Edição V. 7, Ed. 10 - 13/03/2007

Creio porque absurdo

Amanheci o dia procurando uma edição do livro de Edgar Allan Poe, "Histórias Extraordinárias". Tudo porque queria lembrar o nome de um conto. A história é a de um assassino que, perseguido pelo fantasma de sua vítima, acabava enlouquecido, confessando seu crime ao primeiro policial que via na rua, suplicando para ser preso. Esse é um tropo recorrente na literatura. Shakespeare teve seu MacBeth, de cujas mãos o sangue não saía. Dostoievsiki produziu Raskolnikhov, o mais humano dos assassinos, para defender a tese de que não é possível fugir dos sentimentos morais que nos constituem.

Leia este artigo

"O grande desafio será mundializar o FSM"

Cândido Grzybowski, Director Geral da Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas) e um dos membros fundadores do Fórum Social Mundial (FSM), em Porto Alegre, concedeu uma entrevista ao jornal Meianoite, em Nairobi, no Quênia, onde foi realizado o FSM de 2007. Entre outros assuntos, Grzybowski faz o balanço do FSM e explica o seu significado político para África, continente que acolheu este evento pela primeira vez na história. Diferente dos que continuam a dizer que o FSM é um espaço aberto para as massas, Cândido prefere apelidá-lo de uma "elite das organizações da sociedade civil", uma vez que não representa exatamente as bases. Traça os desafios do FSM, como uma organização da sociedade civil global e adivinha dias difíceis, em termos de organização do mesmo. Por isso, em 2008, ainda segundo ele, a ideia é não se organizar o FSM, mas sim manifestações nacionais coincidentes com o Fórum Econômico de Davos.

Leia este artigo

"AO DESAFIO DO OLHAR", A SOCIEDADE PARALELA NA CONFIGURAÇÃO  SOCIOCULTURAL CRIOULA BRASILEIRA.

O Rio de Janeiro, ao final do século XIX, final do segundo reinado do primeiro Rei crioulo brasileiro Pedro II, vivia uma fase de grandes desafios. Verificá-los com a profundidade que merecem e exigem, requer finura de observação de qualquer observador mais atento, representa um verdadeiro "Desafio do Olhar". Tais comportamentos nos atrevemos agora aqui. Um deles era o de conter a escalada da violência das Maltas de Capoeiras. Esta abria espaços na construção de uma fantasia que paralisava o pensamento e as ações, aumentando o sentimento de impotência da cidade. Quando a violência assume proporções de entidade onipresente e onipotente, acaba por transformar-se em algo incoercível e imbatível, como podemos sentir. Entretanto, no momento em que observamos os atos violentos por outro ângulo, percebemos que a pretensa homogeneidade e invencibilidade do fenômeno, não correspondem às atitudes criminosas reais do sujeito, ou seja, o capoeira, elemento que retrataremos aqui como figura central, isoladamente não é significante nem significativo para nossa pesquisa. A ele aplica-se meramente uma análise tipológica de comportamento. Mas, se contemplarmos Maltas, em sua lógica de composição, comportamento e ação, veremos configurado um outro horizonte, bem mais interessante à nossa abordagem porquanto constituiam-se em verdadeiras organizações criminosas que se institucionalizavam sempre na clandestinidade.

Leia este artigo

João Cabral, nas águas do idioma pedra

A Soledad Barrett, Gregório Bezerra e Luiz José da Cunha, o Comandante Crioulo, memórias que vivem na pedra e na alma.

Leia este artigo

Acertando expectativas sobre aquecimento global

Até o fim do século XXI, a elevação do nível do mar provocada pelo efeito estufa não vai engolir as cidades litorâneas do Brasil. Muito menos se espera que todas sejam atingidas da mesma forma e, menos ainda, que a maior parte da população brasileira esteja sujeita aos efeitos dessa elevação. Essa foi uma das revelações feitas pelo professor José Miguez durante o seminário Contribuição Humana à Mudança do Clima da Terra: aspectos físicos e repercussões sócioeconômicas, realizado na Coppe/UFRJ, dia 7 de março.

Leia este artigo

Educação e pandemia

Educação e pandemia

Artigos publicados na revista Educação Pública sobre a pandemia

Acesse aqui

Pandemia e Educação na imprensa

26/10 Educadora defende a inclusão da aprendizagem colaborativa na formação escolar

Leia aqui


15/09 Precursor e de contribuição "incomparável": como acadêmicos estrangeiros enxergam Paulo Freire

Leia aqui


31/08 Entre as principais medidas para enfrentar a crise, escolas disponibilizaram materiais pedagógicos impressos, e criaram grupos em aplicativos e redes sociais para facilitar a comunicação

Leia aqui

Seção Divulgação Científica

Pesquise em nossa biblioteca

Prezada autora, prezado autor, ao selecionar o material de consulta para seu trabalho, sugerimos que faça buscas também em artigos publicados na revista Educação Pública, que possui um sistema de busca sofisticado que facilitará a sua pesquisa. A citação dos artigos da revista Educação Pública certamente irá valorizar a sua publicação, a de seus colegas e a própria revista.

Citação

"É melhor construir salas de aula para o Menino do que celas e patíbulos para o Homem."
Eliza Cook (12/1818 – 09/1889)

Educadores e Educadoras

Célestin Freinet

"A democracia de amanhã se prepara na democracia da escola."

Twitter da revista

Siga-nos no Twitter @educacaopublica

Veja também

Fundação Cecierj


Diretoria de Extensão


Revista EaD em foco