora de séries iniciais, alunos do projeto Divulgando conseguiram apresentar vários experimentos para a 4ª série, cumprindo um dos objetivos do projeto: desenvolver o interesse das crianças por Ciências.

O projeto participou de atividades em outras escolas, entre elas a I Tarde Científica, realizada em Itaocara com a participação de várias escolas.

A criação do blog do projeto, além de mostrar seu andamento, incentivava a criação de textos por parte dos alunos para posterior publicação. No fotoblog as fotos do projeto mostram a dedicação dos alunos e as várias etapas do projeto.

Na Mostra de Ciências que será realizada pela escola, pretendemos não só divulgar os dados das pesquisas mas também uma série de recursos criados para melhorar os processos de ensino e aprendizagem de Ciências na escola.

Veja a seguir alguns gráficos com resultados das pesquisas:

Como você considera que seja seu interesse em Ciências?

Resultado geral - Ensino Fundamental:

Como você considera que seja seu desempenho em Ciências?

Resultado geral - Ensino Fundamental:

Você gosta de estudar Ciências?

Resultado geral - Ensino Fundamental:

Quais dos programas abaixo você mais assiste?

Resultado geral - Ensino Fundamental:

Como você considera que seja seu interesse por Ciências?

Resultado geral - Ensino Médio:

Como você considera que seja seu desempenho nas disciplinas Química, Física e Biologia?

Resultado geral - Ensino Médio:

Você gosta de estudar as disciplinas Química, Física e Biologia?

Resultado geral - Ensino Médio:

Quais dos programas abaixo você mais assiste?

Resultado geral - Ensino Médio:

Considerações finais

Sabemos da necessidade de melhorar o ensino de Ciências no país; essa melhora passa por ações efetivas dentro da escola, não só no que tange ao acesso de informação pelos alunos mas também dos próprios professores das escolas.

A escola pode e deve divulgar assuntos científicos na medida em que se propõe a formar um aluno cidadão, que só poderá exercer sua cidadania plena conhecendo a realidade e sabendo interpretar o mundo em que vive.

O trabalho com professores das séries iniciais foi muito bem recebido e mostrou claramente a necessidade de sua capacitação; isso nos faz atentar para o que a própria escola pode fazer em prol do professor e dela mesma sem esperar pelas autoridades - que é o que vem fazendo até hoje.

Mostrar que o aluno da rede pública tem valor e pode realizar ações importantes dentro da escola não só é benéfico para ele mesmo, trazendo mudanças em seu comportamento, sua autoestima e sua visão de mundo, mas também para a escola, que cumprirá sua verdadeira vocação: formar o cidadão.

Referências

Biologia. Volume 6. Coleção Explorando o Ensino. Ministério da Educação, 2006.

BONJORNO, Clinton. Temas da Física. Volume 1 - Ensino Médio. FTD, 2003.

BONJORNO, Clinton. Temas da Física. Volume 3 - Ensino Médio. FTD, 2003.

CARVALHO, Geraldo C.; SOUZA, Celso L. Química - Ensino Médio. Scipione, 2005.

DELORS, Jacques. Educação para o século XXI. Unesco. 1998.

FELTRE, Ricardo. Química geral - Ensino Médio. Moderna, 2005.

Física. Volume 7. Coleção Explorando o Ensino. Ministério da Educação, 2006.

FONSECA, Albino. Biologia. Série Novos Horizontes. Volume único. Ibep, 2005.

MÁXIMO, Antônio; ALVARENGA, Beatriz. Física. Volume único - Ensino Médio. Scipione, 1997.

NOVAES, Vera. Química. Ensino Médio - Volume único. Atual, 2006.

OLIVEIRA FILHO, Kepler de Souza; SARAIVA, Maria de Fátima Oliveira. Astronomia e Astrofísica. Editora da Física, 2004.

Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências da Natureza, Matemática. Ministério da Educação, 2002.

Química. Volume 4. Coleção Explorando o Ensino. Ministério da Educação, 2006.

Química. Volume 5. Coleção Explorando o Ensino. Ministério da Educação, 2006.

Sites consultados:

Sites do projeto:

Publicado em 25 de novembro de 2008

Publicado em 25 de novembro de 2008