Edição V. 20, Ed. 13 - 07/04/2020

O desafiador contexto da Educação Especial Inclusiva e a afetividade: processos socioafetivos estruturando a inclusão

Educação Especial e Inclusiva

Diante dos desafios encontrados, é comum perceber na realidade escolar pública o desânimo e a negligência consciente e/ou inconsciente tomando forma e lugar, o que é desumano e ilegal. Percebe-se que a afetividade, em seu sentido amplo, longe de ser apenas emoções ou permissividade, ainda que de forma bem implícita, é citada em todos os textos que abordam a inclusão, principalmente os que sugerem práticas mais concretas. Apesar de já se saber que a afetividade é fundamental no processo de construção do conhecimento e desenvolvimento humano, ela nunca ganhou tantas falas e relevância quanto agora, com o desenvolvimento da Educação Especial Inclusiva. Nesse contexto, fala-se de relações intrínsecas entre todos os envolvidos desta rede. A escola, a família, a comunidade e o próprio aluno enfrentam diversos desafios para uma real efetivação da Inclusão Escolar.

Leia este artigo

Reflexões sobre o uso das novas tecnologias como recurso didático no processo de ensino-aprendizagem

Computação e Tecnologias e Geografia

A elaboração de uma estratégia pedagógica pelo professor segue uma proposta de ensino em que o objetivo é que os alunos construam seu conhecimento. Para que essa construção ocorra, é necessário que o educador eleja recursos didáticos que possibilitem a interface entre o conteúdo e a realidade dos educandos.

Leia este artigo

Defesa de seminários: a argumentação na aprendizagem sobre modelos atômicos no Ensino Fundamental

Física, Química e Vivências de Sala de Aula

A história do fazer científico e do que é a Ciência em si traz postulados e teorias científicas que foram passíveis de discussões, críticas, provas, debates intensos. Várias teorias que outrora foram verdades já não são mais aceitas atualmente; isso mostra que, com argumentações que as apoiavam e criticavam, se faz Ciência. O presente trabalho objetivou desenvolver uma metodologia baseada em seminários elaborados pelos estudantes e exemplificar que, a partir das perguntas feitas pelo professor sobre o tema, inicia-se um debate que permite ao aluno formular respostas cada vez mais complexas.

Leia este artigo

Mostra o seu que eu mostro o meu: discussões sobre sexualidade, gênero, juventude e outros afetos

Saúde, Antropologia, Comunicação, Psicologia, Sociologia, Educação Infantil, Formação de Professores, Vivências de Sala de Aula, Educação Física, Língua Portuguesa e Literatura, Espaços Urbanos, Política Cultural e Política Educacional

Pensar a juventude atravessada pela sexualidade na escola a partir do estudo de caso de J, 15 anos, negra, homossexual e moradora de um abrigo para menores, liga-se à ideia de “circuitos de afetos”, cunhada por Safatle, uma vez que para ele política é uma questão de afeto, de ser afetado por ela, o que ajuda a pensar o próprio trânsito e a territorialidade da jovem no circuito abrigo-escola, escola-abrigo. É fundamental refletir como essas relações são produzidas e agenciadas dentro da escola e fora dela, sempre permeadas por relações de poder negociadas e negociáveis, assim como por um currículo escolar invisível, oculto que todo aluno e todo professor precisa, em alguma medida, conhecer “para se dar bem na escola”.

Leia este artigo

Práticas pedagógicas inclusivas no ensino de música escolar voltado para turmas mistas (estudantes surdos e ouvintes)

Educação Especial e Inclusiva, Outras Mais Específicas e Política Educacional

O presente artigo tem como objetivos fomentar a discussão acerca do ensino de música na escola, realizado em turmas mistas (compostas por estudantes surdos e ouvintes) e apresentar duas pesquisas que contemplem essa temática. A partir da revisão bibliográfica de autores que versam sobre música e surdez, inclusão e políticas educacionais, as pesquisas apresentadas buscam alcançar resultados que possam contribuir tanto para a formação inicial e continuada de professores de Música como também favorecer a efetivação de um ensino de Música escolar que considere a diversidade existente na sala de aula, seja ela de caráter de gênero, raça, valores, religião, processos de aprendizagem e estruturas familiares, entre outros.

Leia este artigo

A BNNC e o "novo" Ensino Médio

Ao vivo no Instagram - 28/05 às 19h: https://instagram.com/gepilis

Trabalho remoto e a precarização do ensino

Diálogos entre Biologia e Educação no cenário pandêmico

Inscrições no site: https://doity.com.br/cursobio4

Caminho para a liberdade

"A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele."
Hannah Arendt (1906-1975).

Educadores brasileiros

Dermeval Saviani

"A educação é uma atividade que supõe a heterogeneidade no ponto de partida e a homogeneidade no ponto de chegada."

Ajude a reduzir a subnotificação da COVID-19

A Comissão RJ Ciência no Combate à Covid-19 (ComRJCOVID), coordenada pela SECTI e pela Faperj, quer obter informações sobre a subnotificação da Covid-19 no Estado do Rio. Na elaboração e aplicação do questionário, estarão trabalhando também a UERJ, a UFRJ e a Fiocruz. O objetivo é fazer um levantamento da possível subnotificação de casos da Covid-19. Com isso, haverá mais informações para agir preventivamente, graças à identificação de casos por CEP. O questionário é simples e fácil de ser respondido.

Responda ao questionário: https://is.gd/subnotificacao_rj_covid

COVID-19

Coronavírus: O que você precisa saber e fazer

coronavirus.saude.gov.br.

Twitter da revista

Siga-nos no Twitter @educacaopublica

Veja também

Fundação Cecierj


Diretoria de Extensão


Revista EaD em foco