Edição V. 20, Ed. 48 - 15/12/2020

Erros da escrita: previsibilidade e atipicidade em sujeitos com síndrome de Down

Educação Especial e Inclusiva, Vivências de Sala de Aula, Língua Portuguesa e Literatura e Política Educacional

Este estudo traz à tona a análise realizada durante acompanhamento de atividades do Núcleo Saber Down da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Dentre os objetivos deste trabalho estão a verificação de estratégias pedagógicas e terapêuticas que visam ao desenvolvimento da aprendizagem de indivíduos com síndrome de Down (SD). Fazemos uma reflexão sobre a Educação Especial e o processo de inclusão da pessoa com deficiência. Por conseguinte, realizamos uma breve reflexão sobre o indivíduo com SD e o processo vivenciado no Núcleo Saber Down. Entre os resultados, observamos que os erros cometidos por alunos com SD não são tão atípicos, uma vez que são perfeitamente explicáveis à luz da Fonética e da Fonologia; ademais, observarmos que os indivíduos com SD são muitas vezes excluídos do processo de ensino e de aprendizagem, principalmente na fase de aquisição da leitura e da escrita. Concluímos que as atividades do Núcleo são de extrema importância para a comunidade do Sudoeste da Bahia, mas que precisam agregar em seu contexto o uso de tecnologias como instrumentos que podem ampliar as perspectivas de inclusão de crianças, jovens e adultos com SD.

Leia este artigo

English Conversation Club - projeto experimental com estudantes de Ensino Médio

Língua Estrangeira

A comunicação oral em língua inglesa tem sido discutida em várias pesquisas na área de ensino e aprendizagem de línguas. Muitos fatores contribuem para a prática reduzida das habilidades speaking e listening nas aulas de língua inglesa. O objetivo geral do projeto é desenvolver habilidades orais em língua inglesa por meio de debates, músicas e de outras atividades propostas para alunos do Ensino Médio de uma escola de São José dos Campos/SP. Já que as aulas do Ensino Médio, na instituição onde o projeto foi criado, são extremamente voltadas ao ensino de leitura e gramática, surgiu o interesse de criar um clube de conversação no contraturno das aulas regulares. Os alunos têm ali a oportunidade de interagir em língua inglesa com convidados (em geral estrangeiros de diversos países e professores de inglês de escolas de idiomas da cidade). Os pressupostos teóricos que norteiam o projeto baseiam-se na concepção de English for Specific Purposes (ESP) pelo viés de Tom Hutchinson e Alan Waters; na reflexão sobre o termo “conscientização” assim como discutida por Michael Scott no contexto de ensino e no documento Currículo do Estado de São Paulo: Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, que promove reflexão sobre o predomínio da ênfase estrutural nas escolas, restringindo a visão comunicativa a apenas algumas funções. A integração entre os alunos do Ensino Médio e da comunidade internacional tem trazido novas significações para o ensino da língua inglesa no contexto escolar. Com o projeto, desassociou-se o aprendizado de língua estrangeira das temidas avaliações escritas internas e externas que ainda são recorrentes no ensino. Assim, o clube de conversação tem interferido na cultura dos alunos, pais e equipe gestora, possibilitando outros projetos inovadores, como o intercâmbio anual para países falantes da língua inglesa.

Leia este artigo

Organização do trabalho pedagógico na Educação Infantil: desafios e possibilidades no trabalho com sequências didáticas

Educação Infantil

A construção de um planejamento exige que consideremos muitos aspectos, da concepção da ideia à materialização. Desse modo, neste artigo, refletimos sobre a organização do trabalho pedagógico de professores(as) no âmbito da Educação Infantil. Tal reflexão e tal diálogo não nos parecem tarefa fácil, face à natureza multifacetada do trabalho pedagógico nessa etapa da Educação.

Leia este artigo

A visão da morte em poemas de Mario Quintana e Manuel Bandeira: uma proposta de ensino

Língua Portuguesa e Literatura

Apesar da compreensão e certeza de que a morte é um processo natural no ciclo da vida, tem-se, comumente, medo ao pensar no momento da partida. Isso acontece pelo estranhamento que se tem da morte, uma vez que, ao não conhecermos algo, tendemos a temer. Segundo Ariès, falar sobre a morte na sociedade ocidental contemporânea é considerado um tabu, sendo, assim, ocultada de todas as instâncias (família, hospital, escola, mídia) e inviabilizando reflexões acerca da relevância que a existência desta tem para uma vivência exitosa. Sendo assim, reconhecendo o déficit de ponderações, o presente trabalho pretende analisar dois poemas do poeta Mário Quintana que abordam a morte de maneira singular: como amiga. O poeta pretende desconstruir a imagem medieval de uma caveira, com olhos fundos, de túnica preta e foice na mão. Comparativamente, serão lidos também dois poemas de Manuel Bandeira que contemplam a morte na visão tradicional, com um viés pessimista. Ao final, apresentamos uma proposta de ensino, que possibilitará a discussão da temática na escola, favorecendo a reflexão sobre uma temática sempre difícil de ser enfrentada.

