Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Avaliação; Educação a Distância; Educação Especial e Inclusiva; Educação Infantil; Formação de Professores; História da Educação; Instituição Escola; Vivências de Sala de Aula
Limpar filtros
O lúdico e as metodologias ativas, uma leitura da Teoria da Aprendizagem de Vygotsky na Educação Infantil
Antropologia, Psicologia, Sociologia e Educação Infantil

O presente ensaio tem como objetivo suscitar reflexões acerca da ludicidade como metodologia ativa com enfoque na Educação Infantil, com base nas contribuições teóricas de Vygotsky, um dos precursores de teorias em que o aluno é concebido como ativo na construção do conhecimento sendo mediado pelo professor. Para o embasamento teórico, optou-se por uma pesquisa bibliográfica qualitativa descritiva com autores de relevância. Verificou-se que as propostas de construção de conhecimento de forma lúdica contribuem para o desenvolvimento infantil, especialmente nos campos cognitivo, emocional, social, psicológico.

A produção de texto com o gênero poético na sala de aula virtual - propostas para o ensino remoto emergencial
Educação a Distância, Vivências de Sala de Aula e Língua Portuguesa e Literatura

Este texto reflete sobre a importância do trabalho com produção textual na escola e apresenta proposta de trabalho didático-pedagógica com o gênero poético visando à formação do leitor e promoção da leitura de literatura no âmbito escolar. A proposta foi pensada para o ensino remoto emergencial, ou seja, trata a produção textual em um ambiente virtualizado e em tempos de isolamento social, com aulas a distância, sem deixar de considerar as etapas principais da produção de texto: leitura, escrita e reescrita, bem como as etapas semânticas de significação e ressignificaçao que podem e devem ser exploradas durante e após o processo da educação e produção linguística envolvendo a leitura e a produção de textos.

História Local no currículo do Estado do Rio de Janeiro: um estudo de caso do 9º ano do Ensino Fundamental
História, História da Educação e Política Educacional

A presente pesquisa tem como objetivo central compreender o espaço ocupado pela História no currículo do Estado do Rio de Janeiro, constituindo um estudo de caso da matriz curricular do 9º ano do Ensino Fundamental. A investigação engendra a metodologia estatística e a análise de conteúdo como ferramentas de leitura da normativa que regulamenta o ensino de História Local. Desse modo, esta pesquisa insere-se no âmbito da História da Educação, procurando compreender as estruturas conceituais, pedagógicas e legislativas que fundamentam a normatização da História local e a sua relação com o aprendizado no currículo fluminense.

Pedagogias do esporte e práticas pedagógicas docentes
Formação de Professores

As pedagogias do esporte buscam deslocar o ensino do esporte da simples repetição técnica para um ensino que vise à formação de sujeitos. Nosso objetivo foi problematizar a importância da realização de momentos teóricos e práticos no processo formativo docente. O estudo caracteriza-se como pesquisa-ação. Foi formado um grupo de estudos com onze professores que ensinam exclusivamente esportes na Escola Arena da Educação. Ao final dos encontros, esses professores puderam evidenciar que a formação continuada no contexto teórico-prático no ensino do esporte potencializa o afastamento em relação aos modelos tecnicistas.

O autismo infantil e a inclusão social na educação: revisão histórica e sistêmica atual
Educação Especial e Inclusiva

O presente estudo teve como objetivo desenvolver uma revisão bibliográfica por meio da análise da história do autismo, desde a sua descoberta até os dias atuais, determinando os registros no país e no mundo e como se encontra o panorama acerca da inserção das crianças autistas nas redes de ensino, visando as possíveis melhorias. Pode-se caracterizar o autismo infantil como um déficit no desenvolvimento social do indivíduo, levando-o a situações de isolamento social, dificuldades no uso de linguagens e comunicação, dificuldade em relações pessoais e inclusão na educação.

Possibilidades e tensões da tecnologia no ensino do aluno autista
Saúde, Comunicação, Psicologia, Sociologia, Avaliação, Educação Especial e Inclusiva, Formação de Professores, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula e Política Educacional

O presente artigo aborda o uso e as possibilidades da tecnologia no Ensino Básico para os alunos autistas, com ênfase no papel do profissional da sala de aula regular como agente motivador da construção do conhecimento de seus alunos especiais. A pesquisa é bibliográfica. Para tanto, apoiamo-nos nos estudos de Albuquerque, Carvalho, Kanner, Klin, Kubaski, Mantoan, Schmidt, na legislação brasileira e na Declaração de Salamanca. Ao analisarmos o uso e as possibilidades da tecnologia no Ensino Básico para os alunos autistas, ratificamos a importância da atuação do professor, no que diz respeito à realização de atividades adaptadas.

Educação Especial: os desafios da inclusão de alunos surdos no contexto escolar
Educação Especial e Inclusiva e Educação Infantil

Esta pesquisa trata da Educação Especial voltada à inclusão dos educandos surdos no ambiente escolar; é um tema atual e de muita relevância para a sociedade. É importante que as instituições escolares estejam estruturadas para receber esse público tão especial. A pesquisa evidenciou que as escolas não estão preparadas para atender as necessidades da comunidade surda, visto que, para uma inclusão de qualidade, as escolas têm que abraçar o sistema bilíngue e na formação continuada os professores devem dominar a Libras.

A importância dos estudos de Psicologia para detectar transtornos que causam efeitos negativos na aprendizagem e no convívio escolar dos discentes
Psicologia, Formação de Professores e Instituição Escola

A Psicologia pode contribuir com a escola, sendo útil para educadores detectarem problemas psicológicos que atrapalhem o processo de aprendizagem dos discentes na sala de aula. O estudo realizado sintetiza informações sobre a influência que distúrbios psicológicos podem causar aos alunos, baseando-se na revisão de literaturas e na experiência de pesquisa dos autores. Neste ensaio, demonstra-se como a Psicologia pode ser utilizada para que professores possam distinguir problemas causados por aspectos externos e internos, contribuindo para a tomada de melhores atitudes para resolver problemas que possam aparecer na escola.

Escola e afetos: o “esperançar” como ação pedagógica em uma favela do Rio de Janeiro
Formação de Professores, Vivências de Sala de Aula e Política Educacional

Este artigo compartilha uma teia de experiências desenvolvida através do projeto Conhecendo Nossas Raízes e Descobrindo Nossas Identidades, que foi realizado na turma 1203 de uma escola municipal do Rio de Janeiro localizada no bairro Maré. O projeto buscou instigar reflexões que apontam a importância do caminhar como processo de construção, principalmente nos contextos periféricos. Nele foram abordados os contextos históricos, culturais e territoriais nos quais os estudantes da escola estão inseridos; a partir daí foi possível desvendar outras Marés. O projeto ganhou forma e ampliou-se numa construção coletiva.

Projeto Práticas de Leitura e Escrita
Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula, Língua Portuguesa e Literatura, Outras Mais Específicas e Política Educacional

O presente projeto trata dos métodos desenvolvidos no segundo semestre do ano de 2021 na Escola São Francisco, na zona rural do município de Cáceres/MT, especialmente com a turma multisseriada de 2º e 3º anos, promovendo o sistema gráfico da escrita, ligados à ênfase entre as práticas sociais de leitura e escrita, que são trabalhadas simultaneamente, com o objetivo de desenvolver atividades diferenciadas, a fim de resgatar o ensino-aprendizagem das crianças que muitas vezes se encontram desmotivadas com a falta do acesso à escola, devido à pandemia.