Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Antropologia; Arqueologia; Comunicação; Direito; Economia; Filosofia; Geografia; História; Psicologia; Sociologia; Teologia
Limpar filtros
Educação nos tempos de coronavírus – ensino remoto, exclusão e as condições para uma aprendizagem significativa na era informacional
Psicologia, Sociologia, Educação a Distância, Formação de Professores e Política Educacional

O texto tem por objetivo explorar algumas reflexões sobre o modelo remoto de ensino adotado em função da pandemia do Coronavírus. Em um primeiro momento, situamos a experiência da educação remota na pluralidade de práticas associadas à EaD para melhor fundamentar a compreensão de suas particularidades. Na sequência, discutimos a exclusão de grande parte dos estudantes da Educação Básica do processo e as dificuldades de uma parcela considerável da comunidade docente em operar de forma adequada com as tecnologias digitais necessárias.

O aporte da alfabetização científica para a divulgação da ciência: tecendo contribuições dessa aproximação
Biologia e Biociências, Comunicação e Cidadania e Comportamento

A literatura brasileira em comunicação e divulgação científica não tem contribuído para o aprimoramento de conceitos que estruturam as práticas nessas áreas. Nesse sentido, é substancial teorizar essas ações que despontam a partir da práxis, pois, com pouco aprofundamento, pairam indefinições dos limites e da abrangência conceitual. Assim, busca-se neste ensaio estabelecer conexões entre os conceitos de divulgação científica e alfabetização científica e como elas afetam a democratização dos conhecimentos sobre a ciência.

Perspectivas interprofissionais entre saúde e educação no Projeto Balança Maré
Nutrição e Alimentos, Saúde, Psicologia, Formação de Professores, Vivências de Sala de Aula, Educação Artística, Educação Física e Política Educacional

Este artigo visa relatar e refletir sobre a experiência ocasionada na interprofissionalidade entre saúde e educação, especificamente nas áreas de Educação Física, Arte, Nutrição, Enfermagem e Psicologia. Além da ação integrada com algumas práticas integrativas e complementares – PICS, como arteterapia, ioga, meditação e fitoterapia. Como relato de experiência interprofissional, juntas, saúde e educação se associam no Projeto Balança Maré, da ONG Maré Produções Artísticas e Educacionais, e ao longo dos seus sete anos de existência desenvolvem edições que vislumbram a saúde física, a interação, a socialização, o jogo competitivo e a prática de hábitos saudáveis referentes à questão alimentar e de exercícios físicos no combate à obesidade.

Mediação e inclusão escolar: fragmentos de uma experiência com autista na perspectiva da Psicanálise
Psicologia, Educação Especial e Inclusiva, Educação Infantil, Vivências de Sala de Aula e Política Educacional

Em 1994, a Declaração de Salamanca tornou-se um marco no Brasil sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais, definindo que todas as pessoas com deficiências possuem direito e dever da educação em ambientes escolares regulares, o que significa dizer que a exclusão e a discriminação das crianças portadoras de deficiência intelectual ou transtorno psicológico são configuradas como crime. A legislação brasileira modificou o entendimento quanto à adoção de classes especiais e a inclusão dessas crianças em turmas regulares.

Práticas educativas para alunos com TEA: entre dificuldades e possibilidades
Psicologia, Educação Especial e Inclusiva e Vivências de Sala de Aula

Este estudo visa descrever práticas educativas para alunos com transtorno do espectro autista (TEA), identificando as dificuldades e as possibilidades enfrentadas no dia a dia pelas equipes docentes, com o intuito de ser mais um instrumento para professores e pesquisadores que se dedicam a estudar e produzir sobre esse transtorno. Sabe-se que esses alunos possuem características peculiares e, por isso, a dedicação do professor em estudar sobre tais características contribui para o planejamento e a execução de práticas educativas que possam se tornar significativas para eles.

