Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Artes Plásticas; Cidadania e Comportamento; Cinema, Teatro e TV; Dança; Educação Artística; Educação Física; Folclore e Datas Importantes; Fotografia; Língua Estrangeira; Língua Portuguesa e Literatura; Música; Outras Mais Específicas
Limpar filtros
Um contato com a África por meio do gênero literário conto no Ensino Fundamental
Vivências de Sala de Aula e Língua Portuguesa e Literatura

Este texto compartilha a experiência na disciplina Estágio Supervisionado em Língua Portuguesa I do curso de Licenciatura em Letras da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab). Por meio da experiência, observamos o cotidiano escolar e desenvolvemos atividades pedagógicas relacionadas ao gênero literário conto em turma de 6º ano de uma escola da rede municipal de Redenção-CE. Valemo-nos das orientações prescritas pelos Parâmetros Curriculares Nacionais, das exigências da Lei nº 10.639/03, bem como dos modernos estudos linguísticos e consideramos os pressupostos de Dolz, Noverraz e Schnewly.

A Educação do Campo como espaço de aprendizagem coletiva, resistência e fortalecimento identitário
Ecologia e Meio Ambiente, Antropologia, Geografia, História, Sociologia, História da Educação, Vivências de Sala de Aula, Cidadania e Comportamento e Política Educacional

Este artigo tem como objetivo analisar a contribuição da Educação do Campo para o processo de aprendizagem, por meio de práticas coletivas que envolvem não apenas os estudantes, mas também toda a comunidade. Inicialmente, são apresentados os contextos políticos em que esses espaços se inserem. Em seguida, os conceitos e o desenvolvimento da Educação do Campo e das escolas rurais. Logo, são consideradas as relações com a coletividade e os impactos nas regiões onde essas escolas estão inseridas, destacando seu papel no desenvolvimento da consciência histórica e geográfica.

Semeando Artistas: a contribuição de Ciências Naturais e Artes Visuais no processo de alfabetização
Biologia e Biociências, Vivências de Sala de Aula e Educação Artística

Nos anos iniciais do Ensino Fundamental, a decodificação do código da escrita se torna o principal foco do processo de ensino-aprendizagem. Por isso, esta prática foi criada com o objetivo de intervir no processo de alfabetização e letramento por meio da construção de um livro coletivo e interdisciplinar entre Ciências e Artes Visuais. Realizou-se uma sequência didática com 34 estudantes do 1º ano no primeiro semestre de 2022. Fez-se aula de campo de Ecologia para reconhecer seres vivos e não vivos e ilustrações do conteúdo explorado. O livro Semeando Artistas contém narrativa lúdica que incentiva a curiosidade, a criatividade e a autonomia do leitor.

Políticas educacionais e o ensino de Sociologia: a reforma do Ensino Médio de 2017 e o cenário de consequências para o pós-ensino remoto
Sociologia, História da Educação, Vivências de Sala de Aula, Cidadania e Comportamento e Política Educacional

A emergência de uma política conservadora pós-impeachment de Dilma Rousseff trouxe consigo uma agenda neoliberal. Em razão dos múltiplos impactos à sociedade pelas outorgas de um programa de governo ferino, figurado na Lei nº 13.415/17, foi realizada uma análise situacional e foram tratados os possíveis futuros impactos dessa norma por meio de revisões bibliográficas em caráter exploratório. Apresenta-se neste trabalho uma reflexão histórica da disciplina Sociologia em razão dos lastros de uma política pública educacional impregnada de pensamento colonialista e classista.

Alegria, aqui é encanto e oralidade na prática de contar histórias: Era uma vez... o grupo experimental de contadores de histórias da UFES
Comunicação, Vivências de Sala de Aula, Língua Portuguesa e Literatura, Outras Mais Específicas e Espaços Urbanos

Os pesquisadores rememoram o projeto de extensão universitária Grupo Experimental de Contadores de Histórias da Universidade Federal do Espírito Santo. O grupo, que se reunia aos sábados no Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas, no câmpus de Goiabeiras, em Vitória/ES, relembra detalhes do espaço e menciona algumas obras e textos explorados nesse projeto – que ampliou a atuação dos professores do curso de Biblioteconomia para além das salas de aula. O ato de narrar ou contar histórias é uma forma de transformar o meio social e aviva formas de memória, patrimônio e a criatividade.

