Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Botânica; Ecologia e Meio Ambiente; Oceanografia; Zoologia
Limpar filtros
Na teia do saber: modelagem didática tridimensional aplicada ao processo de ensino-aprendizagem sobre aranhas (Arachnida: Araneae) na 2ª série do Ensino Médio
Ecologia e Meio Ambiente, Zoologia, Biologia e Biociências e Vivências de Sala de Aula

As aranhas são animais que pertencem à Ordem Araneae, possuem 132 famílias e mais de 50 mil espécies catalogadas. São animais com relevante importância ecológica, pois são predadoras de insetos, atuando no controle populacional; são consideradas bioindicadoras da qualidade ambiental. Compreendendo a importância das aranhas para o equilíbrio biológico, torna-se necessária a fomentação de práticas educativas para sensibilizar quanto à importância de proteger esses animais. Nesse sentido, os espaços escolares apresentam relevante importância.

Saneamento básico e meio ambiente em Formosa/GO: relato de uma prática interventiva no Ensino Médio
Ecologia e Meio Ambiente, Saúde e Biologia e Biociências

Este trabalho propõe relatar uma prática interventiva realizada no 2º ano do Curso Técnico em Saneamento do Instituto Federal de Goiás, no câmpus Formosa. O foco da prática foi integrar os conceitos trabalhados em sala com a atual realidade vivenciada pela cidade de Formosa no âmbito do saneamento básico. A metodologia se baseou na produção de vídeos feitos pelos alunos, a fim de identificar os impactos do saneamento à comunidade e ao meio ambiente. Observou-se que os alunos usaram os conhecimentos adquiridos em aula para analisar as entrevistas, identificando diversos problemas de saneamento.

O papel da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica na implementação de políticas públicas: o Projeto Hortas Pedagógicas
Ecologia e Meio Ambiente, Instituição Escola e Política Educacional

O contexto das sociedades contemporâneas mostra que os impactos humanos sobre o meio ambiente estão causando mudanças cada vez mais complexas. Este trabalho aborda a parceria entre o Ministério da Cidadania (atual Ministério do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar) e Ministério da Educação (por sua Secretaria de Educação Básica, com apoio da Secretaria de Educação Profissional de Tecnológica) para a implantação do Projeto Hortas Pedagógicas na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, contribuindo para melhorias do processo alimentar, educacional e comportamental dos escolares.

Resgate de brinquedos e brincadeiras pelas disciplinas de Ciências e Arte nos anos finais do Ensino Fundamental
Ecologia e Meio Ambiente, Biologia e Biociências, Química, História, Sociologia, Vivências de Sala de Aula, Artes Plásticas e Educação Artística

A interdisciplinaridade é muito importante no contexto da educação, visto que a partir dela podemos favorecer uma aprendizagem mais próxima ao contexto dos estudantes e mostrar-lhes que o conteúdo não é fragmentado e está somente presente no contexto escolar. A partir das disciplinas de Ciências e Arte, foi elaborado uma disciplina interdisciplinar que aborda conceitos de ambas por meio do resgate de brincadeiras e brinquedos, além da confecção de alguns brinquedos utilizando materiais recicláveis. O trabalho é uma pesquisa participante, cujo objetivo é analisar uma disciplina interdisciplinar com o foco no resgate de brincadeiras e brinquedos.

Popularizando a vida existente em uma gota de água, com ênfase nos (micro)invertebrados, por meio de kits educativos
Ecologia e Meio Ambiente, Oceanografia, Zoologia, Biologia e Biociências e Vivências de Sala de Aula

Em meio à dificuldade de compreensão sobre as formas de vida microscópica, em virtude da existência de vários laboratórios de Ciências precários em escolas públicas do Nordeste brasileiro, foi idealizado um laboratório didático itinerante para difusão da vida existente em uma gota d’água. É apresentado neste artigo um sistema de popularização científica da (micro)vida existente na água por meio de kits educativos, com ênfase nos invertebrados microscópicos. Tais kits apresentam particularidades que os tornam estimulantes e investigativos, por meio de seus utensílios típicos de um laboratório de Ciências.