Psicodiagnóstico, formação profissional e aplicações na Educação Básica
Psicologia e Educação Especial e Inclusiva

Levando em consideração que os procedimentos de realização do psicodiagnóstico aplicado a questões concernentes à infância e à adolescência são um processo dotado de muita complexidade e requerem formação teórico-prática suficiente para um bom desempenho, este estudo propõe apresentar os sentidos atribuídos ao exame psicodiagnóstico de acordo com a perspectiva de estudantes de Psicologia do sudoeste da Bahia. Com a realização da pesquisa, foi possível apresentar dados fundamentais acerca da formação profissional e percepção dos discentes acerca do psicodiagnóstico, sendo considerado pela maioria como um processo que apresenta resultados fidedignos; todavia, a articulação entre teoria e prática no contexto da graduação ainda é insuficiente.

"É tudo pra ontem": reflexões acerca do processo de ensino-aprendizagem em tempos de pandemia
Antropologia, Psicologia, Sociologia, Educação a Distância, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula, Outras Mais Específicas e Política Educacional

Naquela sexta-feira, quando o governo sinalizou que as escolas deveriam ser fechadas talvez por uns quinze dias, eu jamais imaginei que teríamos que a partir dali literalmente nos reinventar como profissionais do ensino, como profissionais da educação. "Não apareçam aqui na segunda nem na terça-feira, aguardem um posicionamento com relação a quarta-feira…". Confesso que um, dois dias pra dar uma respirada, uma descansada, poderia ser bom; não seria nada mal, aliás. Na mesma sexta-feira recebi um e-mail dizendo que eu deveria me apresentar numa nova escola na segunda-feira.

Bingo! em sala de aula: ensino de História do Maranhão a partir de um recurso pedagógico
História e Vivências de Sala de Aula

Conhecer a história do lugar onde se vive é de fundamental importância para a construção da identidade e da consciência históricas, assim como para o engendramento do sentimento de pertença em relação a esse lugar. Inicio o presente texto com essa máxima para lançar luz sobre a responsabilidade que todos os professores de História devem tomar para si no exercício das suas atribuições: a de contemplar não só os temas elencados no livro didático de História, mas também assuntos ligados à realidade mais concreta dos alunos, a exemplo da história do estado, da cidade ou até mesmo do bairro em que eles vivem. No caso específico, o ponto de interesse está apontado para a História do Maranhão.

Rumo ao Ensino Médio: o papel da escola nas escolhas de alunos do 9º ano do Ensino Fundamental
Sociologia e Instituição Escola

Este trabalho se propõe a identificar de que maneira os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental, série que concentra a maior taxa de evasão do ciclo, percebem sua escolarização e os fatores escolares que incidem em sua decisão sobre a continuidade da escolaridade. A transição entre os segmentos educacionais é um dos momentos de grande dispersão/evasão escolar. Os estudos sobre as escolas eficazes, no campo da Sociologia da Educação, indicam a relevância dos fatores escolares para a trajetória escolar discente. Assim, este estudo parte da hipótese de que iniciativas escolares podem ser determinantes na decisão de alunos ao transitarem para o Ensino Médio. O estudo buscou captar a influência da família, da comunidade e da escola para essa transição e para expectativas em relação ao futuro.

O uso do cinema no ensino
Matemática, Antropologia, Arqueologia, Comunicação, Filosofia, Geografia, História, Sociologia, Formação de Professores, Vivências de Sala de Aula, Artes Plásticas e Cidadania e Comportamento

O presente artigo tem como objetivo geral mostrar o impacto do uso de mídias digitais e audiovisuais com ênfase no uso do cinema no processo de ensino-aprendizagem, sobretudo na disciplina de História. Como forma de alcançar o objetivo estabelecido, o trabalho tem como desdobramentos objetivos específicos: conceituar e contextualizar temas inerentes ao desta pesquisa, identificar a aplicabilidade do cinema para o ensino da História em sala de aula, estabelecendo modelos e ao mesmo tempo tratando os pontos principais que podem contribuir na aplicação das orientações. Visa também salientar o impacto no enfoque dos PCN no planejamento didático com o uso de audiovisual para o filme escolhido, a eficácia do ensino de História usando curtas-metragens.