Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Antropologia; Arqueologia; Comunicação; Direito; Economia; Filosofia; Geografia; História; Psicologia; Sociologia; Teologia
Limpar filtros
Por práticas pedagógicas motivadoras que despertam o prazer pela construção do conhecimento
Antropologia, Comunicação, Psicologia, Sociologia, Educação Especial e Inclusiva, Educação Infantil e Formação de Professores

A narrativa de Como estrelas na Terra desenrola-se na Índia ao redor do protagonista, o menino Ishaan Awasthi. Com apenas nove anos de idade, é visto como uma "criança problema” pelos pais e pelos professores. Ele apresenta dificuldade de concentração, afirmando ver as letras a dançar, por isso é considerado um mau aluno, um desinteressado. Ninguém fazia nada para entender o porquê de suas notas baixas e das dificuldades no aprendizado, mas ele era castigado e excluído das aulas. Por estar correndo risco de reprovação, fica ameaçado de expulsão.

Desconstruindo as falácias do negacionismo e das fake news: um manual para professores do Ensino Médio
Comunicação, Filosofia, História e Sociologia

Atualmente, a “ordem do dia” é a lavagem cerebral realizada de maneira profissional para fins políticos, ideológicos, financeiros e geopolíticos tendo como veículo as principais as mídias sociais da web. A palavra escrita é o principal instrumento utilizado para a execução de tal fraude. Assim, por meio da elucidação de um gênero de engodo argumentativo chamado falácia, este artigo visa oferecer material para que professores e demais interessados no processo educativo possam identificar fake news e discursos negacionistas e evitar fornecer informações incorretas no processo de ensino-aprendizagem.

Entre o descritível e o interpretável com base na ideologia inconsciente do discurso
Comunicação, Psicologia, Sociologia, Outras Mais Específicas e Política Educacional

Nos estudos de Levy, o virtual é a possibilidade do real; por exemplo, na tecnologia empregada para a Educação a Distância, os indivíduos e toda a estrutura de informação e comunicação se virtualizam, não estão presentes em elementos físicos e geográficos, e a própria temporalidade se desintegra nesse universo factível. O processo comunicativo deixa de ser simultâneo, os interlocutores em certas situações aguardam o retorno de uma mensagem fora do tempo em que ela foi produzida. Nesse espaço virtual, denominado como ciberespaço, a materialização do discurso se dá sem contato com elementos físicos ou fora da temporalidade em que o ato comunicativo acontece.

Supervisão de ensino e orientação educacional: o desafio da indisciplina, conflitos e violência no ambiente escolar
Antropologia, Psicologia, Sociologia, Instituição Escola e Vivências de Sala de Aula

Neste estudo vamos refletir sobre a violência e a indisciplina na escola, procurando descobrir suas causas e estratégias para sua solução e prevenção, pois interferem no processo educativo. Esta pesquisa tem como objetivo analisá-las como causa e como o supervisor e o orientador educacional podem atuar na prevenção e gestão da violência e indisciplina no ambiente escolar em parceria com a comunidade escolar. Realizou-se pesquisa bibliográfica considerando as contribuições de diversos autores, como Guimarães, Neves, Jesus e Moraes, entre outros.

O salário do professor
Psicologia e Formação de Professores

Entre os profissionais da Educação, e por meio da luta sindical, se fala muito da questão do professor quanto a salário, que é muito baixo, que a profissão é desvalorizada, entre outras expressões. Sabemos que muitas pessoas – inclusive professores – costumam desestimular um filho, um sobrinho, um parente ou até um conhecido seu a seguir a profissão. É comum até ouvir que os baixos salários são uma das razões para a Educação do Brasil não caminhar tão bem. Mas existem outros salários que não são pagos em dinheiro. É desse salário que vamos falar.

Indústria cultural e seu impacto na educação
Sociologia, Política Cultural e Política Educacional

Este trabalho trata da indústria cultural e de sua influência na educação contemporânea. Usando meios modernos de comunicação, a ideologia do consumo permeia toda a cultura contemporânea, de forma que os meios de comunicação capturam essa ideologia e a reproduzem. A indústria cultural se globalizou e está se espalhando pelo mundo; hoje em dia, qualquer acontecimento pode ser monetizado por meio do YouTube e outras redes sociais. A cultura vai perdendo cada vez mais sua particularidade para dar lugar ao lucro.

A importância de considerar o Fundeb como política pública de Estado na garantia do direito à Educação Básica
Direito e Política Educacional

Este artigo tem como objetivo principal avaliar se a efetivação do direito à Educação Básica sofre implicações se o Fundeb for considerado política pública estatal. Definindo o caráter do fundo e avaliando alguns de seus aspectos financeiros, pretende-se analisar em que medida o programa contribui para a garantia do acesso à educação por parte da população brasileira e como a atribuição de um status estruturante pode se fazer necessária para que tais efeitos se prolonguem no tempo.

Carta de uma criança da classe popular a sua professora pós-ensino remoto
Filosofia, Psicologia, Avaliação, Educação a Distância, Educação Infantil, Formação de Professores, Instituição Escola e Educação Física

Nestes tempos de pandemia, uma criança escreve uma carta para sua professora lamentando a falta de encontros com seus colegas, com a professora e as atividades da escola. Ela conta um pouco de seu cotidiano em casa, da expectativa inicial de volta às aulas presenciais às noites sem sono, só pensando em rever todas aquelas pessoas e aqueles ambientes tão familiares e queridos. “Todo dia a mesma coisa”. Lembra algumas dificuldades, como a falta de espaço em casa, não poder ver os coleguinhas pelo celular sempre, não poder brincar com os amiguinhos. Mas, para sua alegria, a segunda-feira está chegando.

Tecnologia e o “ensino aprendizagem”
História, Formação de Professores, História da Educação, Vivências de Sala de Aula e Outras Mais Específicas

Este trabalho visa levar aos professores de História a possibilidade de uso da tecnologia disponível na escola, buscando mais interação por parte dos alunos, pois o mundo digital é uma ferramenta poderosa para estimular a curiosidade. Trazer os meios tecnológicos para dentro da sala de aula é de suma importância; percebemos que os discentes atuais estão voltados à imagem e não muito ao método tradicional. As transformações tecnológicas fazem aparecer novas necessidades sociais que se refletem na educação, estabelecendo indagações sobre a função da escola perante a tecnologia.

O protagonismo do aluno em projetos interdisciplinares: o Eixo Integrador da Rede SESI/SP de Educação Básica
Filosofia, Geografia, História, Sociologia, Formação de Professores e Vivências de Sala de Aula

O artigo analisa o papel de protagonismo do aluno em projetos da proposta curricular chamada Eixo Integrador da Rede SESI/SP de Educação Básica. Com base em estudo do tipo etnográfico em educação, as residentes-pesquisadoras realizaram trabalho de campo observando e participando dos projetos, para depois fazer entrevistas e colher dados. Feitos esses procedimentos, somados a leituras e discussões teóricas sobre Paulo Freire, interdisciplinaridade e metacognição, o trabalho foi redigido com o docente-orientador a partir dos momentos de orientação da Residência Educacional.