Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Busca: covid
Limpar filtros
Desafios da gestão escolar frente à pandemia de Covid-19
Computação e Tecnologias, Avaliação, Educação a Distância, Educação Infantil, Instituição Escola, Outras Mais Específicas e Política Educacional

O objetivo geral deste artigo é discutir acerca dos desafios da gestão escolar frente à pandemia de Covid-19, bem como discorrer sobre aspectos pertinentes quanto à saúde e à educação no período. A pesquisa foi baseada e fundamentada com bibliografia atualizada, teorizada por grandes autores. A metodologia está fundamentada na revisão bibliográfica multidisciplinar, além de técnicas de pesquisa doutrinária. O procedimento técnico adotado foi o analítico, justificado e baseado nas teorias de gestão e Psicanálise, com vistas a construir o desenvolvimento do trabalho. Sabe-se que o coronavírus atingiu o mundo inteiro de forma surpreendente e em virtude disso professores e gestores precisaram se reinventar para poder potencializar o ensino em um momento tão sombrio na história da humanidade. Esta pesquisa se justifica, pois o Covid-19 tem alto poder de contágio e letalidade e isso desencadeou muito medo em todas as áreas de atuação; consequentemente, também teve reflexo no desempenho dos profissionais docentes e gestores. Esta pesquisa tem como objetivo verificar o impacto causado pelo coronavírus na educação brasileira, bem como os gatilhos psicológicos negativos que foram danosos à saúde mental de todos. Observou-se neste artigo sobre o que é necessário ser feito para minimizar os impactos psicológicos negativos da Covid-19 na gestão escolar; em um terceiro momento conheceremos um pouco sobre o Método da Vibração, uma metodologia eficaz para se manter imune mentalmente e motivado mesmo em tempos obscuros. Por fim, pretende-se com este trabalho levar conhecimento à comunidade, a fim de que os docentes mantenham-se sempre saudáveis, ativos, vibrantes, a fim de buscar sempre a qualidade no ensino.

Trabalho docente na rede municipal de São Paulo no contexto da pandemia de Covid-19
Computação e Tecnologias, Educação a Distância, Formação de Professores e Vivências de Sala de Aula

Este artigo apresenta reflexões sobre os desafios do ensino em tempos de pandemia. A crise sanitária global provocada pela Covid-19 trouxe impactos econômicos, políticos, sociais e educacionais sem precedentes. Nesse contexto, o ensino remoto foi adotado em diversas redes de ensino mundo afora, uma vez que o isolamento social se tornou necessário como tentativa de controle da pandemia. Assim, com base em relato de prática docente desenvolvida na rede municipal de ensino de São Paulo, por meio de aulas virtuais, são analisadas questões relacionadas a aspectos institucionais; à funcionalidade das ferramentas digitais adotadas; à inclusão digital; às demandas dos docentes; às potencialidades e dificuldades envolvidas no ensino remoto para estudantes do Ensino Fundamental na rede pública. Considerando que o relato apresentado é um recorte da realidade de uma importante rede de ensino, as discussões levantadas podem contribuir para o debate necessário nesse contexto inédito, com vistas ao fortalecimento da educação pública como instrumento de equidade.

Eurocentrismo e a pandemia de Covid-19 no continente africano: afinal, o que sabemos?
Geografia e História

A pesquisa aqui desenvolvida buscou, mas sem a pretensão de esgotar o assunto, refletir brevemente sobre como a mídia hegemônica brasileira informou sobre a pandemia de Covid-19 no continente africano. Essa investigação se deu nos meses de março e abril de 2020, em que buscou-se por matérias dos principais sites responsáveis pela formação de opinião do leitor e por isso escolhidas. Dessa forma, partindo de uma análise crítica dos textos noticiados, esboçamos um paralelo entre o eurocentrismo com a pandemia na África e de que forma esses textos refletiram uma visão eurocêntrica, reforçando estereótipos e normalizando o continente como palco de excelência para desastres.

A Covid-19, o retorno às aulas e o custo social do fechamento das escolas - o que pode ser feito?
Saúde, Geografia, História, Sociologia, Educação a Distância, Formação de Professores, Instituição Escola e Vivências de Sala de Aula

O retorno às aulas no período pós-pandemia exige diversos critérios e movimentos de governos – em todas as esferas – e escolas para atender às orientações da Organização Mundial da Saúde. Enquanto isso, o ensino remoto vem mostrando que a desigualdade social se estende às condições educacionais – não só na escola como nas famílias, pois os recursos disponíveis têm níveis extremamente diferentes.