Alfabetização e letramento: o desenvolvimento das competências leitoras na Educação Infantil
Língua Portuguesa e Literatura

Este estudo avalia a importância do letramento desde a entrada da criança na escola e seu desenvolvimento da leitura, observando as próximas etapas, principalmente a alfabetização, quando a criança é inserida diretamente no processo de escrita. Essa inserção visa ao desenvolvimento integral dos indivíduos já na Educação Infantil, como já descrito na BNCC, incorporando-os em um ambiente que lhes apresente as práticas de leitura e escrita vivenciadas em uso social nos mais diversos contextos sociais. Apresentamos aqui como recurso uma proposta de sequência didática em que podem ser explorados alguns aspectos do letramento.

Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP) no ensino de usinagem computadorizada: relato de experiência no IEMA Dr. João Bacelar Portela
Computação e Tecnologias, Vivências de Sala de Aula e Outras Mais Específicas

A Aprendizagem Baseada em Projetos (ABP) é uma metodologia ativa desenvolvida sobre atividades de ensino-aprendizagem e tarefas contextualizadas que trazem desafios para os estudantes resolverem. Neste trabalho será apresentada uma visão do processo de construção, execução e desenvolvimento de peças pela usinagem computadorizada. Ele tem como objetivo disseminar, por meio de um relato de experiência, a aplicação da ABP, ao adotar três etapas como metodologia: transferência de conhecimentos preliminares, modelagem/uso da máquina CNC para usinagem das peças (peão e bispo) e reflexões sobre o processo.

A inclusão da arte nas atividades econômicas
Antropologia, Comunicação, Filosofia, História, Sociologia, Formação de Professores, Artes Plásticas, Cidadania e Comportamento, Educação Artística, Fotografia, Política Cultural e Política Educacional

Baseando-se no capítulo “O mercado de bens simbólicos”, incluído em A economia de trocas simbólicas, de Bourdieu, e no livro A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista, de Lipovetsky e Serroy, este ensaio analisa convergências e divergências sobre consumo cultural como realidade social, suas dinâmicas e evoluções a partir de classes sociais, seus determinantes e suas abrangências. Os determinantes em torno da estrutura do campo de produção cultural como realidade social estão atrelados à lógica do mercado, como “espaço de normatização sociocultural” e consagração da arte entre o ético, poético e o estético.

Entre a leitura dos clássicos e suas adaptações: processos de hibridização presentes na literatura infantojuvenil do PNLD Literário
Língua Portuguesa e Literatura

Este artigo discute questões relacionadas à leitura dos clássicos da literatura brasileira adaptados a histórias em quadrinhos, atentando para a forma como o gênero tem sido orientado em documentos como a BNCC e a LDBEN. Foram analisadas as resenhas completas de duas obras da literatura brasileira adaptadas a HQ no Guia PNLD Literário 2018, a fim de verificar as preocupações dos adaptadores no processo. Refletiu-se sobre a leitura dos clássicos no espaço escolar – na versão original ou adaptada –, problematizando a sua importância na formação dos leitores na contemporaneidade.

Da obra de arte ao texto literário: perspectivas interdisciplinares nas aulas de História
História, Formação de Professores, Artes Plásticas e Língua Portuguesa e Literatura

Estudar os fatos históricos pelos textos da historiografia brasileira oferece certa comodidade ao professor, mas nem sempre desperta o interesse do educando. Quando os temas ensinados não atraem o olhar do aluno, aprendê-los se torna cada vez mais difícil. Pensando em fazer o ensino de História ser mais significativo, professores e pesquisadores têm buscado meios de dinamizar esse ensino a partir de metodologias desafiadoras. Este texto dedica-se a refletir sobre práticas metodológicas para o ensino de História à luz de perspectivas interdisciplinares entre Literatura e Arte, partindo da relação entre produções artísticas e literárias do período ditatorial brasileiro, ambientada no golpe de estado ocorrido em 1964 e que perdurou até 1985.