Este trabalho foi recuperado de uma versão anterior da revista Educação Pública. Por isso, talvez você encontre nele algum problema de formatação ou links defeituosos. Se for o caso, por favor, escreva para nosso email (educacaopublica@cecierj.edu.br) para providenciarmos o reparo.

Descobrindo a Astronomia em Itaocara

Adriana Oliveira Bernardes

No dia 26 de abril de 2006 foi fundado na cidade de Itaocara, no Estado do Rio de Janeiro, o Clube de Astronomia de Itaocara Marcos Pontes, que vem escrevendo uma trajetória de sucesso ao incentivar o Ensino de Ciências no Noroeste Fluminense.

Logo no primeiro ano desenvolvemos o projeto Astronomia para crianças: um universo de descobertas, que atuou fortemente junto às crianças das séries iniciais do Colégio Estadual Teotônio Brandão Vilela, ensinando Astronomia e utilizando como recurso didático o computador; isso contribuiu inclusive para que muitas crianças tivessem seu primeiro contato com o mundo da Informática.

Em 2007 continuamos nosso trabalho junto às crianças, incentivando-as sempre no aprendizado da Astronomia, contribuindo para que elas, através das aulas ministradas pelos membros do Clube, se apropriassem de vários conteúdos importantes e temas nem sempre conhecidos dos professores das séries iniciais. Desenvolvemos também em 2007 o projeto Astronomia, arte e mitologia no Ensino Fundamental; na tentativa de inovar nos recursos utilizados para motivar a aprendizagem de Astronomia, focamos seu estudo na arte e na mitologia. Esse projeto foi orientado por mim e coorientado pela pedagoga Arleidimar Ramos dos Santos, que vem contribuindo bastante com o Clube desde sua formação.

Em sua sede no Colégio Estadual Teotônio Brandão Vilela, são oferecidos cursos e atividades que desenvolvem o interesse por Astronomia e contribuem para seu estudo pelo público em geral.

Em 2006 foram desenvolvidas várias atividades, tais como as Tardes de Astronomia; nelas, os sócios do Clube desenvolveram na sala de informática, junto a alunos das séries iniciais, várias atividades utilizando objetos de aprendizagem especificamente criados para serem utilizados com as crianças.

No ano seguinte, foram oferecidas aulas de Astronomia para as crianças das séries iniciais, trabalhando o conteúdo da OBA (Olimpíada Brasileira de Astronomia). Como resultado desse trabalho, foram obtidas três medalhas por alunos da primeira e da terceira séries do Ensino Fundamental: duas de bronze e uma de prata.


Confraternização entre os alunos da terceira série  e os monitores Anderson e Manolo

Por que ocorrem o dia e a noite, tema da aula dos monitores de Astronomia, é trabalhado com experiências

Alunos ganhadores da Olimpíada de Astronomia promovida pelo Clube com os monitores

Atividade do Clube de Astronomia de Itaocara Marcos Pontes: aula de Astronomia

Entrega das Medalhas da Olimpíada Interna de Astronomia do CAIMP

O Clube já promoveu duas olimpíadas, a primeira, em 2006 (ano em que o projeto começou a ser implantado), já mostrava a potencialidade dos alunos e foi importante por conseguir envolver os alunos da escola, os alunos monitores do Clube de Astronomia e os professores das séries iniciais em prol da obtenção de bons resultados na prova.

No segundo ano, foi confeccionada uma apostila, de acordo com o conteúdo da Olimpíada Brasileira de Astronomia, o que envolveu toda a comunidade do Clube de Astronomia e do Colégio Estadual Teotônio Brandão Vilela.


Aluna Bhrenda G. dos Santos, ganhadora de medalha de prata na X OBA

Participação do clube no VII Encontro da Liga de Astronomia

O Clube de Astronomia de Itaocara Marcos Pontes teve oportunidade de participar, em dezembro de 2007, do VII Encontro da Liga de Astronomia do Estado do Rio de Janeiro, da qual fazem parte o Clube de Astronomia de Niterói Mário Schenberg, o Clube de Astronomia Louis Cruls, a Sociedade de Estudos Astronômicos de Ouro Preto, o Clube de Astronomia de São Gonçalo Leonardo da Vinci e o Clube de Astronomia Nação Mangueirense, que também realizam várias atividades relacionadas à divulgação da Astronomia no Estado do Rio de Janeiro e ao ensino e aprendizagem da disciplina.

Nesse encontro foram apresentadas as seguintes palestras: O novo sistema-solar e a criação do Dia do Astrônomo no Estado do Rio de Janeiro, do professor Marcomede Rangel Nunes, do Observatório Nacional; O aquecimento da Terra: causas antropogênicas, do professor Raul Figueira, do Clube de Astronomia Nação Mangueirense; O Sol e o aquecimento global, do professor Marcelo de Oliveira Souza, da Uenf; Introdução aos meteoritos, do professor Gílson Nunes, da Sociedade de Estudos Astronômicos de Ouro Preto; A inserção da Astronomia como disciplina curricular de Ensino Médio, do professor Cláudio André Dias, do Clube de Astronomia Louis Cruls/CEFET-Campos; e minha comunicação Astronomia, arte e mitologia no Ensino Fundamental.

No evento, foram ministrados os seguintes cursos:

  • Noções básicas de Astrobiologia – Prof. Márcio dos Santos Teixeira Pinto (Clube de Astronomia Louis Cruls/CEFET-Campos);
  • O Sistema Solar em escala – Profa. Noeli Piedade de Almeida (Clube de Astronomia Mário Schenberg e Clube de Astronomia de Magé);
  • Montagem de Modelos Espaciais – Prof. Milton Cesar V. Machado (Clube de Astronomia de São Gonçalo Leonardo da Vinci);
  • O ciclo evolutivo da Cosmologia desde a Antiguidade até a Era Moderna – Prof. João Batista Lannes (Clube de Astronomia Louis Cruls/CEFET-Campos).

Raul Figueira, presidente da Liga de Astronomia, fala sobre aquecimento global

Professora Noeli, do Clube de Astronomia Mário Schenberg

Milton Machado, do Clube de Astronomia de São Gonçalo Leonardo da Vinci

Alunos do Clube de Astronomia Marcos Pontes na exposição apresentada pelo Clube de Astronomia de  São Gonçalo, Ao infinito e além

Professor Marcelo de Oliveira Souza, da Uenf, também falou sobre aquecimento global

Aluno Manolo Alves, membro do Clube de Astronomia Marcos Pontes, é entrevistado pela Tv local de Campos durante o VII Encontro da Liga de Astronomia

Considerações finais

Os resultados alcançados nas olimpíadas (tanto nas internas quanto nas externas) mostram a importância do trabalho realizado pelo Clube e, principalmente como são receptivos ao aprendizado os alunos das séries iniciais, que tantas vezes chegam ao Ensino Médio completamente desestimulados no estudo de Ciências.

Em contato com outros clubes, pudemos observar que não somos os únicos a trabalhar Astronomia com o objetivo de torná-la acessível às pessoas em geral, nem os únicos a estimular o aprendizado das crianças utilizando esta que é uma das mais antigas das ciências.

Antes de tudo, o contato com outras ideias e outras pessoas motivadas a se dedicar à divulgação da Astronomia estimulou os jovens membros do clube a continuar seu trabalho e a se envolver cada vez mais com questões ligadas ao ensino e aprendizagem de Astronomia, de Ciências em geral e com divulgação científica; exemplos não faltaram.

Publicado em 26 de fevereiro de 2008.

Publicado em 26 de fevereiro de 2008