Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Avaliação; Educação a Distância; Educação Especial e Inclusiva; Educação Infantil; Formação de Professores; História da Educação; Instituição Escola; Vivências de Sala de Aula
Limpar filtros
Núcleo de Apoio Multidisciplinar e Educação Inclusiva: um estudo sobre a construção de uma política pública em Betim/MG
Educação Especial e Inclusiva

A Educação Inclusiva é um desafio para o sistema educacional. São muitos os aspectos que perpassam essa temática, trazendo questionamentos à luz da real efetivação da inclusão de alunos pertencentes ao universo público da Educação Inclusiva. O presente artigo traz à tona uma discussão a respeito do Núcleo de Apoio Multidisciplinar (NAM) do Centro de Referência e Apoio à Educação Inclusiva Rafael Veneroso (Craei-RV), do município de Betim/MG, como contribuição para a construção de políticas públicas voltadas para uma educação efetivamente inclusiva.

O uso do Winplot como software educativo no ensino da função quadrática
Avaliação e Vivências de Sala de Aula

O Winplot é um software que se apresenta como excelente ferramenta computacional cuja principal função é plotar gráficos. Além disso, permite trabalhar os gráficos de forma dinâmica. A investigação foi concebida metodologicamente, conforme pressupostos de uma pesquisa bibliográfica, com abordagens qualitativas, destacando o objetivo de apresentar as principais contribuições e os desafios do software Winplot no ensino da função quadrática. A pesquisa teve interlocuções com autores como Sousa, Lins e Abreu, Valentim e Oliveira e Pereira. O estudo mostrou que o uso do Winplot possibilita aprendizagens para discentes e docentes.

A formação docente e a agressividade infantil
Educação Infantil

Este trabalho é fruto de pesquisa em torno de discussões relacionadas à formação do professor e da agressividade infantil. Seu objetivo é discutir a agressividade em crianças na Educação Infantil, buscando analisar o fato de que o profissional da Educação muitas vezes não tem formação de qualidade e passa a não construir metodologias adequadas que ajudem no desenvolvimento de uma criança que tem atitudes agressivas. Partimos do pressuposto de que, quando não se trabalham essas atitudes agressivas, elas podem se prolongar durante toda a infância, trazendo implicações sérias à aprendizagem.

Mudança radical na Educação Infantil: o brincar através das telas dos aparelhos eletrônicos
Educação Infantil

As atividades aplicadas na Educação Infantil são mais lúdicas, visto que as brincadeiras infantis proporcionadas dentro ou fora do ambiente educacional têm como uma de suas prioridades o desenvolvimento integral das crianças nos aspectos físico, afetivo, emocional, social e cultural. Entretanto, mesmo a sociedade vivendo na era da agilidade, da conectividade, em que tudo acontece através de um clique nas telas dos aparelhos eletrônicos, essa mudança abrupta no cenário da educação tornou-se um dos maiores desafios vivenciados pelos professores é trabalhar com a ludicidade.

Resenha do artigo “Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente”
Formação de Professores e Política Educacional

O artigo resenhado é de António Nóvoa, notório na área da Educação, tendo produzido mais de cem textos, em que discorre, por exemplo, sobre a profissionalização docente. No cenário internacional, vem se destacando como organizador de grandes debates sobre o processo de ensino-aprendizagem. Cursou Ciências da Educação na Universidade de Lisboa, fez mestrado e doutorado sobre o processo de profissionalização docente em Portugal, seu país natal. No ano de 2006, foi eleito reitor da Universidade de Lisboa.

Ensino de História e descolonização do currículo: considerações iniciais
História e Formação de Professores

Este artigo delineia questões sobre o ensino de História e o processo de descolonização do currículo. O ensino de História é fundamental na formação de estudantes, pois está ligado à política e à cultura e lida com as diferentes formas de ser e saber no mundo. O currículo é um território em constante disputa; às vezes reúne práticas e pensamentos coloniais que precisam ser questionados. A descolonização dos currículos tem a ver com o reconhecimento da diversidade do mundo, o combate ao racismo e a ideias e pensamentos que não contemplam as diferenças na sociedade.

A Matemática no mundo da Memelândia
Matemática e Vivências de Sala de Aula

O presente artigo retrata uma experiência realizada com alunos do Colégio Estadual Hispano-Brasileiro, tendo como atividade uma exposição virtual intitulada “A Matemática no mundo da Memelândia”, hospedada em plataforma educacional para ser apreciada pelos discentes, docentes e equipe diretiva. O trabalho objetivou identificar as potencialidades dos memes relacionados à Matemática que circundam as redes sociais como recurso pedagógico e elemento no ensino da disciplina. Por propagarem-se rapidamente, os memes estão cada vez mais presentes no círculo social dos estudantes, especialmente no Ensino Médio.

Reciclagem eletrônica: valor de uma rádio na escola usando minitransmissor de rádio com sucatas eletrônicas
Biologia e Biociências, Física, Comunicação, Filosofia, Vivências de Sala de Aula, Cidadania e Comportamento e Política Educacional

Os meios de comunicação possuem grande importância para a sociedade, pois através deles acontece a globalização local e mundial. Um desses meios é o rádio, que, apesar de ter perdido espaço para a televisão e a internet, ainda tem grande relevância na sociedade. Por isso, este projeto foi elaborado tentando resgatar a importância do rádio como meio de comunicação de massa e que pode contribuir dentro da escola para a informação, aprendizagem e lazer na Escola Estadual Gov. Walfredo Gurgel, tendo como ponto de partida a montagem de um minitransmissor de rádio FM.

Língua materna X Variação linguística: valorizando a língua falada
Formação de Professores, Vivências de Sala de Aula e Língua Portuguesa e Literatura

Os aspectos das variedades linguísticas estão diretamente relacionados à aprendizagem da língua materna. O jeito de falar e como falar é aprendido em seus primeiros anos de vida; por essa vertente, a variação é algo natural da comunicação humana, porém ainda não é vista nem estudada dessa forma, já que muitas variações são consideradas maneiras “erradas” de falar. Todavia, o assunto ainda tem necessidade de ser abordado, transcendendo a visão do desvio gramatical. Com isso, cabe ao ensino escolar apresentar em sala de aula a língua materna e a variação linguística, para, assim, enriquecer o repertório linguístico do aluno.

A gestão escolar como instrumento de prevenção da síndrome de Burnout entre educadores
Saúde, Psicologia, Formação de Professores, Instituição Escola e Política Educacional

Dentre as muitas e diversificadas atribuições de um diretor escolar está a responsabilidade de gerenciar pessoas. Professores, escriturários da secretaria, merendeiras, funcionários da limpeza, inspetores e zeladores são seres humanos que desempenham diferentes tarefas dentro de uma unidade escolar. Conduzir indivíduos de formações, perfis e personalidades variados de modo a formar um todo, funcionando em sintonia, não é um encargo trivial. O presente artigo oferece informações sobre a atribuição profissional de gerir pessoas.