Percepção de alunos e professores da Seeduc/RJ sobre o ensino on-line de caráter emergencial durante a pandemia
Educação a Distância e Política Educacional

Este artigo analisa uma pesquisa realizada com professores e alunos de duas escolas da rede estadual do Rio de Janeiro sobre as experiências com o ensino online realizado emergencialmente em função da pandemia do novo coronavírus. A busca de soluções para melhorar o acesso e reduzir as dificuldades no uso da plataforma mostra que os recursos da internet têm tudo para ser usados no futuro, complementando as aulas presenciais.

Ensino na rede pública em tempos de pandemia: duas experiências docentes
Formação de Professores, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula e Língua Portuguesa e Literatura

Este trabalho tem como objetivo apresentar as ressignificações do processo de ensino em contexto de pandemia e como a experiência docente vem sendo (re)construída na rede pública; são dois relatos de experiência colhidos por professores atuantes em diferentes níveis da Educação Básica. São inúmeros os esforços de docentes que visam transformar a sala de aula virtual (na maior parte da vezes materializada em uma tela de celular ou uma folha de papel) em um ambiente menos tenso e frio, ainda que prevalecendo o isolamento social. O processo de adaptação, no entanto, tem sido árduo, tanto para alunos quanto para professores, especialmente por causa do aumento de casos de ansiedade e depressão e de limitações financeiras e tecnológicas enfrentadas por grande parte da população brasileira.

Arte, cultura e divulgação científica nas aulas virtuais de Química e Biologia em tempos de pandemia
Ecologia e Meio Ambiente, Química e Educação a Distância

Em tempos de isolamento social, a escola se abriu para o mundo e as tecnologias digitais de informação e comunicação (TIC) passaram a fazer parte do novo contexto de ensino-aprendizagem, porque, apesar de a tecnologia impregnar de sentido nosso estar no mundo, a escola até então não estava apartada dessa impregnação (Silva; Monteiro; Acioly, 2020). Novas oportunidades e desafios se debruçaram sobre os professores. A escola se viu forçada a adotar novas formas de ações educativas e metodológicas, apropriando-se de ferramentas digitais, ressignificando o processo pedagógico.

Edição especial da revista EaD em Foco: “Contribuições da EaD em tempos de pandemia e de pós-pandemia”
Educação a Distância, Formação de Professores, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula e Política Educacional

Em função da gravidade da pandemia pelo novo coronavírus, a revista EaD em Foco está organizando um número especial, com a proposta de registrar, relatar e divulgar, em formato acadêmico, o impacto das experiências educacionais nesse momento único da sociedade moderna. Os temas das contribuições são amplos, sempre relacionados ao eixo central das contribuições da EaD em tempos de pandemia.

Reuniões virtuais do grupo de pesquisa em Etnomatemática e Etnociência da UFRRJ em tempos de pandemia: um relato de experiência
Matemática, Educação a Distância, Formação de Professores e Vivências de Sala de Aula

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) no ano de 2020, o Grupo de Estudos e Pesquisas em Etnociências e Etnomatemática (GEtCiMat) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) decidiu manter suas reuniões por meio de videoconferência, a fim de dar continuidade aos trabalhos, realizar discussões sobre o tema do grupo de pesquisa e compartilhar informações e experiências. Durante esse momento de confinamento momentâneo, juntamente com as incertezas causadas pela pandemia, buscaram-se tecnologias que pudessem estabelecer, de alguma forma, o contato e as discussões que eram rotineiras e anteriores ao distanciamento social. Dessa forma, foi adotado o uso de tecnologias digitais, como WhatsApp, com a finalidade de manter o contato entre os membros de forma assíncrona, e o Skype, destinado às reuniões através de videoconferência síncrona. O objetivo deste texto é relatar de forma cronológica o início da experiência do GEtCiMat com o uso de tais tecnologias de telecomunicação informatizada para a manutenção das discussões, entre elas: currículo, pesquisa em Etnomatemática em andamento e desenvolvidas pelos mestrandos, dificuldades com as práticas em sala de aula no âmbito da Etnomatemática e a partir do ponto de vista dos membros participantes. Conclui-se que houve êxito com a experiência de debate e reflexão sobre os diversos temas através do uso das tecnologias de comunicação síncronas e assíncronas, em especial com a elaboração colaborativa deste relato de experiência.