Edição V. 12, Ed. 14 - 10/04/2012

Lutar contra a destruição ambiental é lutar por justiça social

A cada dia que passa, a Conferência da ONU Rio+20, que deve acontecer de 20 a 22 de junho, começa a virar tema de interesse e debate na grande mídia e, sobretudo, entre redes e organizações pelo mundo afora. Agora já é possível, pela Internet, mapear análises e posicionamentos de diferentes atores que estarão de algum modo presentes no evento oficial ou na Cúpula dos Povos. Sou dos que dão as costas à Conferência da ONU por sentir que, numa conjuntura de crise capitalista profunda, cujo epicentro está nos países desenvolvidos, cujos governos, além de muito envolvidos em eleições, não passarão daquelas declarações sem efeito prático. No fundo, não acredito que os governos queiram mudar alguma coisa – a começar pelo nosso, cuja prioridade é crescimento como condição necessária para avançar na justiça social entre nós, brasileiros e brasileiras.

Leia este artigo

Ensaio ecológico: o legado da história para a conservação da biodiversidade brasileira

Como biólogo de formação (e de coração), raras vezes vejo temas de minha área tratados com a devida seriedade, embasados em conhecimentos bem fundamentados. Assim, venho dar a minha modesta opinião sobre dois temas que estão em voga nos dias de hoje: mudanças climáticas e conservação – com foco em minha pátria, o Brasil.

Leia este artigo

Anseios, obsessões e Bossa Nova

Um alemão conhece a música de João Gilberto por um japonês e resolve vir ao Brasil conhecer o pai da Bossa Nova. A música não tem fronteiras, é nossa primeira conclusão. E é ótimo que não tenha, porque esse mesmo alemão se emociona com a música a ponto de largar tudo e tentar encontrar seu intérprete. No caso de João, interpretar é quase dar nova autoria à canção, e o alemão compreende isso, compreende que o cantor refaz a música que canta e que, se sua identificação com o cantor é tão grande, eles devem ter muito em comum. Marc Fischer, o alemão, vem para o Brasil tentar entender aquela música, aquele cantor, aquele personagem. Sua saga é transformada em um romance-documentário de linguagem coloquial e tom levemente policial: é o livro Ho-ba-la-lá, lançado pela Companhia das Letras em 2011.

Leia este artigo

Discutir Educação a Distância é discutir Educação

Os artigos reunidos no livro EaD Online: suportes e leituras, organizado por Alexandre Farbiarz e Jackeline Lima Farbiarz, discutem importantes aspectos da Educação a Distância, especialmente no que diz respeito ao emprego de inovações tecnológicas. Nesses trabalhos são feitas análises sobre modelos e práticas educacionais – que, diga-se de passagem, quase sempre valem para as atividades presenciais, em sala de aula ou fora dela.

Leia este artigo

Criola

O site da ONG Criola é um espaço de militância e engajamento para quem se interessa por questões e debates ligados ao preconceito racial, à discriminação das mulheres e das minorias. Na própria chamada do site fica clara a linha que segue: “Criola – lutando pelo fortalecimento das mulheres negras, contra o racimo e a lesbofobia”.

Leia este artigo

I Colóquio Faetec de Professores Pesquisadores

Estão abertas também chamadas para submissão de proposta de mesa redonda e para coordenador de vídeo pôster (24) e coordenador de comunicação oral (24), nas seguintes áreas de conhecimento: Ciências Exatas e da Terra; Ciências Biológicas; Engenharias; Ciências da Saúde; Ciências Agrárias; Ciências Sociais Aplicadas; Ciências Humanas; Linguística, Letras e Artes.

O prazo de inscrição é até 31 de março, por meio do site: www.coloquiofaetec.com.br

Educação e pandemia

Educação e pandemia

Artigos publicados na revista Educação Pública sobre a pandemia

Acesse aqui

Educação: Tem o poder de transformar

O Centro de Estudos “O bem viver e a resiliência dos povos indígenas no cuidado com a Amazônia" recebeu os representantes dos povos indígenas
- Iolanda Pereira da Silva, do Povo Macuxi;
- Michel Oliveira Baré Tikuna, do Povo Baré e Tikuna;
- e o procurador da República Marco Antônio Delfino de Almeida;
- e o coordenador do Programa Rio Negro do Instituto Socioambiental, Marcos Wesley de Oliveira.

Veja o video

Citação

"É melhor construir salas de aula para o Menino do que celas e patíbulos para o Homem."
Eliza Cook (12/1818 – 09/1889)

Educadores e Educadoras

Magda Soares

"Para a criança, a complexa aprendizagem da língua escrita deve acompanhar seu desenvolvimento cognitivo, linguístico e mesmo motor, para a manipulação dos instrumentos e suportes da escrita."

Twitter da revista

Siga-nos no Twitter @educacaopublica

Veja também

Fundação Cecierj


Diretoria de Extensão


Revista EaD em foco