Edição V. 9, Ed. 35 - 22/09/2009

Arte Clássica e Educação

A importância da arte na formação dos indivíduos parece se apresentar de forma notória, não somente por causa de sua presença nas grades curriculares do ensino regular básico, não só pela abertura e estímulo à imaginação e a potenciais criativos/poéticos que ela pode provocar, nem também só por conta da dificuldade em defini-la – que faz dela uma forma de expressão humana tão peculiar. A arte carrega em sua história uma carga de significado que lhe atribui poderes que remetem a forças presentes no ser humano que são essenciais para constituir sua própria humanidade – o que nos remete à ideia de que nossa humanidade não é algo dado, algo natural, mas algo que precisa ser formado, moldado em conformidade com um ideal de “humanidade”, o que se dá por meio de um processo educativo. Lembrando que, o próprio sentido originário da palavra “alma”, no latim, se refere a um “sopro”, o sopro divino presente em nós, a parte de divindade que reside em nossa natureza terrena, mundana. Não por acaso, na Antiguidade os artistas eram considerados inspirados por entidades divinas, como se fossem possuídos, como se não tivessem, na verdade, plena consciência do que estavam fazendo, da obra que estavam criando. Devido a esse modo de considerá-la, sempre houve aproximação da arte com o próprio espírito religioso; ao pensar nos gregos, por exemplo, em geral as figuras representadas nas esculturas que nos foram legadas eram sempre representações de deuses – obviamente na consideração grega sobre os deuses, os quais tinham forma humana no corpo e na personalidade, só que elevada a níveis muito mais grandiosos, belos e poderosos.

Leia este artigo

Aprendendo do amor

Foi uma surpresa conhecer este texto de Eça de Queiroz e sentir um frescor que a princípio parecia impossível, não só pelo peso canônico do autor de O primo Basílio e O crime do padre Amaro, mas mesmo pelo objeto do livro: cartas de amor do século XIX.

Leia este artigo

Trânsito amigo

Nascido como forma de homenagear parentes que foram vítimas da violência do trânsito, este site ganhou novo foco: dar sugestões e notícias que possam significar alguma redução nos índices de acidentes nas ruas.

Leia este artigo

Caprichos da vontade

Uma amiga que vive numa eterna luta de gladiadores com a balança estava orgulhosa da disciplina alimentar que vinha mantendo durante um mês por livre e espontânea vontade: café da manhã frugal – à base de frutas e leite desnatado; almoço light – saladinha, arroz integral e peixe grelhado; e uma prosaica sopa no jantar. Além de estar satisfeita com as novas formas que iam surgindo em seu corpo – a cintura, até então desconhecida, desenhando-se, as maçãs saltando do rosto, o queixo duplo tornando-se uno –, estava com mais disposição para fazer as coisas, dormindo bem... até sua alergia havia melhorado. Como lhe fazia bem trocar as costumeiras frituras e refrigerantes por frutas, cereais e legumes!

Leia este artigo

Atenção: Submissão de trabalhos

Educação e pandemia

Educação e pandemia

Artigos publicados na revista Educação Pública sobre a pandemia

Acesse aqui

Educação: Tem o poder de transformar

O Centro de Estudos “O bem viver e a resiliência dos povos indígenas no cuidado com a Amazônia" recebeu os representantes dos povos indígenas
- Iolanda Pereira da Silva, do Povo Macuxi;
- Michel Oliveira Baré Tikuna, do Povo Baré e Tikuna;
- e o procurador da República Marco Antônio Delfino de Almeida;
- e o coordenador do Programa Rio Negro do Instituto Socioambiental, Marcos Wesley de Oliveira.

Veja o video

Caminho para a liberdade

"A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele."
Hannah Arendt (1906-1975).

Educadores brasileiros

Dermeval Saviani

"A educação é uma atividade que supõe a heterogeneidade no ponto de partida e a homogeneidade no ponto de chegada."

Twitter da revista

Siga-nos no Twitter @educacaopublica

Veja também

Fundação Cecierj


Diretoria de Extensão


Revista EaD em foco