Revista Educação Pública agora é B1

Equipe da revista

A revista Educação Pública acaba de conquistar o nível B1 na mais recente avaliação do sistema Qualis, da Capes. Poderíamos ficar elogiando a equipe de produção, os autores que nos enviaram trabalhos de valor, os leitores que citaram nossos artigos em seus trabalhos... E seria bastante justo. Mas preferimos apurar dados do passado para perceber qual deve ser nosso caminho no futuro.

Claro que percebemos que alguns acontecimentos foram marcantes: nunca foram pedidas tantas autorizações aos nossos autores para que sejam republicados seus artigos em obras comerciais – especialmente livros didáticos. Outro fator significativo nesse sucesso é o tempo que tem a revista: 22 anos, nascida ainda como Portal da Educação Pública na virada do milênio. É uma audiência (na terminologia do Google) que vem se sedimentando nesses anos todos, fazendo da Educação Pública uma referência no assunto.

Aqui os leitores sabem, depois de tantos anos, que vão encontrar artigos ou crônicas e poesias de qualidade, entrevistas com pessoas importantes do sistema educacional, quase sempre numa linguagem dialógica, simples e direta para tratar de temas atuais e relevantes.

Como já foi dito, não estamos apenas nos vangloriando de coisas passadas; elas servem para balizarmos nosso futuro. Por isso, o sistema de produção da revista está sempre evoluindo, graças à parceria com o Departamento de Desenvolvimento de Sistemas, subordinado à Diretoria de Informática da Fundação Cecierj. Muitas vezes levamos a eles solicitações ou sugestões dos leitores e quase sempre conseguimos implantá-las.

Uma dessas inovações foi a implantação de dois modelos de ranqueamento dos artigos: pelo número de acessos e pelas avaliações dadas pelos leitores. E os resultados obtidos nessa classificação (que inclui artigos de anos anteriores) ajudam a direcionar nosso planejamento.

Por exemplo, os artigos mais visitados tratam de temas centrais para a Educação: os principais estudiosos da Educação, como Piaget, Emília Ferreiro, Ana Teberosky, Vygotsky e, claro, Paulo Freire. Outro assunto que é muito atraente para nossos leitores é relativo a situações escolares – como violência escolar, avaliação, autismo, inclusão – e campos do conhecimento que têm profunda parceria com a Educação, como a Psicologia, a Psicopedagogia, tecnologias e a Neurologia, entre outras. Outro aspecto bastante procurado está relacionado a políticas públicas e história da Educação.

Claro que ações realizadas no período da pandemia foi um tema recorrente nas nossas publicações nos últimos três anos, especialmente relatos de experiência – quase sempre exitosos; são estudos que com certeza serviram de referência para a atuação de outros professores que passaram (e ainda passam) pelas mesmas dificuldades, ainda hoje, mesmo para preparar aulas presenciais.

Foi notável, então, o destaque que mereceram os trabalhos de relatos de experiências em escolas específicas, em que os autores (quase sempre professores dessas unidades) expõem as dificuldades enfrentadas e a solução encontrada para superá-las. Outro grupo de artigos bastante presentes é o de casos em que determinados conteúdos – quase sempre importantes para a região da escola – são trabalhados de maneira inovadora, alcançando resultados bastante positivos, com grande presença de estudos sobre Educação Ambiental.

Assim, olhando para o passado, percebemos que estamos em uma evolução constante. Olhando para a frente, sabemos os passos que temos a trilhar – mas certamente teremos e precisamos da companhia dos nossos autores, dos nossos leitores e da nossa equipe. É esse conjunto que fez a revista Educação Pública alcançar, no final de 2022, seu mais alto nível avaliativo. E que irá se refletir nos próximos caminhos a seguir.

Mas também é essencial agradecer a você, pela parceria, pelo interesse, pelas avaliações, pela leitura atenta dos trabalhos publicados.

Publicado em 10 de janeiro de 2023

Como citar este artigo (ABNT)

EDUCAÇÃO PÚBLICA. Revista Educação Pública agora é B1. Revista Educação Pública, Rio de Janeiro, v. 23, nº 1, 10 de janeiro de 2023. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/23/1/revista-educacao-publica-agora-e-b1

Novidades por e-mail

Para receber nossas atualizações semanais, basta você se inscrever em nosso mailing

1 Comentário sobre este artigo

Deixe seu comentário
Luciana Jesus de Souza • 20 dias atrás

Parabéns à todos que fazem desse ambiente, um local de profícuo saber! Esse editorial me remete à Adrinkra do povo Akan chamada "Sankofa", olhar o futuro, sem esquecer do nosso passado!

0

Este artigo e os seus comentários não refletem necessariamente a opinião da revista Educação Pública ou da Fundação Cecierj.