Produção de papel-semente: uma alternativa para desenvolver a Educação Ambiental no meio escolar
Ecologia e Meio Ambiente

O presente estudo abordou a prática pedagógica de produção de papel-semente a partir do papel reciclado como forma de desenvolver a Educação Ambiental no contexto escolar, demonstrando a importância da reciclagem do papel para reduzir a geração de resíduos sólidos e tornar a escola um ambiente mais sustentável. O trabalho foi desenvolvido por alunos de uma escola pública de Ensino Médio em Tempo Integral na cidade de Penaforte/CE. A produção do papel-semente ocorreu reciclando o papel descartado nas salas e com peneira, balde, esponjas, panos, liquidificador, papel e sementes de uso culinário.

Sobre a elaboração de uma sequência didática acerca da agricultura urbana
Botânica, Ecologia e Meio Ambiente, Saúde, Vivências de Sala de Aula e Espaços Urbanos

Esta sequência didática trabalha com o tema agricultura urbana com alunos do 5º ano do Ensino Fundamental. Nessa fase, muitas vezes, os alunos não possuem o costume de se alimentar de forma saudável – muito menos sabem a origem dos alimentos que comem. A iniciativa, portanto, busca criar nos alunos tal consciência, além de apresentar a eles os malefícios do uso de agrotóxicos e práticas alternativas sustentáveis para a alimentação. O projeto consiste em quatro etapas: pesquisa (sondagem), aula expositiva (conteúdo teórico), excursão (visita, conteúdo prático), e construção (finalização do projeto com atividade voltada para a prática).

O ensino de Microbiologia na Educação Básica: um relato de experiência na interface escola-universidade
Ecologia e Meio Ambiente, Zoologia, Saúde, Vivências de Sala de Aula e Outras Mais Específicas

Neste estudo, trabalhamos o tema "Microrganismos no dia a dia, higiene e saúde na escola" em três momentos: na escola, onde foi realizada uma palestra inicial sobre o tema, com observação em microscópio caseiro de laser montado na sala de aula; coleta de material em diferentes superfícies e armazenamento para cultivo e identificação; e visita à Faculdade de Odontologia da UFRGS, com observação das placas com colônias de microrganismos coletados na escola. Foi possível identificar que muitos dos estudantes tiveram o primeiro contato visual com os microrganismos.

O ensino em Zoologia no período remoto: uma análise do Plano de Estudo Tutorado de Minas Gerais
Zoologia

No período pandêmico de 2020, novas estruturações para o ensino remoto foram criadas. Na tentativa de contemplar os estudantes, o Estado de Minas Gerais desenvolveu o Plano de Estudo Tutorado (PET). Este artigo analisa os PET destinados ao Ensino Fundamental I para o conteúdo de Zoologia, utilizando a metodologia proposta por Vasconcelos e Souto. Os dados apontam para a superestimação das relações morfofisiológicas dos animais em detrimento de demandas atuais, além de baixa qualidade das figuras utilizadas no documento e repetição dos exercícios, sugerindo possível reanálise do conteúdo abordado, conceitual e figurativamente.

Protagonismo dos estudantes na mobilização da comunidade escolar para ações de impacto ambiental positivo na escola
Ecologia e Meio Ambiente e Vivências de Sala de Aula

A urgência frente às questões climáticas atuais privilegia práticas e reflexões envolvendo a Educação Ambiental na escola. Nesse sentido, um dos desafios do educador é encontrar estratégias pedagógicas que promovam sentidos nos estudantes e os provoquem a propor soluções possíveis para problemas ambientais locais. O estudo de caso aqui apresentado aconteceu em um colégio estadual localizado no litoral norte do Estado do Rio de Janeiro, protagonizado por 21 alunos do 3º Ano do Ensino Médio Integral. Os alunos prepararam três projetos de intervenção.