Edição V. 11, Ed. 34 - 30/08/2011

O que sobrou do império

A Europa é um continente velho e decadente.

Leia este artigo

Alunos de escolas noturnas: entre o sonho do diploma e a dura realidade

Quando se pensa a realidade do aluno que estuda no horário noturno, o risco da evasão escolar torna-se particularmente mais crítico. O aluno do curso noturno, de modo geral, é aquele que necessita voltar a estudar por questões comumente associadas à sua vida profissional; quase sempre sua trajetória escolar foi marcada por grande número de reprovações, levando-o a retomar seus estudos em horário noturno por incompatibilidade entre a jornada diurna e a demanda regular de suas atividades de trabalho. Esse mesmo aluno, submetido a uma jornada diária de seis a oito horas de trabalho, encontra-se muito prejudicado em relação ao horário de início das aulas, uma vez que frequentemente o horário de saída do trabalho o leva a perder os primeiros tempos de aula. Além disso, em função dos conteúdos mínimos exigidos e da própria dinâmica da escola noturna, ele tem que se valer de um extraordinário esforço para conseguir o êxito desejado: o diploma.

Leia este artigo

Como a ciência e a técnica se tornam ideologia Uma reflexão a partir de Jürgen Habermas

Este escrito tem o intuito de identificar em nossa sociedade moderna algumas consequências do apogeu do sistema capitalista que foram possíveis a partir do desenvolvimento da ciência e da técnica, que passaram a ser utilizadas – para além da aquisição de benefícios para o homem através da implementação de controle sobre a natureza – para o controle do próprio ser humano mediante o mesmo método técnico, prejudicando a vigência de elementos fundamentais das relações humanas e do valor interativo e criador de sentido da linguagem. O valor destinado à racionalidade assumiu com frequência caráter arbitrário; o mecanismo de funcionamento da racionalidade instrumentalizante pautada na circulação do capital dificulta possíveis reflexões acerca desse meio de condução da sociedade, pois dificulta a possibilidade de intervenção nesse processo, que assumiu o desenvolvimento tecnológico enquanto forma muitas vezes disfarçada de dominação política, alienando as satisfações, os gostos, as informações e os sentidos atribuídos à vida.

Leia este artigo

Leitora por acidente

Pensemos no velho dilema sobre o que determina indivíduo, a genética ou o ambiente. Qual desses dois fatores é mais influente? A hereditariedade é transmitida pelos progenitores às células do sexo que vão formar o novo indivíduo. O ambiente é tudo aquilo que cerca tal indivíduo. E o meio diz respeito tanto aos fatores físicos quanto aos fatores sociais em que o indivíduo está inserido. Mas, longe de entrarmos em uma profunda – e interminável – discussão acerca das teorias inatistas, comportamentalistas ou interacionistas, fiquemos só nos interessantes exemplos fornecidos pela literatura, pelo cinema e, quiçá, pelo cotidiano a respeito da influência que o meio exerce sobre o homem.

Leia este artigo

Os pais e suas atitudes mais sustentáveis: em casa assim como na sociedade de consumo

Pode ser que muitos pais não se deem conta do quanto suas atitudes falam mais que as palavras. Pequenas ações, como guardar um copo plástico vazio até que encontre uma lixeira, podem dizer muito sobre seus valores e, assim, vai se construindo um cidadão...

Leia este artigo

Ensinar cinema: a experiência do aprender fazendo

Ensinar e aprender cinema. Uma questão de limites? Uma contiguidade? Provavelmente, se este artigo fosse escrito em francês ou em russo, não teríamos a dificuldade que temos ao escrever em português a palavra “ensinar” cinema. Em russo, OBUTCHÊNIE deriva do verbo OBUTCHÍT. Trata-se de um verbo transitivo direto que significa ensinar, ilustrar, adestrar, transmitir algum conhecimento ou habilidade a alguém, disciplinar. Até aqui, tudo igual, mas a mesma palavra, derivada do verbo OBUTCHÍTSYA é um verbo transitivo indireto que significa ser ensinado, aprender, ensinar conhecimentos, ensinar alguma coisa. A elasticidade semântica desta segunda palavra faz com que Vigotsky (2001) a use indistintamente ao referir-se aos processos de ensino e de aprendizagem.

Leia este artigo

Educação e pandemia

Educação e pandemia

Artigos publicados na revista Educação Pública sobre a pandemia

Acesse aqui

Atenção: Submissão de artigos

Prezados autores, prezadas autoras,
estamos realizando uma atualização de nosso sistema editorial. Por isso, a revista Educação Pública não estará temporariamente recebendo novos trabalhos para publicação. Vale ressaltar que os artigos já recebidos estão em processo de avaliação e, se selecionados, serão publicados.

Quando o sistema voltar a funcionar normalmente - o que esperamos que aconteça muito em breve - retomaremos o processo de submissão de novos trabalhos que tratem de temas ou relatem experiências relevantes para a Educação Básica no Brasil.

14/10 a 18/12 | Festival do Filme Científico

De 14 de outubro a 18 de dezembro, o Brasil recebe a segunda edição do Science Film Festival, festival de cinema dedicado à promoção da ciência e da educação científica por meio do audiovisual. O tema deste ano é sustentabilidade e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) – a seleção de filmes voltados a professores, estudantes e público geral aborda questões que duramente afetam o planeta hoje, como mudanças climáticas, biodiversidade, inovação e tecnologia, energias limpas, entre outras. No Brasil, a mostra traz 14 vídeos de países como Tailândia, Alemanha, Chile e Canadá, todos dublados ou legendados para o português brasileiro, destinados a crianças e adolescentes.

site do evento

17 a 20/11 | XI Encontro Nacional Perspectivas do Ensino de História

Educação: Tem o poder de transformar

O Centro de Estudos “O bem viver e a resiliência dos povos indígenas no cuidado com a Amazônia" recebeu os representantes dos povos indígenas
- Iolanda Pereira da Silva, do Povo Macuxi;
- Michel Oliveira Baré Tikuna, do Povo Baré e Tikuna;
- e o procurador da República Marco Antônio Delfino de Almeida;
- e o coordenador do Programa Rio Negro do Instituto Socioambiental, Marcos Wesley de Oliveira.

Veja o video

Caminho para a liberdade

"A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele."
Hannah Arendt (1906-1975).

Educadores brasileiros

Dermeval Saviani

"A educação é uma atividade que supõe a heterogeneidade no ponto de partida e a homogeneidade no ponto de chegada."

Twitter da revista

Siga-nos no Twitter @educacaopublica

Veja também

Fundação Cecierj


Diretoria de Extensão


Revista EaD em foco