Edição V. 10, Ed. 5 - 09/02/2010

SEGREDO E DESTINO: MARIA TERESA HORTA DESDE OS ANOS 1960

Maria Teresa Mascarenhas Horta nasceu em Lisboa em 20 de maio de 1937. Oriunda, pelo lado materno, de uma família da alta aristocracia portuguesa, conta entre os seus antepassados a célebre poetisa Marquesa de Alorna, cuja vida e obra será tema do seu próximo romance. Poeta de formação acadêmica, estudou na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Personagem ativa politicamente, dedicou-se ao cineclubismo como dirigente do ABC Cine-Clube, ao jornalismo e à questão do feminismo, tendo feito parte do Movimento Feminista de Portugal juntamente com Maria Isabel Barreno e Maria Velho da Costa, parceiras, nos anos 1970, na publicação do polêmico livro Novas Cartas Portuguesas.

Leia este artigo

O Youtube e a mudança nas relações humanas

Em sua forma tradicional, os livros grafados em pergaminho ou em couro desde a Antiguidade e os jornais e revistas impressos em papel na Modernidade determinaram a disseminação da informação e do pensamento entre os seres humanos. No século XX, a radiodifusão passou a gerar a ideia de mídia de massas, por meio da criação de sucessos musicais, telenovelas, radiojornais e intervenção determinante na opinião pública. Com a televisão, a mensagem enviada ganha imagem e movimento, consolidando de vez o poder da imagem em nossa cultura ocidental – que acabou por se globalizar.

Leia este artigo

Grande Sertão: Travessia

No momento em que Riobaldo narra sua história, ele é um fazendeiro de cabelos esbranquiçados, casado com Otacília. Suas memórias o acompanham e serão companhia do leitor durante todo o romance. E seu amor ainda é compartilhado entre presente e passado, entre Otacília e Diadorim: “De mim, pessoa, vivo para minha mulher, que tudo modo-melhor merece, e para a devoção. Bem-querer de minha mulher foi que me auxiliou, rezas dela, graças. Amor vem de amor. Digo. Em Diadorim, penso também – mas Diadorim é a minha neblina...”.

Leia este artigo

O sabor tropical das frutas de cera da pequena notável

Um turbante com diversas frutas na cabeça, balangandãs, badulaques e uma saia comprida cheia de babados com uma fenda generosa na lateral... A quem tais acessórios remetem? Dez entre dez brasileiros responderão: Carmen Miranda. Certo. Mas tudo isso ainda é pouco. Diversas outras coisas podem ser ditas sobre ela: seus gestos únicos com os braços, seu largo sorriso pintado de vermelho e o enorme sucesso no exterior – fato este que fez com que fosse acusada de ter perdido suas raízes brasileiras (na verdade nasceu em Portugal em 1909 e, com menos de um ano, mudou-se com a família para o Brasil). Tal acusação foi respondida pela cantora com grande humor, por meio de uma música de encomenda chamada Disseram que eu voltei americanizada.

Leia este artigo

Discutindo a questão da Educação Inclusiva

No mundo globalizado em que vivemos, do qual sofremos todas as consequências, a informação bombardeia mais e mais o cidadão comum e torna o conhecimento o patrimônio mais importante do indivíduo hoje.

Leia este artigo

O sucesso dos pré-vestibulares sociais

Todas as pesquisas que analisam o grau de empregabilidade de uma população indicam que o nível de escolaridade tem grande influência. Assim, portadores de diploma de nível superior têm mais facilidade de obtenção de emprego do que aqueles que apenas concluíram o Ensino Médio. Por outro lado, à medida que o país se desenvolve, cresce a demanda por profissionais altamente especializados em determinadas áreas. Como o mercado é dinâmico, é também necessário atentar para a necessidade de formação de pessoal com capacidade de mudar de área, realizando cursos de curta duração.

Leia este artigo

Atenção: Submissão de trabalhos

Educação e pandemia

Educação e pandemia

Artigos publicados na revista Educação Pública sobre a pandemia

Acesse aqui

Educação: Tem o poder de transformar

O Centro de Estudos “O bem viver e a resiliência dos povos indígenas no cuidado com a Amazônia" recebeu os representantes dos povos indígenas
- Iolanda Pereira da Silva, do Povo Macuxi;
- Michel Oliveira Baré Tikuna, do Povo Baré e Tikuna;
- e o procurador da República Marco Antônio Delfino de Almeida;
- e o coordenador do Programa Rio Negro do Instituto Socioambiental, Marcos Wesley de Oliveira.

Veja o video

Caminho para a liberdade

"A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele."
Hannah Arendt (1906-1975).

Educadores brasileiros

Dermeval Saviani

"A educação é uma atividade que supõe a heterogeneidade no ponto de partida e a homogeneidade no ponto de chegada."

Twitter da revista

Siga-nos no Twitter @educacaopublica

Veja também

Fundação Cecierj


Diretoria de Extensão


Revista EaD em foco