Leia este artigo

Educação Sexual: um ensino de referência no desenvolvimento da sexualidade das crianças do Ensino Fundamental

Saúde, Biologia e Biociências e Vivências de Sala de Aula

O presente estudo apresenta uma pesquisa bibliográfica sobre Educação Sexual, que se mostra ser um desafio quando se pretende abordar tal temática na escola, ainda nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Ao que parece, os entraves partem dos preconceitos pelos professores e da falta de formação inicial e continuada que contemple tal temática. Os pressupostos teóricos adotados visam elucidar os aspectos históricos da sexualidade humana, assim como promover orientações cabíveis à escola e refletir acerca de onde viemos e como nos desenvolvemos. Quanto aos aspectos metodológicos, este estudo foi desenvolvido com vistas a pesquisa bibliográfica de natureza qualitativa e contou com as contribuições de pesquisadores da área. Foi possível inferir que a Educação Sexual ainda é um tabu e, quando abordada pelos professores, se mostra limitada à temática de DST e gravidez indesejada, carecendo de uma formação inicial e continuada que capacite os professores para uma abordagem sem tabus e limitações.

Leia este artigo

Meu Editor: uma proposta de metodologia ativa para o ensino de escrita no ensino básico

Vivências de Sala de Aula e Língua Portuguesa e Literatura

Este artigo apresenta, a partir de experiências em sala de aula, reflexões a respeito das metodologias ativas no ensino de escrita, dentro da educação básica, e também acerca da necessidade de adaptação metodológica do docente à realidade emocional dos discentes em questão, valorizando suas individualidades. O artigo se caracteriza como um estudo bibliográfico acompanhado de relato de experiência, de natureza qualitativa-descritiva, tendo como lócus aulas de redação de uma escola particular de Juiz de Fora e os sujeitos, alunos do 9º ano. O estudo possibilitou a criação de um questionário que pudesse identificar insatisfações dos alunos quanto a dinâmicas de grupo e executar as necessárias adaptações, para que os discentes se sentissem estimulados à prática e ao aprendizado da escrita em língua materna.

Leia este artigo

Cinema e culturas infantis: as contribuições de Jojo Rabbit para pensar a infância

Antropologia, Sociologia e Instituição Escola

Diversos temas são contemporaneamente abordados por meio da linguagem cinematográfica, que trata, a partir de um olhar artístico, tanto de assuntos cotidianos como daqueles incomuns. O presente texto tem como objetivo analisar o filme Jojo Rabbit (2019) e, com base nessa obra, contribuir para a valorização das culturas infantis nas narrativas cinematográficas para pensar a educação das crianças, especialmente admitindo o olhar delas como elemento central para o entendimento do objeto apresentado.

Leia este artigo

Práticas de aventura: relato de experiência em uma escola da Zona Leste de São Paulo

Educação Física

O presente relato de experiência teve início em 2009, quando os autores se cruzaram no curso de mestrado em Educação Física em São Paulo. Após a conclusão do curso restaram as sementes, plantadas em nosso imaginário e a necessidade de efetivação das práticas pedagógicas.

Leia este artigo

Práticas de leitura em tempos de pandemia: relato de experiência do clube de leitores Te Indico

Educação a Distância e Instituição Escola

Em decorrência da pandemia, o isolamento se tornou necessário e a leitura foi um dos canais que colaboraram para que muitas pessoas ficassem ligadas ao mundo externo; para outras, foi uma forma de não se sentirem isoladas do mundo. Pelos contos, poesias, romances, crônicas e demais gêneros literários, o grupo do Clube de Leitura de uma escola da rede estadual pública de Minas Gerais possui a finalidade de propiciar semanalmente, por meio de redes sociais como Facebook e WhatsApp, momentos em que os participantes possam compartilhar experiências leitoras. Nos encontros online, há apresentações de obras literárias por seus próprios autores; conversas entre os leitores que opinam sobre as obras lidas, apresentam suas ideias e preferências, realizam leituras de trechos dos livros com que mais se identificam e indicam outros.

Leia este artigo

Atenção: Submissão de trabalhos

Educação e pandemia

Educação e pandemia

Artigos publicados na revista Educação Pública sobre a pandemia

Acesse aqui

Educação: Tem o poder de transformar

O Centro de Estudos “O bem viver e a resiliência dos povos indígenas no cuidado com a Amazônia" recebeu os representantes dos povos indígenas
- Iolanda Pereira da Silva, do Povo Macuxi;
- Michel Oliveira Baré Tikuna, do Povo Baré e Tikuna;
- e o procurador da República Marco Antônio Delfino de Almeida;
- e o coordenador do Programa Rio Negro do Instituto Socioambiental, Marcos Wesley de Oliveira.

Veja o video

Caminho para a liberdade

"A educação é o ponto em que decidimos se amamos o mundo o bastante para assumirmos a responsabilidade por ele."
Hannah Arendt (1906-1975).

Educadores brasileiros

Dermeval Saviani

"A educação é uma atividade que supõe a heterogeneidade no ponto de partida e a homogeneidade no ponto de chegada."

Twitter da revista

Siga-nos no Twitter @educacaopublica

Veja também

Fundação Cecierj


Diretoria de Extensão


Revista EaD em foco